Campo Grande, 22 de fevereiro de 2024

Acampamentos golpistas tinham ‘superestrutura’ com banheiro químico e comida à vontade: ‘Perfil era de pessoas solitárias’, relatam repórteres

Por g1

Durante os dois meses em que acompanharam a movimentação de bolsonaristas em frente ao Quartel-General do Exército em Brasília, os jornalistas da Globo Anna Reis, Afonso Ferreira e Pedro Borges presenciaram uma “superestrutura” que servia comida de graça, banheiros químicos e até uma espécie de igreja para nos acampamentos golpistas.

Em entrevista a Natuza Nery, Anna Reis e Afonso Ferreira detalham a rotina no local.

“A questão da alimentação chamava muita atenção”, conta Afonso. “A cozinha era gigante […] Além dessa estrutura para alimentação, tinha também uma estrutura para youtubers, para as pessoas que queriam transmitir aquele ato golpista.”

 

No episódio #877 do podcast O Assunto, os repórteres também destacaram a presença de um padre que ouvia confissões dos radicais, que geralmente acampavam sozinhos.

“Parecia um perfil de pessoas solitárias, que não tinha um bom relacionamento com a família, com os vizinhos…Parece que eles encontraram o grupo deles. Construíram uma família porque, em tese, dividem o mesmo discurso de ódio.”

 

Compartilhe

Facebook
Twitter
WhatsApp