Bolsonaro espalha mais uma fake news em live: a de que nunca houve ditadura no Brasil

Durante sua live semanal desta quinta-feira (14), o presidente Jair Bolsonaro negou que tenha existido ditadura militar no Brasil ao comentar sobre as provas do ENEM de 2019. O exame foi criticado por excluir a temática do golpe de 1964 pela primeira vez desde a criação da prova. Além disso, Bolsonaro afirmou que chamá-lo de homofóbico, racista ou misógino é fake news.

“A imprensa falou ‘não houve questão sobre ditadura’. Bem, parabéns, imprensa, nunca teve ditadura no Brasil. Que ditadura foi essa? Sem querer polemizar, onde você tinha direito de ir e vir, você tinha liberdade de expressão, você votava… Não vou entrar em detalhe, não vou polemizar. Querem chamar de ditadura, pode continuar chamando, sem problema nenhum”, afirmou.

A ausência do tema foi bastante criticada e muitos professores entenderam como uma forma de censura promovida pelo governo Bolsonaro contra o INEP, responsável pelo exame.  Uma comissão foi criada no instituto para analisar os conteúdos que sairiam na prova, já que Bolsonaro determinou que não fossem abordados temas “ofensivos” e “inadequados”, como questões raciais, de gênero, sobre diversidade, entre outras.

Revista Forum

Senador Nelsinho consegue R$ 4,5 milhões de recursos federais para MS

Doze municípios são atendidos pela União. Entre eles: Campo Grande, Dourados, Três Lagoas e Ponta Porã
Nesta semana, o senador Nelsinho Trad (PSD) conseguiu a liberação de R$ 4,5 milhões da União para Mato Grosso do Sul. Até segunda, o montante era de R$1,4 milhão para quatro municípios e, ontem, mais oito municípios foram contemplados com R$ 3,1 milhões de recursos federais.
Na lista dos beneficiados estão: Campo Grande, Dourados, Três Lagoas, Ponta Porã, Angélica, Antônio João, Coronel Sapucaia e Eldorado. “Com a nossa articulação junto aos ministérios, estamos trabalhando por todos os municípios de Mato Grosso do Sul”, destacou o senador Nelsinho Trad.
Campo Grande, segundo o senador, vai receber do Ministério do Desenvolvimento Regional o valor de R$ 767.501,00 para as obras de drenagem do Rio Anhandui e dos Córregos Cabaças e Areias. “Essas obras vão melhorar e muito a questão das enchentes principalmente nessa época de chuvas e deverão garantir o escoamento adequado das águas pluviais”, disse o parlamentar.
A segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul, Dourados, terá também do Ministério do Desenvolvimento Regional uma parcela no valor de R$ 576.522,00 para as obras de ampliação do sistema de esgotamento sanitário da cidade. “Estão sendo construídas novas redes de esgoto e implantadas ligações domiciliares. É importante lembrar que saneamento básico promove saúde e qualidade de vida, e é um serviço essencial. Parabéns, Dourados”, enfatizou o senador.
Em Três Lagoas, a população também será beneficiada pelo Ministério do Desenvolvimento Regional com obras de ampliação do sistema de esgotamento sanitário da cidade. “Esses recursos somam uma parcela no valor de R$ 1.124.371,57 para essas obras”, comentou o senador Nelsinho Trad.
Ponta Porã é outro município atendido nesta semana. “Conseguimos a liberação, via Fundo Nacional da Educação, parcela no valor de R$ 57.606,00 para as obras da creche no Residencial Manuel Padial”, informou.
O município de Angélica será contemplado pelo Ministério da Agricultura com R$ 332 mil para aquisição de patrulha mecanizada. O Ministério da Cidadania liberou R$ 121 mil para Antônio João fazer a reforma do ginásio de esportes, R$ 56 mil para Coronel Sapucaia.
Outros quatro municípios
Na segunda-feira, o senador informou a liberação de R$ 1,4 milhão de reais de recursos do Governo Federal para Glória de Dourados, Iguatemi, Novo Horizonte do Sul e Dois Irmãos do Buriti.
Novo Horizonte do Sul recebeu R$ 1.069.550,68 da Defesa Civil.  “Recebemos o comunicado de verba extra de 774.980,78 na sexta cedo para reconstrução de galeria de águas pluviais e, no fim da tarde, veio a liberação de mais R$ 294.569,90 para reconstrução de bueiros e canais para escoamento da água das chuvas. São recursos para contenção de enchentes”, comentou o senador.
O município de Glória de Dourados terá R$ 77 mil da Cidadania para aquisição de equipamentos, um projeto apresentado pelo Pedro Chaves, quando estava no Senado. No Ministério da Educação, o Fundo Nacional da Educação (FNDE) vai liberar já uma parcela de R$ 187 mil para Iguatemi. Já os moradores de Dois Irmãos do Buriti terão apoio do Ministério da Saúde para reforma da Unidade Básica de Saúde do Assentamento Santa Amélia. “Foram liberados R$ 72.865,00”, enfatizou Nelsinho Trad.
Assessoria do Senador

Marido de paciente em trabalho de parto agride obstetra e é preso, em SC

De acordo com informações da assessoria de imprensa do Hospital e Maternidade Marieta Konder Bornhausen, em Itajaí, Santa Catarina, a agressão aconteceu na manhã desta quarta-feira (13), durante o atendimento a uma paciente em trabalho de parto. “Enquanto a mulher era atendida, o marido dela – de forma inesperada – agrediu o obstetra com socos”, afirma a nota oficial.

De acordo com a Divisão de Investigação Criminal (DIC), de Itajaí, o marido já teria avisado ao médico que não tocasse na mulher dele quando ele não estivesse por perto. “Mas ela entrou em trabalho de parto e o marido estava trabalhando. Quando ele chegou ao hospital, já partiu para cima do obstetra, agredindo”. Ainda segundo a polícia, o marido já teria registros policiais por crimes como ameaças e lesão corporal. Após a agressão, o casal foi para o hospital Ruth Cardoso, em Balneário Camboriú, onde o agressor foi preso pela polícia militar.

O Hospital Marieta informou que o médico sofreu lesões graves e, nesse momento, passa por uma cirurgia reconstrutiva da face. Em nota, afirmou ainda que “repudia veementemente” a agressão realizada a um dos médicos da instituição: “O Hospital Marieta tomará todas as medidas para dar suporte assistencial ao médico, quanto para que o agressor suporte as consequências legais dessa condenável atitude”, finalizou. Os nomes do médicos e do agressor não foram divulgados.

Crescer/SABRINA ONGARATTO

HÁ ALGUM BENEFÍCIO COM O FIM DO SEGURO OBRIGATÓRIO DPVAT? TALVEZ NÃO

Nesta última segunda (11), o presidente Jair Bolsonaro assinou uma medida provisória que extingue o DPVAT. E não há nenhum lado positivo nesta determinação.

Especialistas ouvidos pela AUTOESPORTE são unânimes: o fim do DPVAT prejudica todos os cidadãos, motoristas ou não. Em nota oficial, o Governo Federal justificou que o fim do seguro obrigatório iria coibir potenciais fraudes, mas especialistas descartam a validade dessa razão.

“Você não pode causar mais prejuízo do que está querendo evitar”, diz Walter Cintra, coordenador do curso de especialização em administração hospitalar e de sistema de saúde da Faculdade Getúlio Vargas.

Armando Silva de Souza, presidente da comissão de trânsito da OAB, completa: “Se existem desvios, eles devem ser apurados e os autores responsabilizados criminalmente. Mas jamais se deve acabar com um seguro que beneficia milhões de brasileiros em razão de uma alegada fraude”.

O SUS será diretamente impactado com a medida provisória, caso seja de fato aprovada pelo Congresso. Em 2018, 45% da arrecadação do DPVAT foi direcionado para o Sistema Único de Saúde, ou o equivalente a R$ 2,1 bilhões.

“É um recurso que faz falta para um sistema sobrecarregado e com orçamento congelado”, define Cintra. Por sua vez, Souza aponta para a contradição por parte do governo ao abrir mão de um recurso financeiro destinado ao seu próprio funcionamento.

De qualquer maneira, com repasse do DPVAT ou não, teoricamente o SUS continuará a atender todos os acidentados. Porém, a tendência é que o sistema fique ainda mais sobrecarregado.

VÍDEO MOSTRA BOLSONARO NA CÂMARA NA NOITE DA MORTE DE MARIELLE

Na noite da morte de Marielle , 14 de março de 2018, Jair Bolsonaroapareceu ao lado do então deputado Alberto Fraga, no plenário da Câmara, enquanto o ex-deputado discursava a favor de um requerimento apresentado por ele para pedir a urgência na votação de um projeto de segurança pública.

A íntegra do vídeo está no perfil do YouTube da Câmara dos Deputados.

Bolsonaro votou pela aprovação deste requerimento às 19h36m.

Ganhou força na internet, desde ontem, a suspeita de que Bolsonaro poderia ter viajado ao Rio de Janeiro, ao contrário do que o próprio afirmou e do que diz o sistema biométrico da Câmara. Outrosdocumentos encontrados pela coluna já haviam indicado que Bolsonaro ficou em Brasília naquele dia. O vídeo é a mais uma evidência de que a versão apresentada por Bolsonaro é a verdadeira.

Época/guilherme Amado

Celulares pré-pagos com cadastros desatualizados serão bloqueados em 17 estados, diz Anatel

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) anunciou que celulares pré-pagos que não tiverem cadastro atualizado depois de terem recebido notificação das operadoras terão as linhas bloqueadas na próxima segunda-feira (18).

A medida vale para consumidores dos estados de Alagoas, Amazonas, Amapá, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Roraima, Sergipe e São Paulo.

Segundo a Anatel, menos de 1% dos 91 milhões de celulares pré-pagos dessas regiões apresenta alguma pendência cadastral.

Esta é última fase da campanha de comunicação aos consumidores com cadastros desatualizados, realizada pelas operadoras Algar, Claro, Oi, Sercomtel, Tim e Vivo, dentro do Projeto Cadastro Pré-Pago, acompanhado pela Anatel.

O objetivo, segundo a agência, é garantir uma base cadastral “correta e atualizada”, a fim de evitar a ocorrência de fraudes (linhas associadas indevidamente a CPFs) e, dessa forma, ampliar a segurança dos consumidores.

Como atualizar o cadastro

Quem tiver a linha pré-paga bloqueada poderá fazer a atualização dos dados cadastrais junto à sua prestadora por meio dos canais de atendimento, como call center e espaço reservado ao consumidor na internet.

Nesse contato, devem ser informados o nome completo e o endereço com o número do CEP. No caso de pessoa física, é necessário o número do CPF e, para pessoa jurídica, o CNPJ. Também poderão ser solicitadas informações adicionais de validação do cadastro.

‘Tem pessoas que cortam o meu cabelo que são negras, amigos que são negros’, se defende suspeito de injúria racial no Mineirão

Os dois suspeitos de praticar injúria racial contra o segurança Fábio Coutinho, no Mineirão, disseram, nesta terça-feira (12), que querem se encontrar com o segurança Fábio Coutinho para pedir desculpas. Os irmãos Adrierre Siqueira da Silva, de 37 anos, e Natan Siqueira Silva, de 28, foram ouvidos no Departamento de Operações Especiais (Deoesp), na Região da Pampulha.

O fato ocorreu domingo (10), durante o clássico entre Atlético-MG e Cruzeiro, que acabou em pancadaria dentro e fora do estádio, com 65 detidos em Belo Horizonte. Os irmãos chegaram à delegacia nesta terça, por volta de 12h, acompanhados da advogada Aline Lopes Martins .

Natan negou que tenha chamado o segurança de macaco.

“De forma alguma, tanto é que eu tenho irmão negro, tenho pessoas que cortam o meu cabelo que são negros, amigos que são negros. Isso não foi da minha índole, pelo contrário. A forma que está circulando nas redes sociais, na imprensa, que eu dirigi a palavra a ele de ‘macaco’, de forma alguma eu falei aquilo. A palavra direcionada foi ‘palhaço’ e não ‘macaco’”, disse.

O irmão, Adrierre, cuspiu no segurança e em seguida gritou: “Olha sua cor!”. Nesta terça, ele disse estar arrependido.

“Estava com os ânimos exaltados na hora do jogo e quero pedir perdão a ele, por todos os insultos que eu fiz, pelo cuspe que eu proferi. Aquilo não é da minha índole”.

Após publicações de atleticanos e cruzeirenses nas redes sociais dizendo que os suspeitos não deveriam frequentar mais o estádio, Adrierre também pediu desculpas aos torcedores.

Adrierre Siqueira da Silva, de 37 anos, prestou depoimento nesta terça-feira (12), por praticar injúria racial contra segurança no Mineirão — Foto: Saulo Luiz/TV Globo

Adrierre Siqueira da Silva, de 37 anos, prestou depoimento nesta terça-feira (12), por praticar injúria racial contra segurança no Mineirão — Foto: Saulo Luiz/TV Globo

Excluídos de programa de sócios do Atlético-MG

No fim da tarde desta terça, a direção do Atlético-MG informou que os dois suspeitos foram desligados do quadro de associados do Galo na Veia, programa de sócio-torcedor do clube alvinegro (confira abaixo a íntegra da nota).

“O Clube Atlético Mineiro informa que os dois torcedores identificados pela Polícia Civil, acusados de praticar injúria racial no clássico do último domingo, pertenciam ao programa Galo na Veia, embora inadimplentes. De qualquer forma, ambos foram desligados do programa de sócio-torcedor do Clube.”

‘Situação mais delicada da minha carreira’, disse segurança

Fábio Coutinho se emociona ao falar sobre a injúria racial no Mineirão — Foto: Globo

Fábio Coutinho se emociona ao falar sobre a injúria racial no Mineirão — Foto: Globo

Um dia após o clássico, o segurança Fábio Coutinho, de 42 anos, disse que viveu a situação mais delicada de sua carreira.

“A nossa intenção era barrar a ida dos atleticanos para uma área restrita, a área da imprensa, mas os atleticanos queriam passar de qualquer jeito”, disse Coutinho.

Nascido no Rio de Janeiro, o segurança mora em Belo Horizonte há sete anos e adotou o Atlético-MG como time. Ele trabalha como segurança há três anos e presta serviço no Mineirão desde o início deste ano. Atuar em dia de jogo do Galo era uma alegria para ele.

“Foi triste, foi pesado demais. ‘Olha sua cor, não põe a mão em mim’. Então, pela minha cor, eu sou inferior a outro ser humano?”, questionou, emocionado.

G1/MG

Confira o ponto a ponto das mudanças na legislação trabalhista com novo pacote de empregos

Sem alarde, a medida provisória (MP) que estabelece o “Emprego Verde e Amarelo” — criando uma nova modalidade de contratação para jovens entre 18 e 29 anos, com menos direitos — apresenta também uma série de alterações na legislação trabalhista para todas as categorias. Advogados e especialistas divergem sobre os benefícios e a eficácia das propostas, mas concordam que trata-se de uma minirreforma trabalhista. No pacote, o governo federal muda regras para fiscalização de empresas, aplicação de multas, participação nos lucros e resultados, jornadas de trabalho e registros profissionais.

Além disso, institui a cobrança de alíquota de INSS para todos os trabalhadores do país que recebem seguro-desemprego, com alíquota de 7,5% a 14%, permitindo que este tempo seja contato para fins de aposentadoria. A ideia é que essa cobrança entre em vigor em março de 2020.

Para especialistas, a taxação do seguro-desemprego significa a criação de um novo tributo para o trabalhador. A medida foi adotada para compensar a desoneração oferecida aos empresários, de 34%. Para contratarem jovens de 18 a 29 anos, os patrões ganharão o direito de não recolherem a alíquota patronal para o INSS (de 20%), o salário-educação e a contribuição para o Sistema S (Sesi, Senac, Senai…). Isso vai gerar uma perda de R$ 10 bilhões ao governo. A taxação do seguro-desemprego, então, servirá para compensar essa perda, com arrecadação de R$ 12 bilhões (ou seja, R$ 2 bilhões a mais).

A medida provisória já está em vigor, mas ainda passará pela avaliação do Congresso Nacional para virar lei.

Seguro-desemprego

Para compensar a desoneração dos empregadores que aderirem ao programa do “Emprego Verde e Amarelo”, o secretário de Previdência do Ministério da Economia, Rogério Marinho, anunciou que passará a ser cobrada do trabalhador uma contribuição previdenciária sobre o seguro-desemprego, que hoje é isento. Como o pagamento deste benefício ao trabalhador dura de três a cinco meses, esse período passará a contar como tempo de contribuição previdenciária para fins de concessão de benefício. Essa cobrança entrará em vigor a partir de março de 2020.

De acordo com o Ministério da Economia, a contribuição será a mesma dos trabalhadores que estão empregados, segundo as novas regras previstas na reforma da Previdência, que foi promulgada nesta terça-feira (dia 12). Ou seja, as alíquotas serão de 7,5% a 14%, de acordo com a faixa salarial. Se já estivesse em vigor hoje, como o teto do seguro-desemprego atualmente é de R$ 1.735,29, na prática, a alíquota máxima descontada seria de 8,14%.

A medida ainda dá a outros bancos a possibilidade de pagarem o seguro-desemprego e o abono salarial do PIS/Pasep, o que hoje cabe apenas à Caixa Econômica Federal e ao Banco do Brasil.

Paulo Sérgio João, professor de direito do Trabalho da FGV Direito SP, criticou a medida e afirmou que a esta descaracteriza o caráter do seguro-desemprego. Para ele, a proposta significa a criação de novo tributo, onerando o trabalhador que está mais vulnerável:

— É a criação de um novo imposto do ponto de vista tributário. Acham que é uma vantagem estar sem emprego e receber um seguro, e que tem que tributar. É uma impropriedade avançar sobre essa benefício na busca de uma receita. É uma descaracterização — afirmou o professor.

FGTS

A nova modalidade de contratação de jovens, criada pelo pacote “Verde e Amarelo”, prevê que o valor da multa rescisória do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) possa ser reduzido de 40% para 20%.

Se houver acordo entre o empregador e empregado, o trabalhador poderá receber a indenização sobre a multa do FGTS em parcelas, de forma antecipada, todo mês ou a cada período inferior a 30 dias. Esse valor parcial também será pago juntamente com o salário, o 13º, as férias e o abono de um terço proporcionais.

Em caso de desligamento do empregado, essa indenização antecipada não precisará ser devolvida pelo trabalhador, ainda que ele tenha pedido demissão ou tenha sido demitido por justa causa, o que normalmente não daria direito a esse pagamento.

Além disso, segundo a nova modalidade de contrato do pacote “Verde e Amarelo”, a contribuição mensal de FGTS feita pelo empregador em nome do funcionário será de 2% — e não mais de 8%, como nos contratos convencionais —, independentemente do valor da remuneração e de a multa rescisória ser de 20% ou 40%.

Para Vantuil Abdala, ex-presidente do TST, a redução da multa de 40% sobre o valor de depósitos do FGTS era uma demanda antiga dos empregadores.

— Quiseram reduzir o valor da multa para os empregados na contratação “Verde e Amarela”. Isso era um questionamento dos empresários que reclamavam muito da multa de 40%. Toda filosofia do plano é reduzir os custos da contratação, e entre esses custos está a multa de FGTS de 40% para 20% — explicou Vantuil.

Registro profissional

A medida provisória que cria o “Emprego Verde e Amarelo” desobriga o registro profissional nas Delegacias do Trabalho. A norma valerá para todas as profissões, com exceção dos casos previstos em ordens e conselhos de classe.

Para advogados trabalhistas, a proposta resguarda algumas profissões como médicos, engenheiros e advogados, que têm entidades de classe com regimentos próprios, mas libera outras funções serem exercidas por profissionais sem registro.

Paulo Sérgio João, professor de Direito do Trabalho da FGV Direito SP, ficará a critério da empresa decidir se vai ou contratar um profissional sem registro para exercer determinadas funções.

— São algumas profissões em que, historicamente, se discutia se deviam ou não estar registradas na Delegacia (do Trabalho) para seu exercício profissional, como é o caso de jornalistas e músicos. Agora, não precisa ter o registro para o exercício da profissão. Tem gente que acha que precisa ter, mas isso elimina uma burocracia e atende ao interesse da relação contratual — avaliou o professor.

A presidente do Instituto dos Advogados do Brasil (IAB), Rita Cortez, discorda. Para ela, a proposta está inserida em um contexto amplo de mudanças nas regras para fiscalização e aplicação de multas. Cortez pontua que a falta de registro profissional permite que pessoas sem qualificação possam exercer profissões:

— Abrir mão deste registro é abrir mão da observância e da fiscalização do trabalho por pessoas qualificadas. É abrir mão das situações e das qualidades que justifiquem a contratação. Como a fiscalização vai definir se a norma (para o exercício da profissão) está sendo observada pelos empregadores? — questionou a advogada.

Fiscalização e multas

Até agora, a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) estabelecia multas que variavam caso a caso. Agora, a aplicação da multa passará a observar “o porte econômico do infrator”.

No primeiro grupo de multas, serão aplicadas penalidades “per capita”, ou seja, pelo descumprimento de regras relativas a trabalhadores individualmente. Nesse caso, o valor vai variar entre mil reais e R$ 10 mil. O segundo grupo de multas será de infrações mais gerais, chamadas de “natureza variável”, que vão variar de mil reais a R$ 100 mil. Em todos os casos, as multas vai ser classificadas em infrações leves, médias, graves e gravíssimas.

O texto do governo também cria critérios para a dupla visita de um fiscal antes da aplicação da multa, de maneira a permitir que a primeira visita do agente ao estabelecimento não gere multa, mas advertência, oferecendo a possibilidade de regularização. A multa seria aplicada apenas após a segunda visita, caso a infração seja mantida.

Aline Marques, sócia do escritório N. Tomaz Braga & Schuch Advogados, defende a possibilidade de a empresa se adequar às normas e cumprir a legislação antes de ser multada. Segundo ela, o processo administrativo de recurso da fiscalização do trabalho é muito rígido:

— Acho que é muito justa a nova forma de aplicação de multas. Os autos de infração que geram multas são emitidos sem que a empresa tenha a oportunidade de corrigir o motivo da autuação. O empregador só pode tentar recorrer no prazo de dez dias. O recurso administrativo é diferente do recurso judicial. Você só tem uma chance para tentar se justificar antes de receber uma multa, muitas vezes bastante pesada. A dupla visita tem um caráter educativo. Isso é uma demanda dos empregadores — afirmou Aline.

O ex- presidente do TST Vantuil Abdala é mais cauteloso. Ele lembra que o próprio modelo de contratação de jovens com desoneração para as empresas tem uma série de regras e normas que precisam ser fiscalizadas para evitar abusos e substituição de mão de obra já empregada:

— Temos uma ofensiva para mudar a fiscalização. Eu me questiono como vai funcionar na prática a fiscalização. Como se sabe, há sempre o mau empregador que quer se aproveitar da existência de uma norma legal para levar vantagens. Nós teremos mesmo uma fiscalização ofensiva para evitar as fraudes? — questionou Abdala.

Luiz Migliora, professor da FGV Direito Rio, acredita que é importante melhorar o ambiente de negócios, mas pondera que não se pode abrir mão totalmente da fiscalização do trabalho:

— Acho perigoso pela mensagem que está sendo passada aos empresários. O governo propõe flexibilizar a fiscalização. Acabou com Ministério do Trabalho. É uma mensagem ruim para os empresários de que “liberou geral”. Tem que ter cuidado com isso — ressaltou Migliora.

Bancários

A medida provisória (MP) altera ainda a jornada de trabalho dos bancários, permitindo que as agências bancárias passem a abrir aos sábados, o que hoje não ocorre. Além disso, estabelece que apenas os caixas de bancos terão direito a jornada de trabalho de seis horas diárias. Qualquer outro cargo terá jornada normal, de oito horas por dia.

Atualmente, todos os que trabalham em bancos têm jornada de trabalho de seis horas diárias (30 horas semanais). Mesmo para os caixas, a medida autoriza que seja pactuada uma jornada superior a seis horas, mediante acordo individual escrito, convenção coletiva ou acordo coletivo de trabalho.

— Acredito que o governo decidiu fazer estas alterações pelo grande número de ações trabalhistas que tratam da jornada de trabalho dos bancários. Muitos entravam na Justiça alegando que sua jornada era estendida, porque a instituição bancária os classificava como funcionários exercendo cargos de confiança. Na prática, eles trabalhavam mais de seis horas — esclareceu Vantuil Abdala, ex-presidente do TST.

Extras/Pollyanna Brêtas

A saída de Bolsonaro do PSL, o que o presidente vai fazer agora, e por que isso importa

Depois de quase 2 anos de união, o presidente Jair Bolsonaro anunciou na terça-feira (12) sua saída do PSL, partido ao qual se filiou para disputar a eleição presidencial de 2019 – da qual o partido saiu com a segunda maior bancada na Câmara.

Bolsonaro anuncia sua saída após uma série de polêmicas envolvendo candidaturas laranja, crises com a liderança da sigla e brigas internas pelo fundo partidário e pelo fundo eleitoral. Agora, o ex-presidente diz que vai criar uma nova legenda, a Aliança pelo Brasil.

No episódio #58, Renata Lo Prete conversa Maria Cristina Fernandes sobre as causas do fim do casamento entre o presidente Jair Bolsonaro e o PSL. Maria Cristina explica a disputa em torno do fundo partidário e eleitoral – soma que chega a R$ 360 milhões só em 2020 – como fica a situação do presidente fora da sigla e o processo para a criação de um novo partido.

O que são podcasts?

Um podcast é como se fosse um programa de rádio, mas não é: em vez de ter uma hora certa para ir ao ar, pode ser ouvido quando e onde a gente quiser. E em vez de sintonizar numa estação de rádio, a gente acha na internet. De graça.

Enem 2019: gabarito oficial será divulgado hoje pelo MEC

O Inep, instituto ligado ao Ministério da Educação (MEC) e responsável pelo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), divulgará hoje o gabarito oficial das provas de 2019. O gabarito, assim como os cadernos de questões, estarão disponíveis nosite oficial do exame.

Realizado nos dias 3 e 10 de novembro, o Enem foi aplicado a 3,7 milhões de estudantes no segundo dia de prova e registrou taxa de abstenção total de 27,19%, a menor da série histórica. No primeiro domingo (dia 3), 3,9 milhões de pessoas fizeram o exame.

Próximas datas

Mesmo que possam consultar o gabarito oficial, os estudantes ainda não saberão suas notas finais das provas. O Enem é corrigido a partir de uma metodologia conhecida como Teoria de Resposta ao Item (TRI), que dá pontuações diferentes às questões do exame, dependendo de seu grau de complexidade. Confira as previsões de divulgação de resultados:

Janeiro de 2020 – divulgação dos resultados individuais

Março de 2020 – divulgação dos resultados individuais dos “treineiros”

Março de 2020 – divulgação da vista pedagógica da redação

O resultado no Enem pode ser usado para acesso à educação superior no Brasil, a partir do Sistema de Seleção Unificado (Sisu) , em algumas instituições de Portugal e de outros países; e a programas governamentais de financiamento e apoio ao estudante, como Fies e ProUni.