Campo Grande, 22 de fevereiro de 2024

Deputados bolsonaristas são barrados ao tentar visitar suspeitos de ataques golpistas e ouvem cobranças: ‘Cadê o Bolsonaro?’

Deputados aliados de primeira hora de Jair Bolsonaro foram barrados na porta da Academia Nacional da Polícia Federal, em Brasília, para onde foram levados cerca de 1.500 acusados de participação nos ataques às sedes dos três Poderes. O objetivo dos parlamentares era vistoriar as instalações e as condições em que os suspeitos estão sendo mantidos. Além de não poder entrar, Bia Kicis (PL-DF) ainda ouviu cobranças de apoiadores do ex-presidente.

Até agora, do total de detidos, 600 foram liberados e outros 500 transportados para o sistema prisional. Os homens ficarão na Penitenciária da Papuda, e as mulheres estão sendo encaminhadas à Colmeia, presídio feminino da capital.

A comitiva era formada por Evair de Melo (PP-ES), Domingos Sávio (PL-MG) e Marcelo Álvaro (PL-MG), que foi ministro do Turismo na gestão passada, além de Bia Kicis. Eles se queixaram da proibição de entrar.

— Ficamos três horas aqui e não tivemos acesso. Só conversamos com a delegada. Já falei com o (presidente da Câmara, Arthur) Lira hoje e vamos formar uma comissão externa para acompanhar as investigações — disse Kicis.

Compartilhe

Facebook
Twitter
WhatsApp