Campo Grande, 28 de fevereiro de 2024

À polícia, anestesista colombiano diz que ‘aguardava a melhor hora’ e aproveitava ‘para esfregar seu pênis nas pacientes’

Por Felipe Freire, TV Globo

Preso nesta segunda-feira (16) por estuprar pelo menos duas mulheres sedadas durante cirurgias, o médico colombiano Andres Eduardo Oñate Carrillo admitiu à polícia tanto ter abusado das pacientes quanto ter armazenado pornografia infantil.

“O declarante não sabe precisar o motivo pelo qual nutriu dentro de si a compulsão em ver e armazenar pornografia infantojuvenil”, narra o termo de declaração, a que o g1 teve acesso.

 

Segundo a polícia, Andres afirmou “que nunca chegou a abusar sexualmente de crianças, mas satisfaz sua libido vendo imagens e vídeos tanto de meninos quanto meninas”.

O colombiano informou que não contou com a participação de outras pessoas “para esfregar seu pênis nas pacientes”.

Ainda à polícia, Andres declarou “que aguardava a melhor hora (momento em que estivesse sozinho) e aproveitava”.

 

Médico chega à Delegacia da Criança e Adolescente Vítima, no Rio  — Foto: Reprodução/TV Globo

Médico chega à Delegacia da Criança e Adolescente Vítima, no Rio — Foto: Reprodução/TV Globo

Abuso sem ser escalado

 

Compartilhe

Facebook
Twitter
WhatsApp