Muralha defende dois pênaltis, Mirassol elimina o Guarani e avança às semifinais

Muralha do Leão!

O Mirassol está na semifinal do Campeonato Paulista! Após um jogo de muita disputa física e quase nenhuma chance clara de gol, a disputa foi para os pênaltis, e o goleiro do Leão apareceu para fazer duas defesas e ajudar a equipe a garantir a classificação. Enquanto e Pablo desperdiçaram para o Bugre, Cássio Gabriel converteu a última cobrança, que resultou na festa amarela em campo. O Mirassol avança às semifinais pelo segundo ano consecutivo!

  • Mu-ra-lha!

    O goleiro foi o grande nome da classificação do Leão. Após cair duas vezes para a direita nas primeiras cobranças (sim, aquele lado!), Alex Muralha trocou o canto para pegar uma. Depois voltou ao canto direito para pegar outra. No fim, celebrou a classificação, a volta por cima e, de quebra, deu os parabéns para o pai, aniversariante do dia.

    Alex Muralha comemora pênalti defendido pelo Mirassol contra o Guarani

    Alex Muralha comemora pênalti defendido pelo Mirassol contra o Guarani (Foto: Marcos Freitas/Mirassol )

  • Classificado!

    O Mirassol agora espera a definição nos outros jogos das quartas para saber qual vai ser o adversário na semi. Com a pior campanha no geral, o Leão vai encarar ou o São Paulo (que ainda joga com a Ferroviária) ou o Corinthians (que já está classificado).

    + VEJA A TABELA COMPLETA DO CAMPEONATO PAULISTA

São Paulo empata com Rentistas, retoma liderança de grupo e adia classificação

  • O empate leva o São Paulo aos oito pontos, mesmo número do Racing, mas na liderança do Grupo E por ter vantagem no saldo de gols – mais dois pontos classificam o Tricolor. O Rentistas fica com apenas três pontos, em terceiro lugar. O Sporting Cristal, zerado, já está eliminado. CLIQUE AQUI e veja a tabela da Libertadores.

    Orejuela comemora gol em Rentistas x São Paulo

    Orejuela comemora gol em Rentistas x São Paulo (Foto: Staff images /CONMEBOL)

  • Estreia iluminada

    Em seu primeiro jogo pelo São Paulo, o lateral-direito Orejuela fez gol com apenas três minutos em campo, de cabeça, aproveitando cobrança de escanteio de Igor Gomes. O colombiano teve boa atuação, criou algumas jogadas pelo lado direito e mostrou que será opção quando Daniel Alves não estiver disponível – como é o caso atualmente. Foi substituído por Hernanes na reta final da partida.

    Orejuela é cumprimentado por Crespo após gol

    Orejuela é cumprimentado por Crespo após gol (Foto: Staff images /CONMEBOL)

  • Primeiro tempo

    O São Paulo mal havia se arrumado em campo e já abriu o placar com o estreante Orejuela, de cabeça, logo aos três minutos, aproveitando batida de escanteio de Igor Gomes. Depois, porém, a falta de entrosamento no time reserva cobrou seu preço: o Tricolor trabalhou pouco a bola, viu o Rentistas ter controle do meio-campo em alguns momentos e chegar ao empate em bobeada geral dentro da área. Também em cobrança de escanteio, Lamas viu a bola passar por toda a defesa são-paulina e só empurrou para as redes. O Tricolor teve poucas jogadas trabalhadas, mas levou perigo sempre que as fez: numa delas, Orejuela subiu pela direita, Vitor Bueno fez o pivô e Rojas chutou. Depois, o mesmo Vitor Bueno, posicionado como centroavante, recebeu em velocidade e chutou cruzado para defesa de Rossi.

    Igor Gomes em Rentistas x São Paulo

    Igor Gomes em Rentistas x São Paulo (Foto: Staff images /CONMEBOL)

  • Segundo tempo

    O São Paulo voltou melhor e tomou conta das ações, correndo poucos riscos e ficando com a bola no campo de ataque. Teve um pênalti logo no primeiro minuto, em toque na mão de Sosa, mas Vitor Bueno parou na defesa do goleiro Rossi. As chances começaram a surgir com maior naturalidade: um belo chute de Rodrigo Nestor após fazer fila na entrada da área, uma bomba de longe de Welington que Rossi se esticou para defender, e o lance mais inusitado de todos no fim. Em falta dentro da área após um recuo que Rossi pegou com as mãos, Hernanes cobrou com força, tirou do goleiro, mas viu Cristóbal salvar em cima da linha. O São Paulo terminou o jogo merecendo a vitória.

    Vitor Bueno em Rentistas x São Paulo

    Vitor Bueno em Rentistas x São Paulo (Foto: Staff Images/Conmebol)

  • Atuações do São Paulo

     

    Wellington em Rentistas x São Paulo

    Wellington em Rentistas x São Paulo (Foto: Staff images /CONMEBOL)

    • O São Paulo pensa agora no Campeonato Paulista – recebe a Ferroviária na próxima sexta-feira, às 21h30 (de Brasília), no Morumbi, em jogo único das quartas de final. Se passar, tem semifinal já no domingo. Pela Libertadores, o Tricolor joga na outra terça-feira contra o Racing, às 21h30, novamente no Morumbi.

Fluminense vira no Maracanã sobre Santa Fe e fica perto das oitavas de final

Alô, classificação!

O Fluminense teve a sua pior atuação na Libertadores, mas conseguiu vencer o Santa Fe, da Colômbia, de virada por 2 a 1 na noite desta quarta-feira no Maracanã. Com gols de Fred e Caio Paulista no segundo tempo, o Tricolor fez o dever de casa e colocou um pé nas oitavas de final. Basta um empate na próxima rodada, contra o também colombiano Junior Barranquilla, para carimbar a classificação matematicamente.

  • Como fica?

    A vitória deixou o Fluminense isolado na liderança do Grupo D, agora com oito pontos, contra seis do River Plate, três do Junior Barranquilla e dois do Santa Fe. Restam seis pontos em disputa a duas rodadas do fim.

  • Agenda

    O Fluminense enfrenta o Junior Barranquilla na próxima terça-feira, às 21h30 (de Brasília), novamente no Maracanã. Já o Santa Fe visita o River Plate na quarta-feira e precisará ganhar de qualquer jeito para se manter vivo na disputa. Antes, porém, o time de Roger Machado tem pela frente o primeiro jogo da final do Campeonato Carioca no sábado, às 21h05 (de Brasília), contra o Flamengo no Maracanã.

 

Ramírez vê erros pontuais e diz que gramado pesado cansou Inter em derrota: “Come a perna”

Miguel Ángel Ramírez admitiu que os erros individuais interferiram na derrota do Inter por 2 a 1 para o Deportivo Táchira de virada. No entanto, o treinador alegou que o cansaço, principalmente pelo gramado pesado do Pueblo Nuevo, em San Cristóbal, virou um adversário a mais.

O espanhol citou que o Inter teve as ações do jogo e abriu o placar com o pênalti convertido por Thiago Galhardo. Acredita, inclusive, que o time teve chances de até fazer um placar mais dilatado pelas oportunidades criadas. O que não ocorreu. O Colorado, então, sentiu o desgaste e cedeu o resultado.

– Em um campo que come a perna, é pesado. Fica mais nítido o cansaço. Estávamos dominando. Acredito que até poderíamos fazer o segundo, mas não fizemos. Em erros pontuais… Mas não só isso. Nos foram empurrando e (o campo) comendo a perna – justificou o treinador.

Miguel Ángel Ramírez não conseguiu montar a estratégia para impedir a derrota do Inter — Foto: Ricardo Duarte/Divulgação, Inter

Miguel Ángel Ramírez não conseguiu montar a estratégia para impedir a derrota do Inter — Foto: Ricardo Duarte/Divulgação, Inter

Ramírez foi questionado se o time esteve apático e rechaçou tal hipótese. O técnico reiterou que o cansaço atrapalhou e as condições do solo tiraram a lucidez do grupo para criar as jogadas e evitar os avanços do Táchira.

– Não estou de acordo que estivemos apáticos. Fomos muito superiores, mas caímos com o passar do tempo. Foi fruto do cansaço. Pesam as pernas, você não fica lúcido para tomar a melhor decisão. Não estivemos apáticos, mas cansados – argumentou.

Apesar do resultado negativo, o Inter soma seis pontos e segue em primeiro lugar no Grupo B da Libertadores. Na próxima rodada, o time de Miguel Ángel Ramírez enfrenta o Olimpia. A partida será disputada no dia 20 de maio, às 21h, no Defensores del Chaco, em Assunção.

Antes, no entanto, o Colorado concentra atenções no Gauchão. Neste domingo, a equipe começa a disputa da final do torneio. O Gre-Nal 431 ocorre às 16h no Beira-Rio.

 

Palmeiras iguala recorde histórico como visitante na Libertadores, e Veiga diz: “Fizemos história”

vitória por 1 a 0 sobre o Independiente Del Valle, nesta terça-feira, no Equador, fez o Palmeiras igualar uma marca histórica na Libertadores.

O time chegou a 12 jogos seguidos seguidos de invencibilidade como visitante, empatando a maior sequência de todos os tempos da competição com o River Plate, que conseguiu o mesmo feito entre 2018 e 2019.

Mais notícias do Palmeiras:
+ Atuações: veja as notas dos jogadores

A última derrota do Verdão fora de casa foi para o San Lorenzo, por 1 a 0, em abril de 2019. Desde então foram nove vitórias e três empates, além do título do ano passado contra o Santos, decidido em campo neutro.

Raphael Veiga em Independiente del Valle x Palmeiras — Foto: Staff Images/Conmebol

Raphael Veiga em Independiente del Valle x Palmeiras — Foto: Staff Images/Conmebol

Além do recorde histórico, o Verdão ainda conseguiu outra marca expressiva na partida desta terça-feira: foi a primeira derrota do Independiente Del Valle como mandante pela Libertadores na história.

Até o duelo com o Palmeiras, os equatorianos haviam disputado 23 partidas em casa, com 15 vitórias e oito empates.

Após o confronto, o meia Raphael Veiga, autor do gol palmeirense, falou sobre a importância de manter os 100% de aproveitamento e das marcas obtidas.

– É muito importante, dá muita confiança para nós, na nossa campanha. Isso decide a nosso favor. Ter 100%, fora isso fizemos história aqui, em sete edições que o Del Valle jogou, é a primeira vez perdendo como mandante. Ainda temos 12 jogos sem perder como visitante. É muito importante. Essas quatro vitórias nos dão muita confiança, além da chance de decidir em casa – falou.

O próximo jogo do Palmeiras na Libertadores será na próxima terça-feira, contra o Defensa Y Justicia, no Allianz Parque.

Flamengo volta do Chile com empate

Fragilidade nas bolas aéreas, alto número de gols sofridos e dificuldade de manter a concentração do início ao fim das partidas.

Se um tropeço na Libertadores é o suficiente para levantar questionamentos sobre uma equipe, esses são três pontos fracos indiscutíveis do Flamengo não somente no 2 a 2 com o Union La Calera, no Chile, como neste início de temporada. E foram esses erros recorrentes que impediram que os pontos fortes, como a vocação ofensiva e impositiva mesmo fora de casa, resultassem em classificação antecipada para as oitavas de final.

Rogério Ceni sabe que erros não podem se repetir em mata-mata — Foto: Staff Images / CONMEBOL

Rogério Ceni sabe que erros não podem se repetir em mata-mata — Foto: Staff Images / CONMEBOL

A exibição no campo de grama artificial do La Calera foi condicionada pelo erro triplo de Bruno Viana logo no início. Fosse outra situação, o zagueiro até poderia justificar falta de adaptação ao piso sintético ou estar deslocado para o lado esquerdo, mas foram três vacilos grosseiros que resultaram no gol que comprometeu o primeiro tempo rubro-negro.

La Calera x Flamengo

  • Posse de bola: 29% x 71%
  • Finalizações: 6 x 15
  • Passes trocados: 266 x 654
  • Escanteios: 3 x 6
  • Faltas cometidas: 12 x 7

Viana recuou mal para Gabriel Batista, protegeu mal quando recebeu a bola de volta e fez a escolha errada ao tentar mais um passe errado para Filipe Luís. Equívocos que fizeram com que o Flamengo tivesse que correr atrás do placar antes mesmo de entender como a bola corria ou quicava no gramado do Estádio Municipal Nicolás Chahuán Nazar.

O que se viu em campo no primeiro tempo foi um Flamengo que em nada lembrou o time que vinha de seis vitórias consecutivas. Estava espaçado e sem a dinâmica habitual na saída de bola que empurra o adversário para sua defesa. O gol contra de Willian Arão após cobrança de escanteio piorava o placar, mas dentro de campo acabou tendo o efeito de recolocar o time na partida.

Erro de Bruno Viana condicionou atuação do Flamengo no Chile — Foto: Staff images / Conmebol

Erro de Bruno Viana condicionou atuação do Flamengo no Chile — Foto: Staff images / Conmebol

Em vantagem, o La Calera se fechou, deu campo, e o Flamengo conseguiu avançar suas linhas de defensivas. Diego e João Gomes participavam efetivamente da tentativa de construção de jogadas, mas a verdade é que o gol de Gabriel em pênalti sofrido por Everton Ribeiro caiu mais como um presente para uma equipe carente de criatividade.

Este, por sinal, é um ponto a ser explorado. O Flamengo não fez um jogo ruim no Chile, em especial depois de estar dois gols atrás no placar, mas a arrumação coletiva a partir de então não ecoou no talento individual tão determinante para um dos times mais temidos das Américas.

Essa foi uma realidade que pouco mudou no segundo tempo. Logo no início Rogério Ceni se mandou para o ataque: trocou João Gomes por Pedro. E a presença nula do La Calera no campo ofensivo indicava um time bem postado dentro de campo.

Com Diego Ribas, Everton Ribeiro, Arrascaeta, Bruno Henrique, Pedro e Gabigol, Gabriel Batista só trabalhou em uma cobrança de falta e fez valer muitas vezes o motivo de sua escolha para o lugar de Diego Alves: a qualidade com os pés. O goleiro foi praticamente o líbero de um time que amassou o La Calera, mas criou pouco.

Willian Arão comemora gol de empate do Flamengo — Foto: Staff images / Conmebol

Willian Arão comemora gol de empate do Flamengo — Foto: Staff images / Conmebol

Boa parte das sete finalizações nos 76% de posse de bola da etapa final surgiu de cruzamentos na área ou chutes de fora. Tanto que Willian Arão empatou de cabeça após escanteio cobrado por Arrascaeta.

Entre pontos fortes e fracos, o Flamengo volta ao Rio com lições de casa a cumprir. A vocação ofensiva e a arrumação coletiva da equipe estão evidentes, mas não têm sido suficientes para torná-la equilibrada e segura.

O próprio Ceni disse que em mata-mata é perigoso. Pois então, já é. Sábado tem Fla-Flu, tem final, tem mata-mata.

Por Cahê Mota — Rio de Janeiro

Unión La Calera x Flamengo: veja escalações, desfalques e arbitragem

Líder do Grupo G da Libertadores, o Flamengo pode garantir a classificação para as oitavas de final do torneio nesta terça-feira. Às 21h30 (de Brasília), a equipe entra em campo para enfrentar o Unión La Calera no estádio Nicolás Chahuán Nazar, em La Calera, pela quarta rodada da fase de grupos.

Com nove pontos em três jogos, o Flamengo tem vantagem de cinco pontos para cima da LDU, que pega o Vélez na quinta-feira. Em caso de vitória rubro-negra, independentemente do resultado entre os outros dois rivais, a classificação estará garantida.

Até mesmo a liderança pode ser confirmada com duas rodadas de antecedência. Para isso, o Flamengo precisará vencer e torcer por um empate entre LDU e Vélez. O Unión La Calera, com apenas um ponto, joga para tentar manter a esperança de se classificar.

Unión La Calera – técnico: Luca Marcogiuseppe

Lanterna do grupo, o La Calera vem de derrota por 3 a 0 para a Universidad Católica no último sábado, pelo Campeonato Chileno. A equipe tem dois desfalques confirmados: os meias Valencia e Castellani, expulsos contra o Vélez.

O veterano Valdivia, nome mais conhecido do elenco, chegou a ser dúvida depois de tomar uma bolada no rosto contra a Universidad Católica, mas a tendência é de que fique à disposição para o jogo contra o Flamengo.

Provável escalação: Arias; Ramírez, Christian Vilches, Garcia e Oyanedel; Laba, Wiemberg, Fernández e Vargas; Rivero e Andrés Vilches.

Flamengo – técnico: Rogério Ceni

Apesar dos cinco desfalques para a partida, a maior expectativa diz respeito ao goleiro que irá substituir Diego Alves. A tendência é de que Gabriel Batista seja mantido como titular, como Hugo Souza na reserva – a exemplo do que aconteceu contra o Volta Redonda. Gomes deve ser mantido no meio ao lado de Diego.

Desfalques: Gerson (lesão na coxa), Diego Alves (fibrose na coxa), Renê (lesão na coxa), Rodrigo Caio (em transição após fibrose na coxa), Michael (desconforto muscular), Thiago Maia e César (em recuperação de cirurgia no joelho).

Pendurado: Diego.

Provável escalação do Flamengo para enfrentar o Unión La Calera — Foto: ge

Provável escalação do Flamengo para enfrentar o Unión La Calera — Foto: ge

Brasil aceita doação do COI e vai vacinar delegação das Olimpíadas

O Governo federal vai vacinar os membros da delegação brasileira que irão ao Japão para a cobertura das Olimpíadas e Paralimpíadas de Tóquio. A decisão é do Ministério da Saúde em conjunto com o Ministério da Defesa e o Comitê Olímpico do Brasil. O país decidiu aceitar a ajuda do Comitê Olímpico Internacional. Com isso, cerca de 1500 pessoas – entre atletas, membros de comissão técnica e jornalistas envolvidos na cobertura – entrarão no grupo prioritário do Plano Nacional de Imunização (PNI). As vacinas vão ser cedidas pelo COI e não vão sair das doses obtidas pelo Governo Federal para imunizar a populaçãoE para cada dose cedida para imunizar a delegação brasileira que vai para as Olimpíadas, o COI vai doar outras duas ao SUS para vacinar os brasileiros. Mais detalhes do plano de vacinação da delegação serão anunciados nesta terça-feira, às 11h30, em uma coletiva no Ministério da Saúde, em Brasília.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, o ministro da Cidadania, João Roma, o secretário especial do Esporte, Marcelo Magalhães, e o Diretor do Departamento de Desporto Militar do Ministério da Defesa, Major-Brigadeiro Isaias Carvalho, além do vice-presidente do Comitê Olímpico do Brasil (COB), Marco Antônio La Porta Júnior, vão participar da coletiva de imprensa. O início da vacinação dos atletas brasileiros começaria na sexta-feira, dia 14.

Em março, o ge noticiou que atletas militares brasileiros seriam vacinados como grupo prioritário das Forças Armadas, de acordo com o Ministério da Saúde. O COB sempre declarou que “a entidade seguirá o PNI”. Agora, ficou a cargo do próprio COB elaborar a lista final com os nomes que irão a Tóquio. A operação vai usar instalações das Forças Armadas em seis capitais brasileiras. Além do CT do Time Brasil, no Maria Lenk, no Rio de Janeiro.

Vários países do mundo estão imunizando suas delegações para competir nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Nesta terça-feira, a Austrália, por exemplo, começou a vacinar seus credenciados. Outros países também colocaram atletas no grupo prioritário para a vacinação contra a Covid-19, como Bélgica, Espanha, Nova Zelândia, Alemanha, México, entre outros. O COI já disse publicamente que as vacinas não serão obrigatórias para os atletas disputarem os Jogos.

Nadadora Cate Campbell foi a primeira atleta australiana a receber a vacina contra a Covid-19 — Foto: Getty Images

Nadadora Cate Campbell foi a primeira atleta australiana a receber a vacina contra a Covid-19 — Foto: Getty Images

Doação do COI via China

De acordo com o presidente do COI, Thomas Bach, a China ofereceu vacinas para todos os atletas que disputarão as Olimpíadas. O Brasil aceitou a oferta do COI, e as doses serão entregues ao Governo Federal. Para cada membro da comitiva brasileira que irá a Tóquio, serão oferecidas outras duas doses para a população. E essas vacinas doadas serão incluídas no plano de vacinação do SUS. O COB corre contra o tempo para vacinar os atletas, já que faltam menos de três meses para o início das Olimpíadas e grande parte da delegação viaja antes para o Japão.

O Brasil ainda não conhece todos os seus classificados para as Olimpíadas, já que com o adiamento ou cancelamento de diversas competições devido à pandemia, os torneios classificatórios e as datas limites foram prorrogadas. Por isso, a lista de vacinados tende a ser maior para comtemplar todos os atletas que ainda têm chance de vaga. Atualmente, o país tem 213 vagas asseguradas nos Jogos.

Segundo levantamento não oficial, cerca de 80 atletas e membros de comissão técnica já foram vacinados fora do Brasil.

Bruno Fratus recebe vacina nos Estados Unidos — Foto: Reprodução Instagram

Bruno Fratus recebe vacina nos Estados Unidos — Foto: Reprodução Instagram

Por Redação do ge — Brasília

Lisca provocador, emboscada contra o Santos, Donelli trapalhão e confusão no Nordestão

O final de semana foi recheado de provocações no futebol brasileiro. Adepto das declarações incisivas, o técnico Lisca aproveitou a vitória sobre o Cruzeiro para chamar o treinador adversário de freguês… E com direito a musiquinha no vestiário. No Pernambucano, o Náutico usou as redes sociais para cutucar o Santa Cruz. Mas nem só de gracejos viveu o futebol. No Paulistão, Donelli fez uma lambança e quase leva um gol histórico.

Enquanto isso, na Copa do Nordeste, jogadores de Bahia e Ceará protagonizaram um papelão saindo na pancadaria. Quem também fez feio foi parte da torcida do Santos, que apedrejou o ônibus do clubeConfira as cenas que viralizaram neste final de semana.

“Um, dois, três, o Conceição é meu freguês.”

Após vencer e eliminar o Cruzeiro do Campeonato Mineiro, o técnico Lisca festejou com os jogadores do América-MG nos vestiários. No clima de descontração, ele chegou a puxar uma musiquinha chamando o técnico rival, Felipe Conceição, de freguês. Ele só não contava que estava sendo filmado. Mas pelo menos esse ano não terá volta, pois o América-MG joga a Série A do Brasileiro, enquanto a Raposa está na B.

Mantendo a linha da provocação em semifinais, o Náutico usou as redes sociais para cutucar o Santa Cruz. Assim que eliminou o Tricolor do Pernambucano, o Timbu postou a frase: “Vim, vi e VenCi.” Uma referência ao fato de o rival jogar a Série C do Pernambucano.

Que é isso, Donelli?

Se a provocação deu o tom no Campeonato Mineiro e no Pernambucano, no Paulistão o destaque fica por conta da lambança de Donelli. O goleiro do Timão tropeçou na bola e quase protagoniza um dos maiores frangos da história. Para sorte dele e da Fiel, nada aconteceu.

Mas também teve goleiro sendo herói

Muralha, ele mesmo, pegou até pensamento no empate do Mirassol com o São Paulo por 1 a 1 e de quebra ainda mandou um recadinho para as mães. Fofo…

Calma, gente

Pessoal também estava sem muito fair play neste final de semana… Na outra semifinal do Mineiro, o atacante Diego Tardelli protagonizou uma cena digna de MMA pelo Atlético-MG. Ele deu uma entrada de sola no primeiro tempo e só recebeu cartão amarelo… Mas dava para vermelho direto, segundo avaliação do comentarista de arbitragem, Sandro Meira Ricci. O Galo empatou por 1 a 1 com a Tombense, mas avançou porque havia vencido a primeira partida por 3 a 0.

Também querendo uma vaga no card de Tardelli, o simpático Jomar, do Picos, tentou amputar as pernas do atacante Caíque com uma tesoura, após levar uma caneta. O lance chamou a atenção, mas o árbitro ficou só no amarelo, mesmo. No final da partida, melhor para o Fluminense-PI, que venceu por 2 a 1.

Coisa feia, viu

O final de semana também teve cenas para lá de lamentáveis. Na final da Copa do Nordeste, os jogadores de Bahia e Ceará protagonizaram uma batalha campal após a partida. Depois da vitória do Tricolor, nos pênaltis, os jogadores trocaram socos, pontapés e empurrões no campo de jogo.

Quem também passou do ponto foi parte da torcida do Santos. Mesmo após o clube escapar do rebaixamento no Paulistão e de um pedido de desculpas do atacante Lucas Braga, o ônibus da equipe foi apedrejado. Absurdo.

Hoje, sim

E pensou que não teria gol do Gabigol? Pois pensou errado e enquanto você lia essa matéria, ele deve ter feito mais algum. No último final de semana, o atacante do Flamengo marcou duas vezes na vitória por 4 a 1 sobre o Volta Redonda e agora encara o Fluminense na final. Ele bem que avisou nas redes sociais de que quando está loiro, é melhor esquecer…

Por Redação do ge — Recife

Palmeiras arranca no fim e chega às quartas do Paulista em alta por força de elenco e base

Quando perdeu para a Inter de Limeira, há pouco mais de uma semana, o Palmeiras ficou a seis pontos da zona de classificação no Paulista, restando três jogos a disputar.

O que parecia uma situação improvável se tornou real no domingo, quando o Verdão, mais uma vez com reservas e garotos, venceu a terceira partida seguida e, com os tropeços do Novorizontino, avançou para as quartas de final.

A arrancada veio nos triunfos contra Santo André, Santos e agora Ponte Preta. O primeiro jogo não foi bom, mas tanto no clássico quanto no 3 a 0 desse domingo, a equipe de Abel Ferreira teve bons momentos e mostrou, mais uma vez, a força deste grupo.

Sem 12 jogadores poupados, o Palmeiras teve no Moisés Lucarelli uma mescla dos times B e C. Mayke, Giovani, Viña, Zé Rafael, Gustavo Scarpa, Wesley e Willian, titulares contra o Santos, foram mantidos no domingo. O experiente Jailson se juntou aos garotos Vanderlan, Michel e Danilo como novidades para enfrentar a Ponte.

Ainda que a Macaca tenha incomodado, o Verdão teve atuações seguras de Michel, que fez sua estreia como profissional, e Vanderlan, lateral-esquerdo que tem se destacado como zagueiro.