Neste exato momento esta em chamas a Nativas Churrascaria na Afonso Pena

Inaugurada a pouco tempo na capital, já estava conquistando seu espaço pela qualidade do churrasco, atendimento e localização, infelizmente um incidente na chaminé da Churrasqueira, segundo fontes, foi a origem do início do fogo.

Pessoas que passavam pelo local, como o empresário Júnior da loja Auto1000, tentaram ajudar a apagar o incêndio até com extintores de carros.

Mesmo com a chegada dos bombeiros, o fogo se alastrou e aparentemente a destruição e o Prejuízo serão enormes.

Com muita tristeza e de primeira mão estamos realizando essa matéria, somos clientes e víamos nesse empreendimento um padrão acima dos outros estabelecimentos no ramo em Campo Grande.

Desejo que os proprietários possam se recuperar dessa perda e que Deus ilumine todos, funcionários, donos, clientes, colaboradores.

(O fogo começou na churrasqueira, estavam assando costelas quando o fogo subiu pela coifa e chegou ao telhado, um comerciante e seu filho que passavam pelo local, pararam para avisar … os funcionários não tinham noção das proporções do incêndio, pensaram se tratar apenas da churrasqueira, porém ao serem informados por Carlos e seu filho, de que o fogo já estava no telhado, os funcionários saíram desesperados, inclusive alguns pularam o muro durante a fuga).

(Agora na segunda onda das chamas, a fumaça preta está bem mais densa, provavelmente chegou nos forros do telhado e na dispensa, pois a fumaça preta e densa assemelha-se a fumaça de plásticos queimados)

(Já não conseguimos ver nem as janelas)

Tristeza e comoção

 

 

Presidente Carlão destaca importância da criação de memorial em homenagem às vítimas da Covid-19 na Capital

“Em tempos de tantas perdas e despedidas dolorosas, vivemos uma verdadeira guerra contra o vírus da Covid-19. Esse memorial é mais do que justo para homenagear a cada vítima desta Pandemia que impactou nossa geração. São pessoas especiais para seus amigos e familiares e muito mais que números, são vidas que entram para a história dessa tragédia mundial”. Disse o vereador Carlos Augusto Borges (Carlão PSB), presidente da Câmara Municipal de Campo Grande, ao declarar na manhã desta quinta-feira (17.06) a aprovação, em primeira discussão e votação, do Projeto de Lei 9.980/21. O PL é de autoria dos vereadores Silvio Pitu e do próprio Carlão e dispõe sobre a criação de Memorial em Homenagem aos Mortos em Decorrência da Covid- 19 na Capital.

“O objetivo é guardar a memória dos cidadãos mortos pela Covid-19; prestar homenagem às vítimas mortas; marcar historicamente o enfrentamento e as consequências da pandemia no Município, além de oferecer aos familiares, amigos e munícipes em geral um local de homenagem. Também está prevista a criação de um memorial virtual, no site da prefeitura. Foi aprovada ainda uma emenda com a denominação do memorial de Apóstolo Edilson Vicente da Silva, que faleceu em agosto de 2020 vítima de complicações da Covid-19”, explicou o presidente.

Carlão destacou que além das homenagens é preciso manter a luta contra o vírus. Conservando as medidas de prevenção como o uso de máscara, higienização das mãos e evitar aglomerações.

“A vacinação é a nossa esperança para vencermos o Covid-19! Além das medidas de prevenção. Temos trabalhado e cobrado do Poder Executivo, em todas suas instâncias, para que todos da Capital possam ser vacinados o mais rápido possível”.

O projeto de Lei será votado novamente na próxima semana e depois encaminhado para sanção do prefeito Marcos Trad.

O Deputado Estadual de MS, Amarildo Cruz, lamenta as mais de 500 mil mortes e coloca na conta do Desgoverno Bolsonaro

Quinze meses após o início do primeiro caso no Brasil, a ‘gripezinha’ já deixou saldo de meio milhão de vidas perdidas para a Covid-19. Quero deixar aqui meus sentimentos às famílias de todas as vítimas, muitas das quais tive o privilégio de conviver. Me despedi de vários companheiros. Não poderia deixar de lembrar, entre eles, do deputado Cabo Almi. Dói pensar que muitos teriam sido salvos se não fosse esse desgoverno do presidente Bolsonaro. E como sempre as populações mais vulneráveis são as mais atingidas. Àqueles que ficaram, resta brigar para que a vacina chegue a todos. Somente com vacinação ampla, geral e irrestrita é que vamos vencer a pandemia.
Pode ser uma imagem de 19 pessoas e texto que diz "500 mil mortes por covid no Brasil equivalente a um quinto da populaç WAI de MS"

Brasil registra 2.247 mortes por Covid-19 em 24 horas e chega a 500.868 vidas perdidas

RIO — O Brasil registrou neste sábado 2.247 novas mortes por Covid-19. Com isso, o país totaliza 500.868 vidas perdidas para o novo coronavírus. A média móvel ficou em 2.073 óbitos, um aumento de 27% em comparação com o índice de duas semanas atrás. É o quarto dia consecutivo que o cálculo fica acima de 2 mil.

Os dados são do consórcio formado por O GLOBO, Extra, G1, Folha de S.Paulo, UOL e O Estado de S. Paulo e reúne informações das secretarias estaduais de Saúde divulgadas diariamente até as 20h.

Roraima não divulgou novos registros de óbitos pois, segundo a Secretaria de Saúde, aos finais de semanas os municípios não alimentam o sistema estadual que centraliza esses dados.

Nas últimas 24h, foram confirmados 78.869 novos casos de Covid-19, totalizando 17.881.045 infectados pelo Sars-CoV-2. A média móvel foi de 72.007 diagnósticos positivos, um crescimento de 16% em comparação ao cálculo de 14 dias atrás.

A “média móvel de 7 dias” faz uma média entre o número do dia e dos seis anteriores. Ela é comparada com a média de duas semanas atrás para indicar se há tendência de alta, estabilidade ou queda dos casos ou das mortes. O cálculo é um recurso estatístico para conseguir enxergar a tendência dos dados abafando o “ruído” causado pelos finais de semana, quando a notificação de óbitos reduz por escassez de funcionários em plantão.

O país ultrapassou a marca de 500 mil mortes pela Covid-19 neste sábado, mesmo dia em que milhares de manifestantes foram às ruas contra o governo Bolsonaro. Os atos pedem o impeachment do atual presidente da República e o avanço da vacinação em meio a críticas à gestão da pandemia no Brasil.

Vacinação contra a Covid-19

Vinte e um estados brasileiros atualizaram seus dados sobre vacinação contra a Covid-19 neste sábado. Em todo o país, 62.706.083 pessoas receberam a primeira dose de um imunizante contra a doença, o equivalente a 29,61% da população brasileira.

A segunda dose da vacina, por sua vez, foi aplicada em 24.243.552 pessoas, ou 11,45% da população nacional.

Nas últimas 24h, o país registrou a aplicação de 846.719 vacinas como primeira dose, e 71.746 pessoas receberam a segunda dose.

Cristiano Ronaldo atinge 28 km/h e percorre 99m em 14s em gol de Portugal contra Alemanha

Portugal perdeu, mas Cristiano Ronaldo não deixou de mostrar a sua força. O seu lado “Robozão”. Para abrir o placar na derrota por 4 a 2 contra a Alemanha, o craque, aos 36 anos, percorreu 99 metros e atingiu uma velocidade máxima de 28 km/h (veja o tira-teima no vídeo acima).

O próprio camisa 7 começou o lance. É ele quem rebate, de cabeça, o escanteio cobrado por Kroos. A bola cai nos pés de Bernardo Silva, que começa o contragolpe pela direita. Ronaldo sai em disparada, a partir da pequena área portuguesa, e, 14 segundos depois, aparece para mandar para o gol, após passe de Diogo Jota. Vale ressaltar: ele desacelera nos segundos finais, perto da área alemã.

O campo da Arena de Munique tem uma extensão de 105 metros. Ronaldo se deslocou exatamente entre as duas pequenas áreas. Em linha reta, a distância entre o ponto de partida do camisa 7 e o ponto da finalização é de 97 metros. Como o atacante anda em diagonal ao chegar perto da área de Neuer, a distância total percorrida pelo jogador é de 99 metros.

A velocidade no arranque foi alta, mas não está entre as maiores registradas na Eurocopa até o momento. Segundo dados da Uefa, o lateral italiano Spinazzola foi quem alcançou o maior número: 33,8 km/h.

Ronaldo é o artilheiro da Euro, com três gols, ao lado do tcheco Schick. Cristiano está a dois gols de igualar o recorde do iraniano Ali Daei como maiores artilheiros de uma seleção da história. O português chegou aos 107 por Portugal, e Daei fez 109 com o Irã.

A França lidera o Grupo D, com quatro pontos, seguido da Alemanha, que tem três. Portugal aparece em seguida, também com três pontos, mas fica atrás dos alemães no confronto direto. A Hungria é a lanterna da chave, com um ponto.

A última rodada vai ser disputada na próxima quarta-feira, com os dois jogos às 16h (de Brasília): Portugal e França se enfrentam em Budapeste, e a Alemanha recebe a Hungria em Munique. Os jogos vão ter transmissão do SporTV e acompanhamento em tempo real no ge.

 

UFC: Zumbi Coreano vence Ige, e Bruno Blindado estreia com nocaute

Com uma atuação de muita técnica e a estratégia bem desenhada, Chan Sung Jung, o Zumbi Coreano, mostrou mais uma vez que é um dos melhores nomes da divisão dos penas (até 66kg) do Ultimate. Neste sábado, na luta principal do UFC Zumbi Coreano x Ige, em Las Vegas (EUA), ele venceu Dan Ige por decisão unânime (48-47, 49-46 e 49-46) e recuperou-se da derrota sofrida contra Brian Ortega em sua última performance.

Chan Sung Jung venceu Dan Ige por decisão unânime (48-47, 49-46 e 49-46) — Foto: Getty Images

Chan Sung Jung venceu Dan Ige por decisão unânime (48-47, 49-46 e 49-46) — Foto: Getty Images

A luta

O round inicial teve Zumbi Coreano dominando o centro do octógono e sendo mais ativo. Ele chegou a colocar o americano para baixo, mas Ige escapou e voltou a ficar de pé. No segundo assalto, Ige tentou igualar as ações na trocação, mas o sul-coreano era mais efetivo. O americano tentou uma queda, mas Zumbi se defendeu bem.

Zumbi Coreano conseguiu uma queda logo no começo do terceiro assalto e trabalhou de dentro da guarda do rival. Ele transitou para as costas, fechou o triângulo na linha de cintura, mas Ige defendeu bem o pescoço até o fim. Os lutadores voltaram em ritmo mais lento para o quarto round. O americano passou a ser mais efetivo e conectou os melhores golpes, mas com um minuto para o fim foi derrubado novamente e precisou sobreviver às cotoveladas do sul-coreano.

Anderson Silva vence Julio Cesar Chaves Jr em sua reestreia no boxe

Um dos maiores nomes da história do MMA, Anderson Silva ganhou os holofotes na madrugada deste domingo dentro do ringue e não do habitual octógono. Aos 46 anos, o brasileiro foi protagonista de uma luta de boxe no Estádio Jalisco, em Guadalajara, no México. Anderson venceu o mexicano Julio Cesar Chaves Jr.

Spider comemora vitória no México — Foto: Manuel Velasquez/Getty Images

Spider comemora vitória no México — Foto: Manuel Velasquez/Getty Images

A luta marcou a reestreia de Anderson na modalidade. Ele já tinha feito outros dois combates oficiais no boxe, o mais recente deles em 2005. Com o resultado deste sábado, Spider tem agora no cartel duas vitória e uma derrota nos ringues. Vale destacar ainda que para a luta contra Chaves Jr., Anderson Silva treinou com Luiz Dórea, que foi treinador de Acelino Popó Freitas.

Ao contrário de Anderson, Julio Cesar Chaves Jr é boxeador nato, tendo sido campeão mundial dos médios pela WBC entre 2011 e 2012. Estava longe dos ringues desde novembro de 2020, quando venceu por nocaute técnico o equatoriano Jeyson Minda.

O duelo contra Julio Cesar Chaves Jr começou movimentado ainda nos bastidores, no momento da pesagem. Isso porque o mexicano não conseguiu bater o peso e teve de pagar mais de R$ 505 mil como multa. Chavez Jr pesou 184 libras (cerca de 83,4kg), duas a mais que o limite de 182 libras (cerca de 82,5kg).

Flamengo domina, mas não decide, cansa e é castigado contra um arrumado Bragantino

Uma derrota doída pelas circunstâncias e porque o Flamengo fez por onde vencer o Bragantino na noite de sábado.

Superior na maior parte dos 90 minutos, o time de Rogério Ceni teve domínio, mas não teve pernas para bater o bem armado time de Maurício Barbieri no Maracanã. O treinador ficou com quatro substituições nas mãos, viu seus jogadores tomarem decisões equivocadas a medida que a perna pesava e recebeu o castigo no lance final.

Rogério Ceni em derrota do Flamengo para o Bragantino — Foto: Thiago Ribeiro / Agif

Rogério Ceni em derrota do Flamengo para o Bragantino — Foto: Thiago Ribeiro / Agif

Em entrevista coletiva, Rogério Ceni explicou que a falta de opções ofensivas fez com que optasse somente pela troca de Michael por Max em todo o jogo. O cansaço evidente de nomes como Diego e Gerson, por sua vez, indicava para a chamada mudança de seis por meia-dúzia para que o Flamengo ganhasse fôlego e lucidez, que fizeram falta a partir da metade do segundo tempo.