Campo Grande, 22 de abril de 2024

Alemanha pagará multas por críticas a violações aos direitos humanos no Catar

Por France Presse

A Alemanha está “pronta para pagar as multas” por seus posicionamentos a favor dos direitos humanos durante a Copa do Mundo, disse Bernd Neuendorf, o presidente da Associação Alemã de Futebol (DFB), nesta sexta-feira (18).

A preparação para o torneio, que começa no domingo (20), foi tomada pela preocupação em respeito aos direitos dos trabalhadores, das mulheres e da comunidade LGBTQIA+ no emirado.

Manuel Neuer, goleiro e capitão da equipe alemã, juntamente com capitães de outras seleções europeias, se comprometeu a utilizar a braçadeira “One Love”, que celebra a diversidade e inclusão.

O gesto “não é político, tem um valor de compromisso a favor dos direitos humanos. Não descartamos realizar outras ações”, disse Neuendorf em resposta às declarações da Fifa sobre o assunto.

“Dizer que não deveríamos nos concentrar nos direitos humanos durante a Copa do Mundo realmente me irritou”, afirmou o dirigente.

A Fifa, a entidade máxima do futebol, sugeriu em um pronunciamento do presidente Gianni Infantino que as 32 seleções participantes “se concentrem no futebol” e pediu às equipes que não “dessem mais lições de moral”.

Recentemente, a Fifa proibiu a Dinamarca de treinar com camisas em apoio aos direitos humanos.

Neuendorf afirmou que a Federação Alemã não apoia a candidatura do dirigente à reeleição na presidência da entidade, em votação que acontece em março de 2023. No cargo desde 2016, o dirigente é o único candidato ao posto.

A Alemanha, tetracampeã em Copas do Mundo, faz sua estreia no torneio no dia 23 de novembro, contra o Japão.

Compartilhe

Facebook
Twitter
WhatsApp