Técnico do Colo-Colo diz que Corinthians não liberou Araos para o clube chileno

O Colo-Colo tentou a contratação do meia Angelo Araos, do Corinthians, mas as negociações não evoluíram, e o clube chileno praticamente já joga a toalha.

Em entrevista no Chile, o técnico Gustavo Quinteros disse que gostaria de contar com o meia de 23 anos. Segundo ele, o Corinthians travou o negócio.

– Fizemos todos os esforços possíveis para que Araos fosse jogador do Colo-Colo, mas com o contrato que ele tem com seu clube, é impossível. Por ele, fizemos vários arranjos, mas não conseguimos avançar.

Inicialmente, a ideia do Colo-Colo era conseguir um empréstimo do jogador, que tem atuado muito pouco em mais uma temporada. O Timão só pensar em uma negociação em definitivo e, segundo a imprensa chilena, falou em 5 milhões de dólares (R$ 26,7 milhões).

No Timão desde 2018, Araos nunca conseguiu se firmar no time titular. São 37 partidas pelo clube e um gol marcado. Ele atuou por quatro minutos na derrota por 2 a 1 para o Atlético-MG, no último sábado, saindo do banco.

Comprado por R$ 23,9 milhões, Araos tem contrato até julho de 2023.

Por Redação do ge — São Paulo

Lindoso pede desculpas por confusão após eliminação e diz que até Lisca provocou Inter

Um dos envolvidos na confusão que teve estopim após a eliminação do Inter na Copa do Brasil, nesta quarta-feira, para o América-MG, Rodrigo Lindoso fez questão de explicar o episódio. O volante pediu desculpas pelo fato no gramado do Independência, mas afirmou que a atitude foi uma resposta às provocações recebidas de adversários.

Após ajudar o Colorado a vencer por 1 a 0 no tempo normal, mas perder por 6 a 5 nos pênaltis, Lindoso procurou a assessoria de imprensa do clube para se manifestar. Queria explicar o que causou a briga generalizada.

O jogador abriu a coletiva com um pedido de desculpas. Lindoso disse que foi dar suporte após o erro de Uendel quando ouviu a provocação do meio-campista Alê.

– Na confusão, ficou evidente a correria. Mas logo em seguida, quando chegamos ao vestiário, dei apoio aos companheiros. Procurei os assessores para dar entrevista. Como somos referências, atrapalhamos o espetáculo pela confusão. Ninguém quer ver isso na televisão. Quando perdemos o pênalti, eu fui dar o apoio ao companheiro, o atleta deles, bem diretamente a mim, falou uma gracinha e deu tchau – relatou.

Daniel Alves se derrete pelo São Paulo após vitória sobre o Flamengo: “As maiores alegrias”

Daniel Alves foi um dos principais destaques do São Paulo na vitória de 3 a 0 sobre o Flamengo, nesta quarta-feira, no Morumbi – resultado que classificou o time tricolor para enfrentar o Grêmio nas semifinais da Copa do Brasil.

Em uma postagem feita na madrugada, horas depois da partida, o jogador, são-paulino de infância, disse que o clube lhe dá as maiores alegrias.

– O São Paulo me fez sentir, em meio a tantas dificuldades, as maiores alegrias, e hoje eu só quero desfrutar do meu sonho – escreveu o capitão do time .

Daniel Alves viveu mau momento e recebeu críticas da torcida, mas, nas partidas mais recentes, retomou o futebol que o consagrou como um dos melhores jogadores de sua geração. Ele mandou um recado aos críticos:

– Aqueles que pensam ou pensaram que eu quero ser mais que esse clube nunca entenderam o sentimento e a sensação de poder estar trabalhando onde você sempre sonhou – comentou.

– Respeito é a palavra que define o sentimento por esse clube. Sei que não é o melhor momento em termos de gestão, mas sei também que o sentimento, quando é de verdade, transcende qualquer dificuldade – completou.

Daniel Alves em São Paulo x Flamengo — Foto: Marcos Riboli

Daniel Alves em São Paulo x Flamengo — Foto: Marcos Riboli

Em carta à torcida, Campello diz ter desmantelado esquema que roubava o Vasco: “O sistema é f…, parceiro”

A dois meses do fim de seu mandato embora não haja um sucessor definido, o presidente do Vasco, Alexandre Campello enviou extensa carta aos torcedores do clube nesta terça-feira. Num documento com cara de despedida e com palavras alusivas ao personagem “Capitão Nascimento”, interpretado por Wagner Moura em “Tropa de Elite”, ligou sua infância em Nilópolis-RJ até a chegada ao cargo mais importante dentro da hierarquia vascaína. E, ao falar de política, disparou para todos os lados.

Campello resume seus três anos de mandato a uma luta contra o sistema, que, em sua visão, sempre privilegiou interesses pessoais. Cita ter cortado privilégios, enumera inimigos sem nomeá-los e encerra a carta com a frase que marcou Capitão Nascimento: “O sistema é f…, parceiro”.

Embora não tenha identificado no texto os adversários a quem se refere, fez alusões claras a Julio Brant, quando trata da ruptura em 2018; a Sérgio Frias, ao citar reunião no mesmo ano que discutia o pagamento de mensalidades; e a Leven Siano, com quem discutiu asperamente no pleito do último dia 7.

Sérgio Frias respondeu Alexandre Campello em nota publicada no site “Casaca”. Confira abaixo:

“Ao pé frio, Alexandre Campello,

O fundamento da reunião convocada, em noite de jogo de um time que nunca foi o meu, porque jamais me entendi rubro-negro, foi mostrar aquilo que ficaria evidenciado no mês seguinte: uma tentativa sórdida do presidente do clube de impedir a entrada de centenas de sócios, por conta do proponente, algo fora do estatuto, evidentemente. Quis eu cortar o mal pela raiz, porque sabia que a raiz das intenções de tentar de todas as formas impedir a entrada de novos sócios estatutários no clube era podre”.

Entre várias denúncias, Campello afirma ter desintegrado um esquema que “roubava dinheiro do clube” no início de sua gestão.

– Ainda no início da gestão, desmantelei um esquema dentro da Operação de Jogos. Não vou usar de meias palavras: funcionários, com a conivência — ou melhor — a cumplicidade de dirigentes, roubavam dinheiro da bilheteria em todas as partidas. Não satisfeitos, essa quadrilha ainda apresentava recibos fajutos para inflar as despesas de jogo, em conluio com prestadores de serviço. Cortamos esse mal pelo raiz – afirma o presidente.

Mente Tática: Roger e Pedrinho analisam lances de Flamengo x São Paulo pela Copa do Brasil

No Seleção SporTV desta terça-feira, os comentaristas Roger Flores e Pedrinho analisaram lances do jogo de ida entre Flamengo e São Paulo pela Copa do Brasil no quadro “Mente Tática”.

Os comentaristas discutiram as filosofias de jogo de Fernando Diniz e Rogério Ceni, o posicionamento defensivo dos times, a rápida transição ofensiva das equipes e os erros de saída de bola pelo goleiro.

Gabigol não se recupera e aumenta lista de desfalques do Flamengo; veja os relacionados

Gabigol não está recuperado das dores na coxa direita, não viaja e aumenta ainda mais a lista de desfalques do Flamengo para enfrentar o São Paulo, quarta-feira, no Morumbi. O atacante fez exame que apontou uma fadiga acentuada no local.

Como perdeu por 2 a 1 no Maracanã, a equipe precisa vencer por dois gols de diferença para avançar na Copa do Brasil. Se vencer por um gol, o Flamengo leva a decisão para os pênaltis. Não há critério de “gol fora de casa” no torneio.

A informação da ausência de Gabigol foi publicada inicialmente pelo site “Coluna do Fla” e confirmada pelo ge.

Além de Gabigol, o técnico Rogério Ceni não vai poder contar com Pedro, Thiago Maia, Filipe Luís e Rodrigo Caio, que se recuperam de lesão. Diego está em recondicionamento físico. Everton Ribeiro e Isla jogam nesta terça pelas Eliminatórias e é improvável que tenham condições de estar em campo contra o São Paulo na quarta.

Nesta terça, o Flamengo confirmou a alta gravidade do problema de Thiago Maia, que lesionou os ligamentos do joelho. A forma de tratamento ainda está sendo discutida com o Lille, clube francês que tem contrato com o volante.

Sem novos vetos, Fábio Santos pode assumir de vez a lateral do Corinthians

A lateral esquerda do Corinthians vai continuar tendo alternância de dono na próxima rodada, diante do Grêmio, domingo, às 20h30 (de Brasília), na Neo Química Arena. Mas o jogo deve marcar o fim das modificações no setor.

Lucas Piton e Fábio Santos fizeram revezamento na função em razão de impedimentos burocráticos para a sequência do jogador de 35 anos, que voltou ao Timão em 19 de outubro.

Vagner Mancini escalou a lateral da seguinte forma:

  • Lucas Piton foi titular na derrota por 5 a 1 para o Flamengo;
  • Fábio Santos fez sua estreia na vitória por 2 a 1 contra o Vasco;
  • Lucas Piton jogou na derrota por 1 a 0 para o América-MG, em Itaquera;
  • Fábio Santos foi titular e um dos destaques da vitória por 1 a 0 contra o Inter;
  • Lucas Piton voltou ao time no empate por 1 a 1 com o América-MG, em Belo Horizonte;
  • Fábio Santos foi titular e fez o gol do empate por 1 a 1 com o Atlético-GO;
  • Lucas Piton atuou na derrota por 2 a 1 para o Atlético-MG no último sábado.
Fábio Santos em treino do Corinthians — Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians

Fábio Santos em treino do Corinthians — Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians

Depois da eliminação do Timão nas oitavas de final do torneio, Fábio Santos voltou a ser desfalque na última rodada em razão de um acordo que fez com o Galo. Ao se desvincular antes do fim de seu contrato, aceitou ser vetado da partida do returno entre as duas equipes na Neo Química Arena.

Agora com caminho livre, Fábio tem tudo para engatar uma sequência de jogos na lateral do Timão. Ele será um dos reforços de Mancini para a partida. O volante Roni, suspenso, é desfalque.

Piton, de 20 anos, é visto pela comissão técnica como uma joia ainda a ser melhor lapidada na temporada. O entendimento geral é de que a própria influência de Fábio Santos pode ser positiva.

Por Marcelo Braga — São Paulo

Com missão de melhorar o Flamengo, Ceni tem desafio extra para montar time; veja caso a caso

Rogério Ceni retoma nesta segunda-feira a preparação do Flamengo para o duelo com o São Paulo, quarta-feira, no Morumbi, que decidirá o futuro do time na Copa do Brasil. Em um cenário cheio de problemas, o técnico terá que se desdobrar para armar o time e melhorar o desempenho, alvo de críticas após o empate com Atlético-GO.

A escalação será uma incógnita até provavelmente poucas horas antes da partida. Ceni ganhou três preocupações extras, já que ainda não sabe se Gabigol, Thiago Maia e Pedro serão vetados. Há também a situação de Everton Ribeiro e Isla, que entram em campo na terça por suas seleções.

Uma das poucas certezas é a volta de Diego Alves ao posto de titular no lugar de Hugo. Mesmo ainda sem estar nas condições ideais, a tendência é de que Arrascaeta seja escalado desde o início. Provavelmente mais centralizado, para que não seja tão exigido na parte física.

– O elenco tem caras ótimos de se trabalhar. Mas está fisicamente bastante cansado e com bastante lesões e desfalques, o que dificulta – disse Ceni.

Como perdeu por 2 a 1 o primeiro jogo, no Maracanã, o Flamengo precisa vence por dois gols de diferença para chegar na semifinal. Uma vitória simples leva a disputa para os pênaltis.

Dia 10 de outubro de 2020 foi o dia de Rogério Ceni iniciar seu projeto no Flamengo

Flamengo e São Paulo se enfrentam nesta quarta-feira, às 21h30, no Maracanã, no primeiro confronto pelas quartas de final da Copa do Brasil. O grande personagem do duelo é Rogério Ceni, ídolo são-paulino que fará sua estreia no comando da equipe rubro-negra.

Nas oitavas, ainda no comando do Fortaleza, Ceni foi eliminado pelo próprio São Paulo, e agora tem uma nova oportunidade. A mudança deu novo ânimo ao Flamengo, que foi goleado pelo Tricolor por 4 a 1 há 11 dias. A promessa é de uma postura bem diferente nesta quarta.

Transmissão: Globo Rede, SporTV e Premiere

Narração: Luis Roberto (Globo Rede) e Luiz Carlos Jr. (SporTV)

Comentários: Caio Ribeiro e Roger Flores (Globo Rede) e Ledio Carmona e Ricardinho (SporTV).

Tempo Real: o ge acompanha todos os lances, com vídeos exclusivos (CLIQUE AQUI para acessar).

Flamengo: técnico – Rogério Ceni

Em sua estreia, Ceni não poderá contar com alguns jogadores importantes. A boa notícia é a chance de Arrascaeta ser relacionado. A tendência é de que Gabigol, que iniciou no banco contra o Atlético-MG, seja titular.

Provável Flamengo para enfrentar o São Paulo — Foto: ge

Provável Flamengo para enfrentar o São Paulo — Foto: ge

Desfalques: Pedro, Everton Ribeiro e Isla (convocados por suas seleções); Rodrigo Caio e Filipe Luís (lesão); Diego (recondicionamento físico).

Pendurados: ninguém

São Paulo: técnico – Fernando Diniz

O treinador terá o retorno de Daniel Alves no meio de campo. O camisa 10 cumpriu suspensão no Brasileirão, no último sábado, e deu lugar a Vitor Bueno. Ele terá a companhia de Gabriel Sara, recuperado de um desconforto no quadril. Tchê Tchê, com Covid-19, e Arboleda, na seleção equatoriana, são os principais desfalques.

Provável São Paulo para enfrentar o Flamengo — Foto: ge.globo

Provável São Paulo para enfrentar o Flamengo — Foto: ge.globo

Quem está fora: Walce, Lucas Perri, Liziero, Paulinho Boia e Rojas (lesionados); Tchê Tchê (Covid-19) e Arboleda (seleção do Equador).

Pendurados: ninguém

 — Foto: Infografia

— Foto: Infografia

  • Árbitro: Anderson Daronco (Fifa/RS)
  • Assistente 1: Rafael da Silva Alves (Fifa/RS)
  • Assistente 2: Michael Stanislau (RS)
  • VAR: Daniel Nobre Bins (RS)

Análise: falta de produção ofensiva empurra o Vasco para a zona de rebaixamento

derrota sofrida para o Palmeiras neste domingo por 1 a 0, em São Januário, empurrou o Vasco para a zona de rebaixamento. A situação é resultado de nove jogos sem vitória no Brasileiro. Mais uma vez, o time jogou mal, criou pouco, quase inofensivo no ataque. Na defesa, o time teve atuação sólida, prejudicada pelo pênalti cometido por Neto Borges em Lucas Lima.

Assim como na última quarta, quando o Vasco avançou na Sul-Americana ao empatar com o Caracas por 0 a 0, Sá Pinto escalou três zagueiros. A estratégia funcionou durante boa parte do jogo deste domingo. Apesar de ter mais posse de bola, a equipe paulista tinha muita dificuldade para penetrar a defesa vascaína.

Sem a bola, o Vasco formava um 5-4-1, com Cano mais avançado. Todo o time defendia compactado. Assim, resistiu às muitas investidas do Palmeiras. O gol da partida pode ser creditado mais a uma falha individual do que a um erro coletivo. Neto Borges cometeu um pênalti bobo em Lucas Lima, ao chegar atrasado e fazer falta mesmo tendo cobertura dos zagueiros.

Ataque improdutivo

No primeiro tempo, o time apostou quase exclusivamente nas jogadas pela direita, com Benítez, com apoio do lateral Léo Matos. O meia, no entanto, não estava num bom dia. Assim como todo o setor de criação do Vasco, que era muito lento na transição da defesa para o ataque. Postura fatal para um time que se propõe a jogar no contra-ataque.

A situação de Talles Magno, na ponta esquerda, não era melhor. O atacante tentou jogadas individuais, para quebrar as linhas, mas parava sempre na marcação palmeirense. O Vasco sempre tinha menos jogadores no campo de ataque, seus homens era alvos fáceis para os adversários.

Quem mais sofria com a falta de produtividade era Cano. O centroavante ficou isolado a maior parte do tempo. Em todo o jogo, só recebeu uma bola em condições de finalizar, quando deu bom drible, mas chutou fraco de esquerda, e Weverton defendeu.

Aberto pela direita, Benítez errou demais e não teve boa atuação — Foto: André Durão

Aberto pela direita, Benítez errou demais e não teve boa atuação — Foto: André Durão

Ciente da necessidade do resultado, Sá Pinto mandou o time para frente. O Vasco chegou a ter quatro atacantes em campo no fim do jogo. Um deles era o estreante Gustavo Torres, que teve uma chance de gol, ao receber um cruzamento e bater de primeira, para defesa tranquila de Weverton. Muito pouco tempo para analisar o desempenho do colombiano, recém-chegado.

Ao fim do jogo, em entrevista coletiva, o técnico Sá Pinto lamentou a derrota. Segundo ele, o resultado mais justo seria o empate. No entanto, faltaram ao Vasco iniciativa e qualidade na saída de jogo. Mas é possível ressaltar a evolução da defesa e vale lembrar que o técnico está em início do trabalho, em meio a um calendário de jogos pesado, e há bastante margem para melhorar em busca de sair do Z-4.

Por Ronald Lincoln Jr. — Rio de Janeiro