Campo Grande, 28 de fevereiro de 2024

Luis Suárez acerta com o Nacional do Uruguai

O craque uruguaio Luis Suárez jogará até o fim do ano no Nacional de Montevidéu, clube onde estreou como profissional há 17 anos, o que lhe permitirá continuar atuando às vésperas da Copa do Mundo do Qatar-2022. “O contrato já está acertado”, anunciou nesta quarta-feira o presidente do Nacional, José Fuentes, acrescentando que o Pistolero “estará à disposição” na próxima terça-feira para jogar contra o Atlético-GO, na primeira partida das quartas de final da Sul-Americana, em Montevidéu.

 

 

O atacante veterano de 35 anos teve ofertas de outras equipes até o último momento, “mas ele me disse que escolheu vir para o Nacional”, acrescentou Fuentes, dizendo que o jogador chegaria a Montevidéu na “sexta ou no domingo”.

Suárez vai disputar com o Nacional, além das quartas de final da Sul-Americana, o torneio local Clausura e a Copa do Uruguai, antes de se juntar à seleção uruguaia para a Copa do Mundo (21 de novembro a 18 de dezembro).

#SuarezANacional

Com a hashtag #SuarezANacional, que em questão de horas virou tendência mundial, os torcedores do clube foram às redes sociais e há 15 dias fazem uma gigantesca campanha pedindo o retorno do jogador, tentando tocar o coração do artilheiro com milhões de mensagens.

Fuentes viajou à Espanha na última quarta-feira para se encontrar com Suárez e, após várias horas de reunião, voltou no dia seguinte com o “sim” da família dele para o retorno ao Uruguai.

Na última quinta-feira, na partida em que o Nacional enfrentou o Cerrito no Gran Parque Central, pelo Torneio Intermedio, cerca de 15 mil torcedores usaram máscaras com o rosto de Suárez e, aos 9 minutos de jogo, o número utilizado pelo atacante, cantaram seu nome.

Essas demonstrações de carinho acabaram convencendo Suárez, que chegará a Montevidéu no fim de semana para ser apresentado à torcida e colocado sob as ordens do técnico Pablo Repetto.

“Agora vamos trabalhar como será a chegada dele. Vamos comemorar a chegada dele como ele merece”, disse o presidente do Nacional.

Craque recebeu diversas propostas

O atacante estava sem clube desde meados de maio, quando se encerrou seu contrato de dois anos com o Atlético de Madrid. Ele queria continuar na Europa, em uma equipe que lhe garantisse a titularidade, tendo a Copa do Mundo em mente, a quarta que ele jogará desde a da África do Sul-2010.

Várias ofertas chegaram às suas mãos, entre elas propostas dos três clubes mais populares da Turquia e um da Itália, mas nenhuma satisfez os interesses esportivos e pessoais do maior artilheiro da Celeste, com 68 gols.

Outras, como a do Borussia Dortmund, destacada pela imprensa alemã recentemente, dizendo que ele seria um dos candidatos a substituir o marfinense Sébastien Haller, diagnosticado com câncer os testículos, não passaram de rumores.

As propostas da Major League Soccer (MLS), dos EUA, também chegaram a ele, mas rapidamente perderam força quando uma campanha promovida pela torcida do Nacional pedindo sua volta cresceu nas redes sociais.

Suárez estava no radar do River Plate, com quem havia chegado a um acordo segundo o próprio Pistolero, mas a eliminação do clube comandado por Marcelo Gallardo nas oitavas de final da Libertadores pelas mãos de Vélez Sarsfield frustrou sua chegada à Argentina.

Quando caiu a opção pelo futebol argentino, o Nacional apareceu como uma possibilidade que, com a passagem de dias, tornou-se uma realidade.

O bom filho à casa torna

Suárez conquistou o Campeonato Uruguaio em 2005 e 2006 com o Nacional, e em um ano e meio no time marcou 12 gols em 35 jogos.

Aos 19 anos, ele deu o salto para o futebol na Europa para se juntar ao holandês Groningen na temporada 2006-2007. Desde então construiu uma trajetória incrível que incluiu vários títulos e prêmios individuais, e quase 440 gols, também jogando por Ajax, Liverpool, Barcelona e Atlético de Madrid.

Compartilhe

Facebook
Twitter
WhatsApp