Ramon Menezes não é mais o técnico do Vasco

Ramon Menezes não é mais o técnico do Vasco. O clube optou nesta quinta-feira pela demissão do treinador após a derrota por 3 a 0 para o Bahia, na quarta-feira, em Salvador, pela 14ª rodada do Brasileirão.

O Vasco anunciou a informação por meio de um curto comunicado em seu site oficial:

“O Club de Regatas Vasco da Gama comunica que Ramon Menezes não é mais o treinador da equipe profissional. O Clube agradece os serviços prestados pelo profissional e, em breve, anunciará o seu substituto”.

Ramon Menezes deixa o Vasco após pouco mais de seis meses — Foto: Rafael Ribeiro / Vasco

Ramon Menezes deixa o Vasco após pouco mais de seis meses — Foto: Rafael Ribeiro / Vasco

ge apurou que a decisão pegou os jogadores de surpresa e causou revolta em parte do elenco vascaíno. Além de Ramon, comunicado do caso em uma reunião em São Januário, deixam o clube o auxiliar técnico Thiago Kosloski e o preparador físico Leo Cupertino.

A busca pelo novo técnico está em andamento. No começo desta tarde, o diretor executivo André Mazzuco e o o diretor Antônio Lopes estiveram juntos em São Januário. Não está definido, por exemplo, quem comandará o time diante do Flamengo, sábado, pelo Brasileirão. Caso ninguém seja contratado até a data da partida, a tendência é de que Júnior Lopes, auxiliar permanente do clube e filho de Antonio Lopes, o coordenador técnico, lidere o time.

Treino regenerativo em hotel

Pela programação do clube, definida antes da saída de Ramon, a tarde é de treino regenerativo em um hotel na Barra da Tijuca – o clube o usa por vezes para algumas atividades, afinal, o da concentração de véspera dos jogos fica na Zona Sul. Nesta sexta, a atividade foi transferida de São Januário para a sede da Aeronáutica, na parte da tarde.

Sob o comando de Ramon, o Vasco vivia um momento delicado na temporada. No Brasileirão, competição em que a equipe chegou a ser líder nas primeiras rodadas, já são quatro partidas sem vitória – seis contando as duas da Copa do Brasil. No momento, o time está em décimo lugar, com 18 pontos.

Anunciado como substituto de Abel Braga no dia 30 de março deste ano, Ramon Menezes deixa o Vasco depois de pouco mais de seis meses no comando e 16 partidas disputadas (2 pelo Carioca, 2 pela Copa do Brasil e 12 pelo Brasileirão). Ao todo, foram oito vitórias, três empates e cinco derrotas.

Auxiliar agradece oportunidade

Em seu perfil em uma rede social, o auxiliar Thiago Kosloski agradeceu a oportunidade e lamentou ter tido o trabalho interrompido. Destacou que o aproveitamento era de 52%.

Comunicado de Thiago Kosloski sobre a demissão do Vasco — Foto: Reprodução

Comunicado de Thiago Kosloski sobre a demissão do Vasco — Foto: Reprodução

Eloisa Fontes foi convencida por policial que a resgatou a ser internada em hospital no Rio

Encontrada desorientada na comunidade do Cantagalo, na Zona Sul do Rio de Janeiro, a modelo Eloisa Fontes, de 26 anos, não queria aceitar ser internada no Instituto Municipal Philippe Pinel, em Botafogo. Ela foi resgatada pela equipe da Operação Ipanema Presente, na terça-feira, dia 6, e levada pelos policiais e uma assistente social para a instituição. Um amigo da família, Francisco Assis, foi chamado para ser o responsável pela internação da jovem.

No entanto, ela resistiu a entrar no local e conversar com um médico. Com paciência, um dos agentes que auxiliou no resgate conseguiu ganhar a confiança da alagoana e convencê-la a receber a ajuda médica.

VejaModelo Eloisa Fontes anda com mochila com documentos e cartas de referências de fotógrafos internacionais

— Quando cheguei, ela permaneceu na van e não quis descer. Olhou para mim e disse: “Não vou falar com você. Fale com as autoridades”. Um dos policiais, então, sentou ao lado dela, conversou com ela, ganhou a confiança e a convenceu a entrar na consulta com o médico. Ela disse: “Eu acredito em você”. Prometeu acompanhá-la até o consultório, e assim ela aceitou ir. O médico resistiu em interná-la porque ela não apresentava um risco de vida, mas o policial conversou com ele em particular, explicou a história e o histórico, e assim conseguimos a internação — conta Assis.

LeiaEloisa Fontes: promessa das passarelas de Nova York vivia em situação de rua no Rio

A tranquilidade dos agentes e a forma como lidaram com a situação impressionou o amigo da família. Assis afirma que os dois policiais que acompanharam Eloisa até o Pinel, assim como uma assistente social, fizeram a diferença para a modelo confiar neles e aceitar ser levada para o hospital. Para Assis, a preparação psicológica dos profissionais foi fundamental para o desfecho do caso.

— Eles foram gentis, educados e têm um preparo que não sei explicar. Fiquei impactado com a forma que eles lidaram com ela e a convenceram. Os policiais David e a Viveros, além da assistente Adriana, foram excelentes. A gente só vê histórias ruins envolvendo a polícia, mas temos que exaltar quando eles fazem um trabalho exemplar. Nesse caso, foram fundamentais para salvar a Eloisa — diz.

VejaModelo Eloisa Fontes, desaparecida há um ano, é encontrada desorientada no Morro do Cantagalo

Eloísa Pontes estava no Morro do Cantagalo
Eloísa Pontes estava no Morro do Cantagalo Foto: Divulgação

Modelo já havia sumido antes

A jovem permanece internada na instituição e sem previsão de alta. A família não vive no Rio, por isso Assis permanece como o responsável por ela. Mas a previsão é que a mãe de modelo venha para capital fluminense quando ela for liberada pelos médicos.

Em junho do ano passado, Eloisa desapareceu durante uma temporada em Nova York. Ela foi encontrada cinco dias depois andando, visivelmente desorientada, em uma rua de White Plains, cidade que fica a cerca de 30 minutos de trem do centro de Mahanttan.

A modelo estava morando nos Estados Unidos desde fevereiro. Nascida em uma cidade pequena no interior de Alagoas, a modelo deixou oito irmãos no Brasil para tentar, desde muito jovem, carreira como modelo no exterior. Ela foi casada e tem uma filha, de 7 anos, com o modelo e produtor executivo russo Vivien Birleanu, mas é conhecido no mundo da moda como Andre Birleanu, de 42 anos.

Os dois se conheceram em 2012, em São Paulo, e se casaram em 2014. Ele — que ficou conhecido pela sua participação no programa americano “America’s most smartest model” — tem a guarda da criança.

Polícia incinera 33 toneladas de drogas em MS; estado concentra 39% das apreensões do país

O Polícia Civil incinerou pouco mais de 33 toneladas de drogas na manhã desta quinta-feira (8) em Dourados, no sul do estado. O local utilizado com autorização da Justiça foi uma farinheira.

A maioria dos fardos incinerados são de maconha. Segundo o Departamento de Operações de Fronteira (DOF), o volume destruído nesta quinta é resultado de 17 apreensões em Mato Grosso do Sul.

De acordo com dados do Ministério da Justiça, 808 toneladas de drogas foram apreendidas em todo o país no primeiro semestre do ano, 39% em Mato Grosso do Sul. Entre janeiro e setembro, foram tiradas de circulação mais de 590 toneladas de entorpecentes no estado, um aumento de 102% em relação ao mesmo período do ano passado.

Maior apreensão da história

Em 26 de setembro, a polícia aprendeu 33 toneladas de maconha, no que foi considerada na maior apreensão da droga na história do país, segundo o DOF. Dois homens, um de 25 e outro de 45 anos, foram presos.

A polícia fazia patrulhamento na MS-156, em Maracaju, quando deu ordem de parada a uma carreta que seguia no sentido contrário ao da viatura. O motorista desobedeceu os policiais e tentou manobrar para entrar com o veículo em uma estrada vicinal.

No entanto, o condutor não conseguiu fazer a manobra, abandonou a carreta às margens da rodovia e fugiu a pé levando a chave do veículo, não sendo localizado. Os policiais revistaram as carrocerias e encontraram os tabletes de maconha. Não havia nenhuma carga lícita. O DOF levou quatro horas para concluir a pesagem do entorpecente.

Um carro que seguia logo atrás da carreta foi abordado e nele estavam os dois homens.

33 toneladas de drogas incineradas em Dourados — Foto: TV Morena

33 toneladas de drogas incineradas em Dourados — Foto: TV Morena

Juiz encerra caso de acusação contra Neymar por divulgar fotos íntimas

Neymar teve o caso de violação cibernética encerrado envolvendo a acusação de estupro contra Najila Trindade, em 2019. A informação foi divulgada pela agência Associated Press, nesta quinta-feria (8). O juiz responsável pelo caso foi Marcel Laguna Duque Estrada.

Além das alegações de estupro de Najila, Neymar ainda estava envolvido em violações de crimes cibernéticos por divulgar fotos íntimas da jovem, mas, em ambos os casos, a investigação não resultou em nenhuma acusação contra ele. A acusação de estupro já havia sido encerrada em 2019.

Neymar estava sendo investigado pela divisão de crimes cibernéticos da Polícia do Estado do Rio por postar imagens íntimas e mensagens da acusadora sem a autorização dela, em uma possível violação de sua privacidade online. Neymar disse na época que as imagens foram postadas por sua equipe.

ENTENDA O CASO
Neymar foi acusado de estupro, em junho de 2019, pela jovem Njaila Trindade. Na época, ele usou as redes sociais para se pronunciar publicamente sobre a acusação. Por meio de um vídeo no Instagram, o jogador negou as acusações e expôs conversas que teve com a suposta vítima pelo Whatsapp.

“Estou sendo acusado de estupro. É, é uma palavra pesada, uma coisa muito forte, mas é o que está acontecendo no momento. Fui pego de surpresa. Foi muito ruim e triste escutar isso. Quem me conhece sabe do meu caráter e da minha índole sabe que jamais faria uma coisa desse tipo”, lamentou.

“Estou aqui para dar a cara a bater. Sei que qualquer notícia que envolve meu nome tem um barulho muito grande e todo mundo fica querendo minha declaração. O que aconteceu foi o contrário do que dizem, estou muito chateado nesse momento, mas a partir de agora vou expor a conversa que tive com a menina, todos os nossos momentos, que são íntimos, mas é necessário expor pra provar que realmente não aconteceu nada demais”, disse antes de mostrar a troca de mensagens.

Neymar confirmou ter se envolvido com a suposta vítima, mas garante que a relação foi consensual: “O que aconteceu foi uma relação entre homem e mulher, dentro de quatro paredes, algo que acontece com todo casal e no dia seguinte não aconteceu nada demais, a gente continuou trocando mensagem, ela me pediu uma lembrança ao filho e eu ia levar. Agora fui pego de surpresa”, continuou.

O caso teria ocorrido em um hotel de Paris, no dia 15 de maio de 2019. Segundo informações divulgadas pelo G1, a vítima relatou ter encontrado o atleta embriagado e afirmou que em determinado momento ele ficou agressivo e a forçou uma relação sexual.

No vídeo, Neymar afirma que foi vítima de uma armadilha: “Acho que é o momento de todo ficar sabendo o que aconteceu. É ruim me colocar nessa situação, bem chato. É muito triste acreditar que o mundo está assim. Que existem pessoas que querem se aproveitar, que querem extorquir as outras. É doloroso, mas já que me colocaram nessa situação, estou explicando. Espero que a Justiça olhe as mensagens e veja o que aconteceu. É com muita tristeza e dor no coração que faço esse vídeo, que explico isso, uma situação bem chata não só pra mim como pra minha família. Peço perdão a eles por colocá-los nessa situação, eu não queria e fui induzido a isso. Foi uma armadilha e acabei caindo. Mas que isso sirva de lição”.

Em setembro do ano passado, Najila foi indiciada pela polícia de São Paulo por extorsão, fraude processual e denúncia caluniosa. O ex-marido dela, Estivens Alves, foi denunciado por fraude processual e divulgação de conteúdo erótico.

Segundo a assessoria de imprensa e comunicação da Secretaria da Segurança Pública de São Paulo, o indiciamento acontece depois da conclusão de dois inquéritos que tramitavam pelo 11º DP (Santo Amaro) envolvendo Neymar. As peças são desdobramentos do caso investigado e encerrado junto à 6ª Delegacia de Defesa da Mulher, sob presidência da Doutora Juliana Lopes Bussacos.

O pai de Neymar entrou com a ação de denúncia caluniosa e tentativa de extorsão de Najila. A modelo, por sua vez, denunciou o ex-marido por divulgação de conteúdo erótico. Os inqéritos, que correm sob segredo de Justiça, foram encaminhados ao Tribunal de Justiça para apreciação dos representantes do Ministério Público e do Poder Judiciário.

Leia, na íntegra, a nota divulgada pela assessoria de imprensa e comunicação da Secretaria da Segurança Pública de São Paulo sobre o caso:

“A Policia Civil informa que a Delegada de Polícia Monique Lima concluiu os dois inquéritos que tramitavam pelo 11º DP envolvendo Neymar da Silva Santos Júnior. As peças são desdobramentos do caso investigado e encerrado junto à 6ª Delegacia de Defesa da Mulher, sob a presidência da Doutora Juliana Lopes Bussacos, que tinha por  finalidade apurar suposto crime de estupro, do qual a senhora N.T.M.S. teria sido vítima, tendo como suposto autor o atleta. Com base no conjunto probatório reunido durante as investigações, a delegada decidiu pelo indiciamento de N. e ESTIVENS ALVES, seu ex-companheiro, pelo crime de fraude processual (art. 347, parágrafo único, CP). Decidiu, ainda, por indiciar Alves pelo artigo 218-C, por divulgar material com conteúdo erótico de N. para um repórter, em troca de publicações suas na internet. Após o esclarecimento da materialidade delitiva, procedida à realização das respectivas perícias e oitivas, a autoridade também decidiu pelo indiciamento de N. nos crimes de denunciação caluniosa e extorsão. Os inquéritos, que seguem sob segredo de Justiça, foram encaminhados ao Tribunal de Justiça para apreciação dos representantes do Ministério Público e do Poder Judiciário”.

Procurado por QUEM, Cosme Araújo, advogado de Najila, disse que ainda não teve acesso ao relatório final da advogada. Portanto, para evitar contradições, ele falou que só irá se manifestar quando tiver acesso a todo o inquérito.

A investigação sobre o suposto estupro foi arquivada em julho, após a polícia decidir não indiciar Neymar. De acordo com a delegada que investigou o caso, os depoimentos e provas apresentados à Polícia Civil pela modelo apresentaram “incongruências”.

(Por Léo Gregório)

Isolada em Londres, Poliana Botelho treina no quarto do hotel antes de lutar pelo UFC

A brasileira Poliana Botelho está em Londres para escala antes do evento do dia 17 de outubro. A lutadora tem confronto marcado com a canadense Gillian Robertson, pelo UFC Fight Night em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos.

Isolada no quarto de hotel enquanto cumpre o protocolo de prevenção ao novo coronavírus, a atleta mantém a rotina de treinos no espaço confinado e compartilhou nesta quinta-feira parte da atividade com os seguidores nas redes sociais.

Poliana entrará no octógono para luta pelo peso-mosca. Aos 31 anos, a mineira de Muriaé tem cartel de oito vitórias e duas derrotas (3 a 1 no UFC) e vem de resultado positivo contra Lauren Mueller, em abril do ano passado. A mineira vai para a sua quinta luta na organização e perdeu apenas uma vez até o momento.

Brasileira sua a camisa em treino no quarto do hotel — Foto: Reprodução/Instagram

Brasileira sua a camisa em treino no quarto do hotel — Foto: Reprodução/Instagram

Ceni exalta elenco do Fortaleza após vitória diante do Atlético-MG: “Motivo de orgulho”

No terceiro embate entre Ceni e Sampaoli, o treinador do Fortaleza levou a melhor novamente. Em jogo eletrizante na noite desta quarta-feira (7) pela 14ª rodada do Brasileirão, o Tricolor venceu o líder Atlético-MG por 2 a 1 e chegou ao sexto jogo consecutivo de invencibilidade na competição. Para o técnico do Leão, o apito final aliviou a tensão compartilhada com os jogadores durante os 90 minutos.

– A alma, o coração, eles sofrem comigo e tentam seguir o plano de jogo, acreditem nisso e tem confiança. Além de alma e coração, a dedicação foi uma grande prova, tem equipes melhores, tem treinadores melhores. Vamos perder jogos, pelo desgaste. Viajar amanhã, praticamente sem treinar – pontua.

– O incentivo que dão, os caras do banco, o grito é ouvido, a confiança e convicção. Chegar no meio do Brasileiro, com campeonato apertado não garante nada para o futuro, mas garante uma noite com confiança no dever cumprido. Não pode dormir, foi muito legal, mas sábado tem que provar tudo de novo. Era um jogo para ter 50 mil pessoas aqui, era merecido para o atleta isso – completa Ceni.

Rogério Ceni, técnico do Fortaleza — Foto: Thiago Gadelha / SVM

Rogério Ceni, técnico do Fortaleza — Foto: Thiago Gadelha / SVM

Dentro de campo, a escalação do Fortaleza surpreendeu. Com dois laterais em campo e três volantes, Rogério Ceni abriu mão do esquema 4-2-4 e improvisou, inclusive com Tinga como ponta. Para enfrentar o Atlético-MG, líder do Brasileirão e que vinha de quatro vitórias consecutivas, o treinador do Leão destaca que foi preciso arriscar.

– Era um jogo muito importante e resolvemos arriscar o que tínhamos. Agora, vamos fazer uma análise para sábado. A vitória contra o líder é boa para o Fortaleza pela visibilidade. Nós não temos disposição de brigar (pelo título) pelo acúmulo de jogos, mas a regra era por escapar e ver onde chegar. O importante é manter o Fortaleza na Série A, melhor descanso, academia, para ter um dia de entrar na Série A com possibilidade de entrar na Sul-Americana – salienta.

Confira outros pontos da coletiva de Rogério Ceni:

Jogo parelho

– São jogos que as pessoas assistem, o Atlético, assim como o Inter, tem mérito de ocupar a posição. O Atlético com boa distancia para o segundo. Quando se vence uma equipe dessas, é motivo de orgulho. Time que veio dois anos da Série B, disputou a primeira vez, enfrentou de igual para igual, sofreu pela situação do jogo, mas conseguiu.

Fortaleza x Atlético-MG, comemoração — Foto: Bruno Oliveira/FortalezaEC

Fortaleza x Atlético-MG, comemoração — Foto: Bruno Oliveira/FortalezaEC

Variação no time

– Eu tento montar cada time o sistema é um só ,tem pouca variação, mas entendo muito que tem jogo para três atacantes, um nove. O Atlético vem se impondo, 3 a 1 no Grêmio, 4 a 1 no Vasco, tem que entender que aquele dia era um velocista para contra-golpe. Tinga e Ronald são mais resistência, e deixamos por dentro Romarinho e David. Às vezes, a gente tem duvida, debate muito, se tem a opinião só é burro, o debate é importante.

Por Luciano Rodrigues — Fortaleza, CE

Repórter quer processar servidor que a agrediu: “Racismo explícito e cruel”

A repórter Julie Alves, de 44 anos, ainda não se recuperou do susto que passou trabalhando ao fazer uma denúncia no posto de saúde do Mucajá, bairro de Japeri, na Baixada Fluminense. A jornalista e o cinegrafista Vângelis Floyd Ferreira, de 35 anos, foram vítimas de agressão e racismo por Clodoaldo Silva de Souza, diretor da Unidade Médica de Engenheiro Pedreira (Umep). Em conversa com Quem, a apresentadora do Fala Baixada, do canal CNT Rio, revelou que pretende processar o servidor público.

“É muito difícil se recuperar psicologicamente de um fato como este que nos abala muito. Recebi muitas ligações de amigos e familiares preocupados com a minha integridade, mas eu preciso trabalhar. Tenho dois filhos para criar e só quero fazer o meu trabalho. Quero ser respeitada. O racismo existe, não é velado. Esse episódio é um racismo explícito e cruel. Espero que esse crime que aconteceu comigo, sirva de exemplo para outros colegas não abaixarem a cabeça e não deixarem que ninguém o diminua pela sua cor. Eu e o cinegrafista estamos conversando sobre isso para procurar um advogado e irmos atrás de nossos direitos”, diz.

Segundo o relato de Julie, ela entrou com a câmera ligada no posto de saúde e o homem teria dito: “Vai gravar sua macaca?. Vai gravar seu gordão?’”. Em seguida, o servidor teria dado um tapa no braço dela e derrubou o microfone da repórter no chão. “Depois de toda a confusão, que ele veio para cima da gente, eu e o cinegrafista fomos levados para uma sala, que estávamos passando mal, e lá dentro estava a secretária de saúde, Rosilene Moraes dos Anjos, e o funcionário dela entrou depois para nos intimidar e nos ameaçou, mais uma vez, dentro do gabinete. Foi quando saímos e fomos levados pelo Samu para outro hospital. Tive uma crise de nervoso e pressão arterial alterada”, relata a repórter, que depois foi até a 63ªDP (Japeri) registrar um boletim de ocorrência.

Jornalista de formação há 11 anos, Julie afirma nunca ter vivido uma situação parecida na carreira, mas ela alega conhecer o preconceito racial bem de perto. “Desta vez, fiquei com medo, porque tenho um bebê e um filho de 18 anos, mas já passei por situações ruins, sim. Uma vez fui a única repórter barrada em um evento de escola de samba. Já aconteceu também de me perguntarem se a repórter estava vindo e eu tive que responder que a repórter era eu. Quero um dia poder ligar minha televisão ver mais representatividade, como é a Maju Coutinho. Me lembro quando ela assumiu o Jornal Hoje, ela teve que provar que merecia estar ali, como se ela não tivesse entrado pelo mérito dela e por cota. Isso é muito chato”, lamenta.

Com passagem no SBT e na Rede TV!, onde atuou como repórter da Sonia Abrão, Julie lutou muito para se formar em Jornalismo. “Só consegui concluir o ensino superior com uma bolsa de estudos. Tive uma infância muito pobre, no Complexo da Maré, no Parque União. Minha mãe criou quatro filhos sozinha. Todos nós recebemos valores que não se aprende na rua e principalmente a respeitar o próximo. Ela foi a grande incentivadora da minha carreira. Meu primeiro estágio foi no jornal O Cidadão, um veículo alternativo, no Complexo da Maré, que ganhou dois prêmios no imprensa livre. Foi ali que abri meus olhos para o jornalismo comunitário”, lembra.

Apesar da experiência no jornal comunitário, a repórter nunca escondeu seu sonho de trabalhar na TV. “Por diversas vezes, ouvi das pessoas que seria impossível eu chegar na televisão, por eu ser negra e da favela. Mas minha mãe sempre me incentivou a estudar e buscar o meu reconhecimento profissional”, admite.

Antes de cursar a faculdade, Julie atuou como modelo. “Antes disso, também trabalhei como manequim. Desfilei para lojas de departamentos, participei de concursos de beleza. Me lembro a primeira vez que entrei no Copacabana Palace foi como modelo e aquilo tudo era um refúgio para a menina da favela. Estava ali para participar, comer uma comida boa, conhecer os lugares legais da zona sul, não ia nem com a intenção de ganhar. Só de estar ali, já era uma alegria muito grande para mim e minha família”, orgulha-se.

O trabalho no mundo da moda foi a porta de entrada para uma realidade diferente da que ela estava acostumada. “A nossa vida era dureza mesmo. A alimentação era bem limitada, as roupas que eu usava para ir nesses lugares, era uma vizinha que me emprestava. A nossa vida era muito sofrida, mas sempre fui muito feliz e com esperança em um futuro melhor. Estudei, batalhei e fui atrás dos meus sonhos. Sou muita grata a todas as pessoas que me ajudaram e me deram oportunidade”, conclui.

  • RAFAEL GODINHO (@RAFAGODINHO)

Segundo debate entre presidenciáveis nos EUA será virtual, diz comissão; Trump diz que não vai participar

A comissão que organiza os debates entre os dois principais candidatos a presidente dos Estados UnidosJoe Biden e Donald Trump, anunciou nesta quinta-feira (8) que o segundo confronto entre eles será feito remotamente, sem que os dois estejam no mesmo local. O encontro está agendado para o dia 15 de outubro.

Trump disse que se recusa a participar de um debate virtual. Ele deu uma entrevista por telefone a um programa da rede de TV Fox.

“Eu não vou perder meu tempo com um debate virtual, essa não é a ideia de um debate. Senta-se atrás de um computador e se debate, é ridículo. Isso não é aceitável para a gente”, disse ele.

primeiro debate entre os dois aconteceu em 29 de setembro. Três dias depois, Trump anunciou que estava com Covid-19. Os candidatos a vice também tiveram seu confronto, que foi presencial, nesta quarta-feira.

O presidente afirmou que só soube da decisão de organizar um debate virtual nesta quinta-feira, minutos antes de sua participação por telefone no programa de TV. Ele acusou a comissão que organiza o debate de tentar proteger Biden.

Planalto vai usar julgamento para avaliar posição de ministros do STF sobre Bolsonaro

O Palácio do Planalto vai acompanhar de perto o julgamento desta quinta-feira (8) do Supremo Tribunal Federal (STF) para medir como está a posição de cada ministro sobre o presidente Jair Bolsonaro. Segundo assessores presidenciais, mais do que definir como será o formato do depoimento, a sessão vai sinalizar como cada membro do tribunal está avaliando o presidente atualmente.

Na última sessão de plenário antes da aposentadoria do decano Celso de Mello, o STF vai julgar o recurso da Advocacia Geral da União (AGU) que pede para que o presidente Jair Bolsonaro deponha por escrito no inquérito que investiga se houve interferência politica na Polícia Federal.

Celso de Mello, relator do inquérito, determinou o depoimento por escrito, mas o tema divide opiniões dentro do tribunal.

Depois de um período de embates com o Judiciário, que marcaram boa parte do primeiro ano de mandato e início do segundo, o presidente Jair Bolsonaro mudou de postura, principalmente depois da abertura de investigações no STF contra ele e seus apoiadores, e passou a buscar uma relação mais pacífica com os ministros da Suprema Corte.

Neste período, ele se aproximou principalmente de ministros como Dias Toffoli e Gilmar Mendes, procurados pelo presidente na semana passada para apresentar o seu escolhido para a vaga de Celso de Mello no Supremo, o desembargador Kássio Nunes Marques. A escolha do desembargador, que agradou boa parte do Supremo, seguiu a estratégia de ter uma relação mais harmoniosa com o STF.

Quarta-Feira dia 7 de outubro de 2020 foi marcado por mais uma grande apresentação do Flamengo e seus diretores já conversam com empresários para manter Pedro

O Flamengo já se movimenta para manter Pedro no clube. Destaque da equipe em 2020, o artilheiro marcou seis gols nas últimas cinco partidas e assumiu de vez o ataque rubro-negro na ausência de Gabigol. Valorizado, ele está na pauta da diretoria rubro-negra, que conversa com os empresários do jogador para definir o melhor formato de negócio.

Pedro está emprestado pela Fiorentina ao Flamengo até dezembro. Este também é o prazo que o Flamengo tem para exercer a compra do jogador. No total, precisa pagar 12 milhões de euros (R$ 79 milhões na cotação atual).