‘Ele tá solto, mas continua com todos os crimes dele nas costas’, diz Bolsonaro sobre Lula

O presidente  Jair Bolsonaro  afirmou no início da tarde deste sábado que não vai dar espaço e nem contemporizar com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), a quem chamou de “presidiário”. Lula foi solto na sexta-feira, após decisão do Supremo Tribunal Federal  (STF) que reverteu o entendimento da Corte sobre a prisão após condenação em segunda instância. Bolsonaro, que só havia se manifestado sobre a libertação do oponente político pelas redes sociais, na manhã deste sábado, sem citá-lo diretamente, falou ainda que o petista “continua com todos os crimes dele nas costas.

— A grande maioria do povo brasileiro é honesto, trabalhador, e nós não vamos dar espaço nem contemporizar com um presidiário. Ele tá solto, mas continua com todos os crimes dele nas costas — declarou o presidente, na saída do Palácio da Alvorada.

Na ocasião, Bolsonaro cumprimentou cerca de 20 apoiadores na porta do Palácio e se dirigiu para um churrasco em homenagem ao general Eduardo Villas Bôas, ex-comandante do Exército e atual assessor especial do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), que completou 68 anos na sexta-feira. Antes, ele confirmou que se referia a Lula em uma postagem no Twitter feita mais cedo, na qual falou em “canalha”. Ao ser questionado por jornalistas sobre o tema, afirmou que já havia publicado comentário no Twitter.

“Amantes da liberdade e do bem, somos a maioria. Não podemos cometer erros. Sem um norte e um comando, mesmo a melhor tropa, se torna num bando que atira para todos os lados, inclusive nos amigos. Não dê munição ao canalha, que momentaneamente está livre, mas carregado de culpa”, escreveu o presidente na rede social pela manhã.

Na mesma publicação, ele compartilhou vídeo de um evento, realizado ontem em Brasília, em que fala que deve parte de sua eleição ao hoje ministro da Justiça, que, segundo Bolsonaro, cumpriu “missão” como juiz. “Ele estava cumprindo a sua missão. Se essa missão dele não fosse bem cumprida, eu também não estaria aqui. Então, parte do que acontece na política do Brasil devemos ao Sérgio Moro. Se for comparara uma corrente, o elo mais forte dessa corrente”, diz Bolsonaro na gravação da cerimônia exibida.

Na festa em comemoração ao aniversário de Villas Boas, em um clube do Setor Militar Urbano de Brasília, Bolsonaro e convidados desfrutaram de um costelão. Uma mensagem do general foi lida antes dos parabéns com brincadeiras sobre o fato de Bolsonaro ter feito mais sucesso que ele durante o evento e sobre a conta do churrasco, que seria enviada ao Palácio do Planalto ou ao comando do Exército.

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *