Deputado de MS lamenta atuação de companheiro na CPI da Covid

O deputado federal Fábio Trad (PSD) utilizou as redes sociais na tarde desta quarta-feira (12) para criticar a atuação do companheiro de partido, o senador Omar Aziz (PSD-AM) que é presidente da CPI da Covid, ao descartar pedir a prisão do ex-secretário de Comunicação da Presidência, Fábio Wajngarten por mentir em seu depoimento.

Na visão do parlamentar sul-mato-grossense, foi um erro as palavras ditas pelo senador e que não levar o pedido adiante não seria um ato de força, mas de defesa da seriedade da apuração da CPI.

“É do meu partido, mas errou lamentavelmente. A mentira foi evidenciada pela materialidade da gravação. A prisão não seria um ato de força, mas de defesa da própria seriedade da CPI. Errou, Senador Aziz”, disse Trad.

Nesta quarta-feira, o relator da CPI da Covid, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) pediu a prisão do ex-secretário por mentir nas falas do seu depoimento e negar as falas ditas para uma entrevista à revista Veja. Na época, Wajngarten disse que houve incompetência do Ministério da Saúde no processo de compra das vacinas.

“O presidente pode decidir diferentemente. Mas eu vou pedir a prisão de vossa senhoria. É um espetáculo de mentira que não pode servir de precedentes”, disse Calheiros.

Em um primeiro momento, Aziz disse que o depoimento do ex-secretário trouxe novas informações para a CPI e em uma nova oportunidade, declarou que não daria andamento ao pedido do companheiro do Senado.

“Não tomarei essa decisão. Eu tenho tomado decisões aqui muito equilibradas até o momento, mas eu ser carcereiro de alguém, não. Sou democrata. Se ele mentiu, temos como pedir indiciamento dele, mandar para o Ministério Público para ele ser preso, mas não por mim. Só depois que ele for julgado, e aqui não é tribunal de julgamento”, disse o presidente da CPI.

Top Mídia News/ Foto: Leopoldo Silva/ Senado

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *