Campo Grande, 24 de abril de 2024

Campo Grande pode ter Assis após sucesso de Riedel

Eleição de Riedel aumentou chances e número de pré-candidatos tucanos na Capital

Screenshot 2022 12 04 08 57 17 717 com.instagram.android 1 Campo Grande pode ter Assis após sucesso de Riedel

Depois de mostrar força e conseguir reeleger o sucessor em Mato Grosso do Sul, rompendo série de fracassos de outros governadores, o PSDB surge como forte candidato à Prefeitura de Campo Grande. Se aumentam as possibilidades, também cresce o número de pessoas de olho na chance de administrar a Capital de Mato Grosso do Sul.

Coordenador da campanha tucana em Campo Grande, Carlos Alberto de Assis, hoje à frente da Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Mato Grosso do Sul (Agems), também está de olho na prefeitura.

O sonho de Assis é antigo. Ele chegou a ser cotado para disputa em 2016, mas Rose Modesto foi a escolhida. Depois, foi sondado para vice de Marquinhos Trad (PSD), quando o ex-prefeito era aliado de Reinaldo Azambuja e PSDB, mas a parceria não foi efetivada. Nesta eleição, com o “Tamo Junto”, esteve à frente da campanha de Eduardo Riedel na Capital, que acabou consagrando a vitória no segundo turno.

Neste fim de semana, o grupo “TamoJunto” realizou uma festa para comemorar a vitória, com a presença do governador eleito, Eduardo Riedel. Nas falas, o agradecimento e reconhecimento a força do tucano à frente da campanha.

As ações de Carlos Alberto não ficam restritas apenas ao período eleitoral. Em novembro deste ano ele organizou a terceira edição do Chopp Solidário, promovido pelo “Instituto TamoJunto”, que recebe doação de alimentos em troca de garrafa de chope. Um grupo de 120 pessoas, voluntárias, segundo organizadores, recolheram as doações que neste ano tiveram o tema “fazer o bem, sem olhar a quem”.

Carlos Alberto de Assis tem, até o momento, o deputado Beto Pereira como concorrente à vaga dentro do partido. Beto busca uma secretaria no governo de Riedel para ficar mais próximo do eleitorado da Capital, caminho que Assis já percorre desde a campanha do PSDB com Reinaldo Azambuja, há 10 anos.

O destino de Beto Pereira e o ano de 2023 serão decisivos para a escolha do candidato tucano, que ainda tem a prefeita Adriane Lopes (Patriota) como aliada do governador Eduardo Riedel. Com tanta gente de olho na prefeitura mais importante do Estado, os tucanos devem recorrer a pesquisas para avaliar o melhor nome e ao final decidir quem estará “junto” neste passo fundamental para consolidação da hegemonia tucana no Estado.

 

Compartilhe

Facebook
Twitter
WhatsApp