Campo Grande, 24 de fevereiro de 2024

Cuca reassume Atlético-MG

Sete meses após deixar o Atlético-MG, Cuca está de volta. Chamado para “recolocar o time nos trilhos”, o campeão do Triplete Alvinegro em 2021 (Mineiro, Copa do Brasil e Brasileiro), foi apresentado nesta terça-feira. Os desafios são claros: a busca pelo bicampeonato do Brasileirão e reconquista da Libertadores. Para isso, terá um elenco mais forte, avaliação feita pelo próprio treinador ao reassumir o cargo.

– Agora é trabalhar, não tem outro ingrediente que não seja trabalho, sacrifício, entregar o máximo em cada treinamento, para poder pôr em prática em jogos. Ter as oportunidades que todos vão ter, dependerá do desempenho de cada um para se auto escalarem – ressalta Cuca.

Cuca retorna ao Atlético-MG — Foto: Pedro Souza/Atlético-MG

Cuca retorna ao Atlético-MG — Foto: Pedro Souza/Atlético-MG

As caras novas são Jemerson, Otávio, Guilherme Castilho, Rubens, Ademir, Fábio Gomes, Pedrinho, Pavón e Alan Kardec.

– Eu tenho uma ideia (para fazer um time), um conhecimento bastante grande do grupo. Não conheço meia dúzia que chegaram, mas a grande maioria a gente conhece.

Cuca e Rodrigo Caetano em apresentação do Atlético — Foto: Pedro Souza/Atlético-MG

Cuca e Rodrigo Caetano em apresentação do Atlético — Foto: Pedro Souza/Atlético-MG

No Brasileiro, o Atlético fechou o primeiro turno na quarta colocação, a sete pontos do líder Palmeiras. Cuca já tem as contas para o segundo turno, projetando a briga pela taça. Mas faz também ponderações.

– Tem que ganhar no mínimo 15 partidas. No mínimo. São 45 pontos, junto com 32, daria 77. E ainda torcer, no caso do Palmeiras, não fazer 78. Ele tem 39, não fazer mais 39. Tudo é número. Fácil falar. “Vamos ganhar 15 partidas, legal!”. São 19 (jogos). Não é assim. Como fazemos o cálculo agora, que não é mais começo do campeonato: jogo a jogo. Lá domingo contra o Internacional. É o cálculo que a gente tem, buscar o melhor lá contra o Internacional.

Compartilhe

Facebook
Twitter
WhatsApp