Campo Grande, 13 de julho de 2024

PROJETO SANGUE AMIGO INCENTIVA DOAÇÃO ENTRE SERVIDORES DA SAS

Levar informação e desmistificar o processo de doação de sangue. Foi com essa proposta que o psicólogo Renan da Cunha Soares Junior elaborou o projeto “Sangue Amigo”, vinculado à gestão do Sistema Único de Assistência Social (SUAS), que visa incentivar e organizar grupos de doadores de sangue entre os servidores da Secretaria Municipal de Assistência Social, para a efetivação de suporte ao Hemosul.

A iniciativa busca contribuir com o aumento no número de doadores e manter o calendário anual de doações quadrimestrais.

O secretário municipal de Assistência Social, José Mário Antunes, ressaltou a proposta humanitária do projeto. “É uma ação que demonstra o carinho e a solidariedade de nossos servidores com o próximo. A constância na doação de sangue é uma das problemáticas mais sérias enfrentadas pelos bancos de sangue, e com esse projeto podemos dar nossa contribuição, ajudando a manter os estoques”, disse.

“Já havia uma mobilização na secretaria para a criação de uma campanha que fosse longitudinal para fidelizar o servidor. Estamos organizando um cadastro interno dos servidores que desejam ser doadores e vamos agendar conforme a necessidade do Hemosul. É uma oportunidade para quem tem vontade de doar, mas nunca teve a iniciativa”, frisou o psicólogo.

Ele explicou que a ideia inicial era promover a doação de sangue em três datas importantes para o Sistema Único de Assistência Social (SUAS): Dia Mundial da Justiça Social (20/02), Dia do Assistente Social (15/05 ) e Dia da Criação da Lei Orgânica de Assistência Social (07/12), mas devido a importância do projeto e a necessidade constante de doações, a campanha será permanente.

Com a pandemia, muitas pessoas ficaram receosas de doar sangue. Além disso, os meses de junho a agosto costumam registrar uma baixa de doações nos hemocentros, também devido ao frio, por isso grupos de servidores da SAS se organizaram para realizar a doação.

O advogado Marcos Paulo Pinto de Arruda Sodré, que atua no Centro de Referência de Assistência Social Sul já fez sua contribuição e destacou o prazer em realizar o ato. “Já sou doador há alguns anos e sempre que posso contribuo. Houve baixa nos estoques de sangue devido a Covid, por isso é uma satisfação saber que você está ajudando a salvar muitas vidas”, pontuou.

Segurança

Dúvidas e receio quanto às etapas e exigências para a doação de sangue costumam influenciar na decisão de se tornar um doador, por isso o projeto também detalha todos os pontos desse processo, munindo o servidor de informações que destacam a segurança no ato de doar, como o uso de materiais descartáveis.

A cada coleta, são retirados 450 ml de sangue, quantidade que o corpo recompõe em até 72 horas.

A gerente do setor de captação do Hemosul, Cleuza Benitez, elogiou a iniciativa da SAS. “Trabalhar a sensibilização no ambiente de trabalho dos servidores é uma atitude que vai de encontro com nosso objetivo, que é fidelizar o doador e melhorar a questão da baixa de estoque”, afirmou.

Cada doador pode contribuir com a recuperação da saúde de até quatro pessoas, tanto doentes internados quanto em tratamento de anemia ou pessoas que sofreram algum acidente.

Compartilhe

Facebook
Twitter
WhatsApp