Campo Grande, 24 de fevereiro de 2024

Com controle de erosão, pavimentação da Sul-Fronteira avança entre Coronel Sapucaia e Paranhos

Considerada uma das rodovias mais estratégicas para o desenvolvimento de Mato Grosso do Sul, a Sul-Fronteira (MS-165), que liga Antônio João a Mundo Novo, margeando o Paraguai, segue com obras em várias frentes. No caminho entre Coronel Sapucaia e Paranhos são feitas intervenções de pavimentação e controle de erosão por onde vai passar a estrada.


Neste trecho, só a obra de controle e combate de erosão recebe R$ 13,6 milhões de investimento. Profissionais de engenharia trabalham na construção do gabião, que é a estrutura que vai canalizar a água que corre pelo solo. Depois, a pavimentação da MS-165 vai passar por cima do local. Segundo a Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos), a intervenção está 34,99% concluída.

Também no trecho da Sul-Fronteira entre Coronel Sapucaia e Paranhos é realizada a obra de implantação e pavimentação de 33 quilômetros da rodovia. Boa parte do percurso já tem capa asfáltica. Em outros pontos, os trabalhos seguem com terraplanagem. Com 41,91% de execução, conforme a Agesul, esta etapa da obra recebe R$ 77,2 milhões de investimento.

Cerca de 300 quilômetros da linha internacional do Brasil com o Paraguai serão interligados pela Sul-Fronteira. A rodovia vai conectar por asfalto as cidades de Antônio João, Ponta Porã, Aral Moreira, Coronel Sapucaia, Paranhos, Sete Quedas e Mundo Novo.

A ligação rodoviária vai pavimentar o desenvolvimento dos municípios de fronteira, unir a região com a Rota Bioceânica, que conecta Mato Grosso do Sul com os portos do Chile, e fomentar a integração logística, econômica, cultural e social entre o Estado e o Paraguai.

“Asfalto atrai desenvolvimento. Promover a integração dessa região produtora com essas obras também é atrair investimentos e gerar emprego e renda. Estamos atentos às demandas dos municípios para melhorar a vida da nossa população”, destacou o secretário estadual de Infraestrutura, Hélio Peluffo.

Bruno Chaves, Seilog
Fotos: Chico Ribeiro

Compartilhe

Facebook
Twitter
WhatsApp