Campo Grande, 22 de junho de 2024

Palácio da Alvorada passou por restauração de dois anos; obras terminaram dois meses antes de Bolsonaro assumir presidência

Imagem Arquivo/Palácio da AlvoradaImagem GloboNews

Mobiliário foi alterado em uma das salas principais do palácio — Foto 1: Arquivo/Palácio da Alvorada — Foto 2: GloboNews

O Palácio da Alvorada, tradicional lar da família presidencial, passou por uma restauração que durou dois anos e terminou em novembro de 2018.

Quatrocentos móveis e objetos foram recuperados na época. A restauração do mobiliário custou cerca de R$ 3,8 milhões e os ambientes internos foram decorados do jeito que Oscar Niemeyer e a filha, a designer Ana Maria Niemeyer, projetaram.

A equipe do Jornal Nacional esteve no Alvorada em novembro de 2018, logo depois que a restauração ficou pronta, e registrou o trabalho feito.

Na última quinta-feira (5), a Globonews visitou o Palácio da Alvorada a convite da primeira-dama Janja Lula da Silva. Ela relatou estragos encontrados na residência presidencial, como móveis e obras de arte danificados. 

A tapeçaria “Músicos”, de Di Cavalcanti, foi movida de lugar durante a gestão Bolsonaro e danificada pelo sol. A obra foi encomendada por Niemeyer durante a construção de Brasília. 

Compartilhe

Facebook
Twitter
WhatsApp