Campo Grande, 23 de maio de 2022

Idoso de 99 anos, veterano da 2ª Guerra Mundial, é mais velho a se recuperar da Covid-19 no Brasil

Ermando Armelindo Piveta, de 99 anos, se tornou nesta terça-feira (14) a pessoa mais velha a se recuperar da Covid-19 no Brasil, segundo o Ministério da Saúde. Morador do Distrito Federal, ele estava internado no Hospital das Forças Armadas (HFA) desde 6 de abril e recebeu alta nesta tarde .

O idoso foi segundo tenente da Força Expedicionária Brasileira e chegou a atuar na 2ª Guerra Mundial. No ano passado, foi reconhecido com a Medalha da Vitória, concedida pelo Ministério da Defesa a combatentes que atuaram no conflito.

Segundo familiares, ainda falta um último exame para confirmar que Ermando não está mais infectado com o novo coronavírus. Mas os médicos afirmam que ele já está recuperado.

“Agora é ele continuar se recuperando em casa. E a gente continuar vivendo com ele, que é um camarada muito bacana, e continuar tocando a vida. Espero que esse coronavírus passe logo e a gente volte a ter paz no nosso país”, afirmou a filha do veterano, Vivian Piveta, após a alta do pai.

Veterano da 2ª Guerra, de 99 anos, recebe alta após se recuperar da Covid-19 — Foto: Brenda Ortiz/G1

Veterano da 2ª Guerra, de 99 anos, recebe alta após se recuperar da Covid-19 — Foto: Brenda Ortiz/G1

Segundo o diretor-técnico do HFA, almirante Nestor Francisco Miranda Júnior, o quadro inicial do paciente deixou os médicos inquietos, principalmente por conta da idade. Ele estava sendo acompanhado à distância, mas após sentir cansaço e tosse, precisou ficar internado no hospital.

“Foi bastante preocupante. Uma pessoa de 99 anos, internada com uma doença que a gente olha nos noticiários e a mortalidade aumenta cada dia, nos preocupou muito”, afirma.

Segundo o médico, Ermando foi internado no Centro de Terapia Intensiva (CTI), mas não precisou da ajuda de aparelhos para respirar. O almirante afirma que o paciente tem um “organismo muito forte”, mas que vários fatores podem ter ajudado na recuperação.

Pode ter sido por vários fatores, constitucionais, familiares. Pode ter influenciado o fato de ele ter sido militar, ter ido pra uma guerra, então tem um outro tipo de condicionamento. Fica muito difícil para a gente afirmar qual é o [fator] mais preponderante.”

Atuação na 2ª Guerra

Segundo as Forças Armadas, durante a 2ª Guerra Mundial, Ermando partiu de Itu, em São Paulo, e foi até Dakar, a bordo do navio Almirante Alexandrino. No retorno, atuou nas ações de guarda da costa brasileira em cidades como Fernando de Noronha, Natal e Recife. Veja imagens abaixo:

Segundo tenente Ermando Armelindo Piveta durante 2ª Guerra Mundial — Foto: Arquivo pessoal

Segundo tenente Ermando Armelindo Piveta durante 2ª Guerra Mundial — Foto: Arquivo pessoal

2º tenente Ermando Armelindo Piveta (ao centro), com companheiros durante 2ª Guerra Mundial — Foto: Arquivo pessoal

2º tenente Ermando Armelindo Piveta (ao centro), com companheiros durante 2ª Guerra Mundial — Foto: Arquivo pessoal

2º tenente Ermando Armelindo Piveta (terceiro da esquerda para direita), durante 2ª Guerra Mundial — Foto: Arquivo Pessoal

2º tenente Ermando Armelindo Piveta (terceiro da esquerda para direita), durante 2ª Guerra Mundial — Foto: Arquivo Pessoal

A alta do ex-combatente ocorre na data em que se comemoram 75 anos da “Tomada de Montese”, quando militares brasileiros ocuparam a cidade italiana e ajudaram a desmantelar as linhas de defesa alemãs, já próximo ao fim da guerra.

Por Brenda Ortiz, G1 DF

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

quinze − onze =