Campo Grande, 24 de abril de 2024

Camarões e Sérvia empatam em jogo frenético

Golaço, reviravoltas e Brasil a um passo da vaga: Camarões e Sérvia empatam em jogo frenético

zagueiro servia Camarões e Sérvia empatam em jogo frenético

Foi um jogaço. Camarões e Sérvia empataram por 3 a 3 nesta segunda-feira, no estádio Al Janoub, em uma partida frenética, que teve de tudo: golaço salvo pelo VAR, reviravoltas no placar e até jogador expulso horas antes por indisciplina. O resultado complicou a vida das duas seleções, mas foi bom para o Brasil, que estará classificado se vencer a Suíça às 13h (de Brasília). Os gols da Sérvia foram marcados por Pavlovic, Sergej Milinkovic-Savic e Mitrovic. Os de Camarões foram feitos por Castelletto, Aboubakar (uma pintura) e Choupo-Moting.

E agora, como fica?

Com o empate, as duas seleções ficaram com um ponto no Grupo G, ainda com chances de classificação. O Brasil, se vencer a Suíça, irá a seis e não poderá mais ser alcançado por nenhuma delas – que, neste cenário, disputarão a vaga final contra os próprios suíços. Clique aqui e veja a tabela completa da Copa do Mundo.

Milenkovic em ação em Sérvia x Camarões

Milenkovic em ação em Sérvia x Camarões (Foto: Adrian Dennis / AFP)

Próximos jogos

As duas seleções se despedem da primeira fase do Mundial na próxima sexta-feira. Camarões enfrenta o Brasil, e a Sérvia encara a Suíça. Os dois jogos serão às 16h (de Brasília).

Um golaço (e salvo pelo VAR)!

Aboubakar fez um golaço, uma pintura. Foi no segundo tempo, no segundo gol de Camarões, quando a seleção africana iniciava a reação contra a Sérvia. Ele recebeu, deu linda finta no marcador e, com uma cavadinha, encobriu o goleiro. Mas teve que esperar para festejar. Inicialmente, a arbitragem marcou impedimento. O VAR, porém, salvou o golaço: confirmou que a posição era legal.

Crise antes do jogo

A seleção de Camarões entrou em campo envolvida por uma notícia bombástica. Horas antes do jogo, o goleiro André Onana, titular da equipe, foi expulso da delegação por questões disciplinares. Devis Epassy, de 29 anos, goleiro do Abha, clube da Arábia Saudita, foi o escolhido para enfrentar a Sérvia. O corte seria consequência de um desacerto de ordem tática entre Onana e o técnico de Camarões, Rigobert Song – sobre a preferência do goleiro de sair jogando com os pés.

Andre Onana, goleiro de Camarões

Andre Onana, goleiro de Camarões (Foto: Marko Djurica/Reuters)

Empolgou!

Reservas das duas seleções não conseguiram controlar a empolgação nos gols de suas equipes e invadiram o campo. A cena mais curiosa foi no gol de Camarões, em que os suplentes simplesmente cruzaram o gramado. O árbitro amarelou jogadores dos dois lados: os atacantes Bassogog, de Camarões, e Jovic, da Sérvia.

Bebeto, é você?

O meia-atacante Sergej Milinkovic-Savic, da Sérvia, fez uma comemoração à la Bebeto ao anotar o segundo gol sobre Camarões. Balançou os braços como se estivesse aninhando um bebê, assim como Bebeto fez no Mundial de 1994, na partida contra os EUA.

Sergej Milinkovic-Savic comemor segundo gol da Sérvia embalando uma criança, como Bebeto na Copa de 94

Sergej Milinkovic-Savic comemor segundo gol da Sérvia embalando uma criança, como Bebeto na Copa de 94

Primeiro tempo

A Sérvia começou o jogo mais incisiva. Com 16 minutos, o centroavante Mitrovic já havia somado duas grandes chances – uma pancada na trave, após tabelamento com Sergej Milinkovic-Savic e corte no marcador, e um chute para fora, de frente para o gol, ao pegar de surpresa uma sobra de bobeada da defesa camaronesa. Mas a seleção africana estava disposta a atacar. Aos 18, deu o primeiro sinal de reação, em um chute forte de Kunde, bem defendido pelo goleiro sérvio. Dez minutos depois, saiu o gol. Em cobrança de escanteio de Kunde, N’Koulou desviou de cabeça, e Castelletto apareceu na segunda trave e empurrou para o gol. A desvantagem desestabilizou a Sérvia, que passou alguns minutos sem conseguir reagir. Quando acordou, ainda teve tempo de criar uma leve pressão sobre Camarões, que passou a ter dificuldades para sair jogando. Mesmo assim, poderia ter ampliado. Kunde, aos 42, desarmou Lukic e mandou o chute. O goleiro deu rebote, e o próprio Kunde emendou desequilibrado, para longe. A chance perdida custaria caro. Aos 45, Pavlovic, de cabeça, aproveitou cruzamento de Tadic e empatou: 1 a 1. Na sequência, aos 47, Sergej Milinkovic-Savic desarmou Anguissa (que já havia falhado no primeiro gol), tabelou e bateu com qualidade, no canto, para virar a partida: 2 a 1.

Jogadores da Sérvia festejam gol contra Camarões

Jogadores da Sérvia festejam gol contra Camarões (Foto: Reuters)

  • Segundo tempo

    A necessidade de mudar o placar fez Camarões ir ao ataque e ceder espaços para a Sérvia no segundo tempo. Aos sete minutos, a seleção europeia fez linda jogada, trocou passes entre o sistema de marcação adversário e fez a bola chegar até Mitrovic, que empurrou para o gol: 3 a 1. Era evidente: o jogo estava ganho para os sérvios. Mas às vezes evidências enganam. Aos 18, Camarões empatou com uma pintura. Aboubakar foi lançado, deu um corte no marcador e, com uma cavadinha, encobriu o goleiro. Golaço – mas que precisou de confirmação do VAR, depois de a arbitragem inicialmente marcar impedimento. O lance empolgou a seleção africana, que empatou dois minutos depois com Choupo-Moting, após passe de Aboubakar: 3 a 3. A Sérvia, novamente desnorteada, teve que reunir forças outra vez. E teve chances. Mitrovic parou no goleiro Epassy. Sergej mandou por cima. O porém é que Camarões tinha Aboubakar. Aos 41, ele quase fez mais um ao arriscar de fora da área. O goleiro defendeu. O jogo seguiu aberto, vivo, com ataques de lado a lado, até os minutos finais. Mas o placar se manteve. E as duas seleções agora lutam pela vida na última rodada.

    Jogadores de Camarões festejam gols contra a Sérvia

    Jogadores de Camarões festejam gols contra a Sérvia (Foto: Divulgação)

Compartilhe

Facebook
Twitter
WhatsApp