Campo Grande, 22 de setembro de 2021

PREFEITURA INVESTE NO PROTAGONISMO DAS FAMÍLIAS PARA GARANTIR INCLUSÃO À POPULAÇÃO DE BAIXA RENDA

A Prefeitura de Campo Grande está investindo no protagonismo das famílias, desenvolvendo ações, serviços, programas e benefícios que garantam a acolhida, o desenvolvimento da autonomia e espaços de convivência familiar, comunitária e social.

Nesse sentido, os Centros de Referência da Assistência Social – CRAS, executaram o Trabalho Social com Famílias do Serviço de Proteção e Atendimento Integral às Famílias – PAIF, a fim de prevenir a ruptura de vínculos e promover o protagonismo e a autonomia das famílias, por meio de dois processos distintos e complementares: o atendimento e o acompanhamento.

Em busca de fortalecer a rede de apoio as famílias, as ações coletivas e o acompanhamento em grupo foram priorizados. Como resultado, foram realizadas 107 oficinas, que atenderam 1.880 famílias; 158 ações comunitárias, que atenderam 10.453 famílias; 968 ações coletivas, que atenderam 12.445 famílias; 22 grupos de acompanhamento com participação de 166 famílias.

Ainda visando amenizar a situação de vulnerabilidade socioassistencial, a Gerência de Gestão de Benefícios Socioassistenciais concedeu, durante 2019, mais de 23.500, benefícios eventuais, sendo: Situação de Vulnerabilidade Temporária e de Calamidade (Colchão e cobertor); Segurança Alimentar (Cesta Básica); Auxílio-Natalidade; Auxílio Funeral; Auxílio Documento (2ª via de RG e Certidão de Nascimento, Óbito e Casamento); Carteira de Viagem Intermunicipal e Interestadual para pessoas idosas e com deficiência; e Passe Social (soropositivo, renal crônico e ostomizado), mediante critérios de renda específicos.

Por intermédio da Gerência de Trabalho e Ações de Cidadania, vinculada à Proteção Social Básica, foram realizados 80 cursos/oficinas na capital, com certificação para mais de 1.500 alunos. Vale explicar que, o objetivo das ações de Geração de Renda é, estabelecer possibilidades de enfrentamento às dificuldades, estimular o aumento da renda por intermédio da comercialização dos produtos e serviços aprendidos durante as oficinas e capacitações, e da preparação para o ingresso no mercado de trabalho e fortalecer vínculos,. Além de proporcionar o aumento da autoestima e da qualidade de vida pela aprendizagem de um ofício, e pela possibilidade de aquisição e reconstrução da identidade a partir da realização do exercício profissional.

A Gerência de Gestão do Cadastro Único promoveu a Campanha “Tereré com Bolsa Família”, que teve como objetivo estimular o acesso aos direitos básicos de educação e saúde à população vulnerável, por meio dos serviços prestados na Política da Assistência Social. O atendimento às famílias ocorreu desde a convocação por meio de cartas enviadas em parceria com a SEMED, até a recepção das famílias nas unidades, pelo atendimento técnico especializado. A estratégia adotada favoreceu a manutenção do recebimento do benefício pelas famílias, por promover os pressupostos exigidos pelo Programa Bolsa Família.

Durante o ano, 51.227 famílias atualizaram o Cadastro Único, que dá acesso a programas do Governo Federal, sendo que 23.469 famílias foram contempladas com o benefício da Tarifa Social por meio da inclusão e/ou atualização das informações e Unidade Consumidora (UC) no Cadastro Único. Vale lembrar que, 10.699 beneficiários do BPC foram atendidos com a inclusão no Cadastro Único, conforme portaria publicada pelo Governo Federal em 2018.

A Gerência de Proteção Social Especial de Média Complexidade, o Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua – CENTRO POP promoveu diversas ações na capital. Dentre elas, “Onde a Esmola Acaba, O Direito Começa”, “Enfrentamento a Violência e Exploração Sexual contra Criança e ao Adolescente”, “Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil”, “Abordagens Contínuas e planejadas na Antiga Rodoviária e seu entorno”, “Campanha de Carnaval”, “Ações nos Pontilhões”. Cabe destacar que a equipe CENTRO POP/SEAS POP realizou, em 2019, abordagens planejadas e de forma maciça, à população em situação de rua que vivem no Antigo Terminal Rodoviário e seu entorno, cuja proposta foi ofertar os serviços da Assistência Social de forma programada e continuada, visando construir o processo de saída de rua dessas pessoas.

Como prova disso, o Serviço Especializado em Abordagem Social, promoveu mais de 3500 atendimentos a pessoas em situação de rua, por meio, do Centro Pop. Neste mesmo ano, a unidade criou o Projeto “ATENDA/PSICÓTICO: Saúde e Assistência Social, Atendimento Intersetorial às Pessoas em Situação de Rua com Transtornos Psiquiátricos Graves”, realizado em parceria com a Secretaria de Saúde Pública/SESAU, que propõe de forma intersetorial e articulada ampliar o acesso e a qualidade da atenção integral à saúde da população em situação de rua, com quadros graves e intensos sofrimentos psíquicos, de modo a garantir proteção social.

“O objetivo é buscar mudanças para que cada programa, serviço e benefício seja ofertado com qualidade e estimule a autonomia para que todos os cidadãos do município se tornem protagonistas de sua própria história”, destacou o secretário José Mário Antunes.

O Centro-Dia para Pessoas com Deficiência e Suas Famílias realizou atendimento a 72 famílias, prestando orientações e encaminhamentos visando garantir direitos e o fortalecimento de vínculos entre si. Os acompanhamentos dentro da Unidade passaram de 60, em 2018, para 71 famílias e 09 atendimentos no domicílio em 2019.

A SAS também executa o Serviço de Proteção Social a Adolescentes e Jovens em Cumprimento de Medidas Socioeducativas de Liberdade Assistida (LA) e Prestação de Serviços à Comunidade (PSC), o qual tem como objetivo prover atenção socioassistencial. Campo Grande (MS) atendeu e acompanhou cerca de 800 adolescentes, que são acompanhados pela equipe técnica dos CREAS – Centros de Referência Especializados em Assistência Social, formada por psicólogo, assistente social e advogado, que por meio do Plano Individual de Atendimento (PIA), pactua junto ao adolescente e sua família, metas para a construção de um projeto de vida diferente da transgressão penal e que leve a transformação social e a novas perspectivas de vida.

“Foi perceptível a melhoria da metodologia de atendimento ao público do SUAS, além da compreensão mais abrangente por parte dos beneficiados em relação aos direitos que lhes são competidos”, completou José Mário.

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 + sete =