Homem é detido após escalar arranha-céu em Paris

Um homem foi detido na noite desta sexta-feira (18) após escalar, sem o auxílio de cordas, a Torre Montparnasse. O edifício é o arranha-céu mais alto da capital da França, com 209 metros.

De acordo com a polícia parisiense, o homem tem nacionalidade polonesa e se apresentou como um turista. Debaixo do edifício e no alto da torre, equipes de emergência se preparavam caso algum acidente ocorresse, segundo o jornal “Le Parisien”.

Quando ele estava no meio do prédio, um socorrista desceu com ajuda de um rapel para resgatar o escalador. Juntos, eles subiram ao topo do edifício — sob aplausos das pessoas que assistiam à cena.

Mesmo com a chegada bem sucedida ao topo, a polícia deteve o polonês para interrogá-lo. O nome do homem não foi confirmado.

Por G1

TRF se manifesta a favor da acareação entre Flávio Bolsonaro e Paulo Marinho

O Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2) se manifestou nesta sexta-feira (18) a favor da acareação entre o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos), e o empresário Paulo Marinho na próxima segunda-feira, no Rio. A acareação faz parte da investigação sobre o suposto vazamento da Operação Furna da Onça pela Polícia Federal.

O TRF2 foi consultado pelo Ministério Público Federal porque há um habeas corpus que impede o advogado Victor Granado de ser ouvido. O desembargador Paulo Espírito Santo alegou que a medida serve para proteger o sigilo advogado cliente, já que Victor era advogado de Flávio, mas não impede que os demais personagens da investigação falem sobre ele.

Segundo o empresário Paulo Marinho, Flávio Bolsonaro contou que Victor Granado soube da operação com antecedência por um delegado da Polícia Federal e o avisou. Flávio nega. Foi nessa investigação que apareceu o relatório do Coaf que revelou movimentação suspeita na conta de Fabrico Queiroz , ex-assessor de Flávio .

O desembargador do TRF2 diz que a acareação marcada pelo Ministério Público Federal tem grande importância para apuração dos supostos ilícitos cometidos e não há nada na decisão dele que a impeça de acontecer.

Por Paulo Renato Soares, G1 Rio

Justiça determina que Flordelis seja monitorada por tornozeleira eletrônica

A juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce, da 3ª Vara Criminal de Niterói, negou pedido do Ministério Público estadual para afastar do cargo a deputada Flordelis dos Santos de Souza, acusada de ser mandante da morte do marido, o pastor Anderson do Carmo. A magistrada, no entanto, determinou que a parlamentar seja monitorada por tornozeleira eletrônica e fique em recolhimento noturno das 23h às 6h. A decisão é dessa sexta-feira. Flordelis é acusada de ser mandante da morte do marido, o pastor Anderson do Carmo, mas não pode ser presa em função de sua imunidade parlamentar.

No pedido feito no último dia 11, o promotor Carlos Gustavo Coelho de Andrade usou argumentos como o temor de uma das testemunhas do processo e a dificuldade para que Flordelis fosse encontrada e citada dos processos criminal e disciplinar na Câmara dos Deputados. O membro do MP argumentou ainda a existência de relato da mesma testemunha de que um dos filhos de Flordelis se utiliza do poder decorrente do mandato da mãe.

Em sua decisão, Nearis relembrou anteriores tentativas de Flordelis de atrapalhar as investigações para embasar a necessidade de monitoramento por tornozeleira. A magistrada frisou ainda que o equipamento eletrônico vai auxiliar na fiscalização do cumprimento de outras medidas cautelares às quais Flordelis foi submetida, como proibição de ter contato com testemunhas e outros réus do processo. A juíza determinou que a Secretaria de Administração Penitenciário do Rio seja intimada sobre a decisão para que a colocação da tornozeleira seja feita com urgência.

Na decisão, a magistrada frisou que não há necessidade da decisão de monitoramento eletrônico ser submetida à Câmara dos Deputados, uma vez que não causará nenhuma restrição ao exerício das funções parlamentares, sendo dispensável a convalidação pela casa.

Ao negar o pedido para afastar Flordelis do cargo de deputada, a juíza afirmou que “não se vislumbra nos fatos narrados na denúncia, nem nas novas informações trazidas aos autos, o uso da máquina pública ou o efetivo abuso do cargo eletivo para a prática dos crimes imputados, assim como não restou demonstrado que o exercício da função parlamentar possa de alguma forma causar prejuízo à instrução criminal”.

Os requerimentos de afastamento do cargo e monitoramento por tornozeleira eletrônica já tinham sido feitos pelo MP no fim de agosto, quando houve oferecimento da denúncia contra Flordelis, mas acabaram negados pela juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce. A magistrada determinou que outras medidas cautelares, como proibição de mudar o endereço e de ter contato com testemunhas e réus do processo, eram suficientes. Flordelis não pode ser presa em razão de sua imunidade parlamentar.

O MP, no entanto, voltou a fazer as solicitações arguementando ter fatos novos. Um deles é o temor de uma das principais testemunhas do processo, Regiane Rabello. Na madrugada do último dia 4, uma bomba caseira foi jogada no quintal da casa da empresária. Ao EXTRA e em depoimento à Polícia Civil e MP, Regiane declarou que o episódio ocorrido tem o intuito de lhe calar, já que ela denunciou Flordelis e outros envolvidos na morte do pastor.

Ao MP, Regiane afirmou que se sente insegura com a liberdade de Flordelis e também com a possibilidade de liberdade de um dos filhos biológicos da deputada, Adriano dos Santos. A defesa do rapaz entrou com pedido de revogação de sua prisão, que acabou indeferido pela Justiça. Regiane afirma que Adriano é agressivo e já lhe intimidou em uma ocasião. A empresária ainda afirmou que o rapaz “usa do dinheiro e poder de Flordelis decorrentes do mandato parlamentar”.

Para fundamentar seu pedido, o promotor argumentou ainda a dificuldade de localização do paradeiro de Flordelis para ser citada no processo criminal respondido por ela na 3ª Vara Criminal de Niterói. O membro do MP cita também que a própria corregedoria da Câmara dos Deputados teve dificuldades em localizá-la para também intimá-la do processo contra ela na casa.

Filho transferido para Bangu 1

Na decisão desta sexta-feira, a juíza Nearis dos Santos também determinou que Adriano dos Santos Rodrigues, filho biológico de Flordelis, seja transferido para a penitenciária de segurança máxima Laércio da Costa Pellegrino, conhecida como Bangu 1, no Complexo de Gericinó, Zona Oeste do Rio.

O pedido foi feito pelo advogado Ângelo Máximo, que atua como assistente de acusação no processo, representando o pai do pastor Anderson do Carmo. A solicitação foi feita por suspeitas de que Adriano estava se comunicando de dentro do presídio com sua mãe.

Na semana passada, Nearis negou pedido para que Adriano responda ao processo em liberdade.

Renato pede calma à torcida do Grêmio: “Se achar que estou atrapalhando, sou o primeiro a sair”

O Grêmio não irá realizar mudanças em sua comissão técnica além da demissão do executivo Klauss Câmara. Foi esta a mensagem passada pelo presidente Romildo Bolzan Júnior em entrevista coletiva nesta sexta-feira, ao lado do técnico Renato Portaluppi. Mais uma vez, o treinador negou uma crise no clube, disse que o time está em um momento de “transição” e afirmou que ele próprio pedirá para sair caso sinta que não pode mais contribuir.

A decisão da direção foi de manutenção nesse momento de turbulência e aposta no trabalho da atual comissão técnica. Renato completará quatro anos no comando do clube neste sábado. O treinador voltou a falar nos desfalques e na falta de entrosamento para justificar as atuações ruins do time, mas pediu calma ao torcedor.

— Nessas horas tem que ter calma. Se achar que estou atrapalhando, vou ser o primeiro a sair. Ainda mais no clube que amo, que me dedico a quatro anos. Quando não estiver me sentindo bem vou ser o primeiro a sair. Resolvo em dois minutos. Até porque, não coloco R$ 1 real de multa (no contrato). Poderia colocar milhões como muitos fazem. Aí ficam brigando no dia a dia para levar a multa. Não sou deste tipo. Caminho aberto, porta aberta para entrar e sair. Não estou aqui para no próximo jogo ter que ganhar, senão vou embora. Eu mesmo vou chegar, agradecer. Mas o momento é de tranquilidade, trabalho, retomar o rumo — afirmou Renato.

Muito além do 5 a 0: falta de sintonia com Dome e conflitos políticos movimentam bastidor no Flamengo

As avaliações a respeito do trabalho de Domènec Torrent se intensificam com o passar das horas no Flamengo. A goleada sofrida por 5 a 0 para o Independiente Del Valle, na noite de quinta-feira, em Quito pela Libertadores, serviu de alerta, e a lista de análises inclui conceito de jogo, apatia, capacidade de reação dos jogadores, entre outros fatores observados no cotidiano.

A permanência no Equador dá fôlego ao espanhol, mas também torna o duelo com o lanterna Barcelona de Guayaquil, na próxima terça-feira, praticamente decisivo. Um novo tropeço deixará a situação ainda mais delicada e com um duelo diante do Palmeiras, pelo Brasileiro, pela frente.

Estão sendo avaliados o comportamento dos jogadores, a capacidade de reação e de dar uma resposta rápida ainda em solo equatoriano. As horas seguintes ao 5 a 0 foram mais de silêncio e reflexão do que de irritação.

No vestiário após a goleada, Dome evitou questionamentos ou cobranças. Um silêncio que fez barulho nos corredores. O espanhol convive com questionamentos velados, seja de dirigentes ou jogadores, e cada vez menos tem tranquilidade para tocar o trabalho.

A multa de 2 milhões de euros (R$ 12.5 milhões) pesa para qualquer tomada de decisão, mas o panorama de momento ainda indica o respaldo do vice-presidente de futebol, Marcos Braz.

O dirigente, que também é alvo de debates na Gávea por conta da provável candidatura a vereador no Rio de Janeiro, carrega consigo a responsabilidade da escolha pelo treinador quando seus “detratores” (palavra comum ao vocabulário de dirigentes rubro-negros) faziam corrente por outro espanhol: Miguel Angel Ramirez. Justamente o algoz do 5 a 0.

del valle x Flamengo Domènec Torrent  — Foto: Reuters

del valle x Flamengo Domènec Torrent — Foto: Reuters

Campeonato Italiano terá transmissão do SporTV

A temporada 2020/21 do Campeonato Italiano terá uma novidade no Brasil. O torneio passará a ser exibido no SporTV, com a transmissão de uma partida por rodada no canal.

O primeiro jogo exibido no SporTV será Milan x Bologna, na próxima segunda-feira, às 15h45 (de Brasília)

O Italiano começa neste sábado com dois jogos: Fiorentina x Torino e Verona x Roma. A Juventus tenta o 10º título seguido do torneio e estreia no domingo, contra a Sampdoria, com acompanhamento em tempo real no ge.

Vamos tirar Maduro de lá, diz secretário de Estado dos EUA em visita a Roraima

Em visita a Boa Vista nesta sexta-feira (18), o secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, fez críticas ao presidente da VenezuelaNicolás Maduro, e afirmou: “Vamos tirá-lo de lá”. Na capital de Roraima, o americano se encontrou com o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo.

Pompeo afirmou que os Estados Unidos querem “representar as pessoas da Venezuela” e que a missão do país é “assegurar que a Venezuela tenha uma democracia”. “Não devemos esquecer que ele está destruindo seu próprio país e também é um traficante de drogas. Está impactando na vida dos EUA. Mas vamos tirá-lo de lá.”

Segundo a embaixada americana no Brasil, o encontro deveria discutir a imigração venezuelana no país.

Do Brasil, Pompeo segue para Bogotá para se reunir com o presidente Ivan Duque. Com esse encontro, ele terá visitado todos os países que fazem fronteira com a Venezuela.

A passagem de Pompeo fez parte de uma agenda com encontros de líderes da América Latina. Nesta quinta-feira (17), Pompeo visitou Georgetown, capital da Guiana, onde se encontrou com o presidente Irfaan Ali e com o secretário-geral da Comunidade do Caribe, Irwin LaRocque; e Paramaribo, capital do Suriname, onde se encontrou com o presidente Chan Santokhi.

Senadores querem presença de Mourão e Salles em região afetada por incêndios no Pantanal

Os senadores que integram a comissão criada para acompanhar os incêndios no Pantanal querem que o vice-presidente Hamilton Mourão e os ministros Ricardo Salles (Meio Ambiente), Tereza Cristina (Agricultura) e Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional) compareçam às áreas afetadas pelas queimadas.

De acordo com a assessoria da senadora Simone Tebet (MDB-MS) os convites às autoridades devem ser formalizados na próxima semana. Ainda não há data para a viagem.

governo federal reconheceu a situação de emergência em Mato Grosso do Sul e Mato Grosso em razão das queimadas. Com isso, os estados poderão reforçar a prevenção e o combate aos focos, assim como manter serviços públicos nas áreas atingidas pelo fogo.

No último dia 9, passou de 2 milhões de hectares a área atingida pelos incêndios.

O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, se reuniu nesta terça-feira (15) com o governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), e anunciou a liberação de R$ 3,8 milhões para ações de combate aos incêndios que atingem o estado.

Comissão vai ao MT

Neste sábado (19), o presidente da comissão de senadores, Wellington Fagundes (PL-MT), e outros integrantes vão sobrevoar locais de incêndio no Mato Grosso.

Entre as cidades que serão visitadas, está a de Poconé, que fica a 102 quilômetros da capital Cuiabá. Os parlamentares também vão se reunir com equipes que atuam na área e conversar com cientistas, organizações e proprietários de fazendas e pousadas.

Essas atividades de “diligência” foram aprovadas durante reunião do colegiado na última quarta-feira (16).

Ação no Supremo

O partido Rede apresentou ao Supremo Tribunal Federal (STF) nesta quinta-feira (17) uma ação na qual pede, entre outras medidas, que a Corte determine ao governo federal que:

  • apresente, no prazo de 10 dias, plano de prevenção e combate aos incêndios no Pantanal e na Amazônia;
  • envie, no prazo de cinco dias, força-tarefa às regiões para atuar no combate ao alastramento dos focos de incêndio e no resgate de animais;
  • destine equipamentos para o combate a incêndios e cestas básicas aos moradores dos locais, com atenção especial a povos indígenas e quilombolas.

A legenda também pede que seja reconhecido “o estado de coisas inconstitucional da gestão ambiental brasileira”, sobretudo nos biomas Pantanal e Amazônia.

Por Sara Resende e Gustavo Garcia, TV Globo e G1 — Brasília