Campo Grande, 27 de fevereiro de 2024

Giselle Marques defende agroecologia e mira 2º turno capitalizando votos de Lula

Pré-candidata do PT ao governo de Mato Grosso do Sul, a advogada Giselle Marques, 54 anos, traz as bandeiras da agroecologia, apoio às mulheres arrimo de família e orçamento participativo. Numa corrida eleitoral em que o atual cenário é de cinco adversários, ela se vê no segundo turno por ser o único projeto aliado ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que lidera as pesquisas eleitorais para presidente.

Se no ano de 2018, auge do antipetismo, o petista Humberto Amaducci teve 10,26% dos votos para governador, a meta da pré-candidata é triplicar, alcançando os 30% e se cacifando para o segundo turno.

“Acredito que nesse pleito, em que o Lula está tão bem posicionado nas pesquisas, vamos triplicar a votação que o Humberto teve. A tendência é eu capitalizar esses 30% e chegar ao segundo turno.”

Além do antipetismo, o projeto eleitoral precisa superar o machismo (Mato Grosso do Sul nunca elegeu uma governadora). Giselle encara segundo ano consecutivo de eleição: em 2021, foi candidata à presidência da OAB/MS (Ordem dos Advogados do Brasil). Questionada sobre o que lhe move, aponta que é seu inconformismo com injustiça.

Durante a entrevista, a pré-candidata se mostra preocupada com o preço da tarifa do ônibus em Campo Grande. Ela logo esclarece saber da competência municipal sobre o tema, mas volta ao passado para explicar a razão.

– CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

Compartilhe

Facebook
Twitter
WhatsApp