Campo Grande, 24 de fevereiro de 2024

Amanda Nunes tenta feito raro em revanche após derrota para Julianna Peña

Ao olhar para os números você pode focar no lado bom ou no lado ruim. Amanda Nunes tem números que a favorecem antes do UFC 277 e outros nem tanto. Começando pela “notícia ruim”, entre todas a revanches imediatas do Ultimate com cinturões em jogo, apenas dois dentre dez lutadores conseguiram devolver a derrota anterior na segunda luta, como é o caso da brasileira que tenta neste sábado retomar o cinturão peso-galo (até 61,2kg) contra a campeã Julianna Peña. Mas a “boa notícia” é que nas casas de apostas, que dão um bom termômetro do que a maioria espera, a Leoa tem 70% de favoritismo antes do duelo em Dallas.

No caso das revanches históricas imediatas em lutas por título, apenas Randy Couture – contra Vitor Belfort no UFC 49, em 2004 – e Deiveson Figueiredo – diante de Brandon Moreno no UFC 270, neste ano – conseguiram tal feito que Amanda Nunes também busca. A brasileira foi finalizada por Peña no segundo round no UFC 269, em dezembro de 2021.

– Acho que o desafio é que ela está confiante pra caramba! E isso é o que me faz perigosa, é a confiança da minha oponente. Quando ela se expõe bastante é onde consigo encontrar as brechas para nocautear, finalizar, para crescer na luta. Ela vem realmente com muito gás, é uma atleta dura, e está com meu cinturão, ela ganhou para mim, é indiscutível. Mas ela sabe que realmente eu não estava 100% naquela luta, sabe que eu não tinha feito um bom camp, sabe que eu estava com lesões. Ela sabe que eu seria uma presa mais fácil e aí aconteceu. Perdi meu cinturão e agora estamos aqui para resgatar e continuar fazendo história, continuar levando meu legado à frente, continuar colocando o nome do Brasil lá no topo também. Sinto saudade do cinturão, quero ele de volta – disse a lutadora ao Combate. Ela soma 21 vitórias e apenas cinco derrotas na carreira.

Compartilhe

Facebook
Twitter
WhatsApp