Campo Grande, 25 de setembro de 2021

Aliados de Bolsonaro temem desgaste político com retomada do caso Queiroz após decisão do STF

O grupo mais próximo da família Bolsonaro no Congresso Nacional demostrou preocupação com a retomada das investigações o chamado“caso Queiroz”.

Nesta quarta-feira (18) são cumpridos mandados de busca no Rio de Janeiro contra ex-assessores do senador Flávio Bolsonaro (Sem partido-RJ), entre eles Fabrício Queiroz.

A percepção de congressistas ouvidos pelo blog é a de que, depois de um período de calmaria, com a suspensão de investigações pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, agora, haverá um novo momento em que o “caso Queiroz” voltará aos holofotes.

Em julho, Toffoli atendeu pedido de Flávio Bolsonaro, e determinou a paralisação de todas as investigações do país baseadas em dados sigilosos de órgãos de controle como o Coaf obtidos sem autorização da justiça.

Porém, no mês passado o Supremo decidiu permitir o compartilhamento de dados e no início de dezembro fixou as regras para que isso aconteça. A decisão de Toffoli foi derrubada e as investigações puderam ser retomadas.

Nas palavras dos congressistas ouvidos, no período em que vigorou a suspensão, houve um represamento das investigações do “caso Queiroz”.

Além disso, todo a estratégia da defesa estava centrada na possibilidade de o STF impedir o compartilhamento de dados detalhados, o que poderia anular a investigação.

Como a decisão do tribunal foi na direção oposta, essa linha de defesa perde força e terá que ser revista. Para aliados, isso vai trazer desgaste político deixando os Bolsonaro na defensiva.

Por Gerson Camarotti

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × um =