Campo Grande, 22 de fevereiro de 2024

Mortos no terremoto na Turquia e na Síria passa de 5 mil

Imagens feitas com auxílio de um drone nesta terça-feira (7) mostram a destruição da cidade de Hatay, uma das mais afetadas pelo terremoto.

Além de fazer fronteira com a Síria, Hatay também é vizinha de Gaziantep, epicentro do terremoto.

Segundo o Ministério do Interior da Turquia, a província abriga mais de 400 mil sírios, a maioria refugiados da guerra civil de quase 12 anos do país.

Terremoto na Turquia: Desabamento surpreende equipe de TV durante transmissão ao vivo

Terremoto na Turquia: Desabamento surpreende equipe de TV durante transmissão ao vivo

Uma equipe de televisão foi surpreendida por uma das mais de 50 réplicas registradas após o terremoto enquanto reportava ao vivo sobre o tremor principal (veja vídeo acima).

Os jornalistas, da rede turca Anews, estavam fazendo a reportagem em uma rua da cidade de Malátia para mostrar os estragos.

O repórter e o cinegrafista sentiram um forte tremor e saíram correndo. Uma enorme fumaça se formou atrás deles. No caminho, o repórter ainda conseguiu auxiliar uma menina que não conseguia correr.

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom, disse nesta terça-feira (7) que está especialmente preocupado com áreas da Turquia e da Síria de onde nenhuma informação havia surgido após o terremoto.

“Estamos especialmente preocupados com as áreas em que ainda não temos informações. O mapeamento de danos é uma maneira de entender onde precisamos focar nossa atenção”, disse Adhanom.

Mais de 45 países, além de organismos internacionais como a própria OMS, enviaram ajuda humanitária ou equipes de resgate para ajudar na busca por sobreviventes na Turquia e na Síria.

O que se sabe sobre o terremoto

  • O terremoto ocorreu na madrugada de segunda-feira (6) no povoado de Kahramanmaras, no sudoeste da Turquia, bem perto da fronteira com a Síria.
  • O tremor durou cerca de um minuto e meio e teve um raio de alcance do tremor foi de 250 quilômetros – e, portanto, foi fortemente sentido em centenas de municípios e cidades dos dois países.
  • O epicentro ocorreu a 10 quilômetros da superfícies – esta é uma profundidade considerada baixa e pode explicar, em parte, o tamanho da destruição provocada.
  • O tremor também foi sentido em Israel, Chipre e no Líbano.
  • Segundo o último balanço do governo turco, 3,419 pessoas morreram na Turquia.
  • Na Síria, foram 1.612 mortos, segundo levantamento do governo e da ONU.
  • Mais de 10 mil pessoas ficaram feridas, e milhares ainda estão desaparecidas.
  • Até a última atualização desta reportagem, mais de 50 réplicas foram registradas.

4 pontos sobre o terremoto na Turquia: onde aconteceu e quais as causas e consequências

Número de mortos passa de 5 mil

Mais de 30 horas após o primeiro e principal tremor, milhares de pessoas ainda estão sendo resgatadas, e outras milhares, desaparecidas.

contagem oficial de mortos por conta do tremor já passa de 5.000.

Nesta manhã, o vice-presidente da Turquia turco Fuat Oktay disse na terça-feira que o número de mortos nos terremotos no sudeste da Turquia aumentou para 3.419, elevando o total, incluindo os mortos na Síria, para mais de 5.000.

Falando a repórteres, Oktay disse que as condições climáticas severas dificultaram o envio de ajuda às regiões afetadas e a realização de resgates. Ele disse que apenas veículos de resgate e ajuda estão autorizados a entrar ou sair de Hatay, Kahramanmaras e Adiyaman, três das províncias mais afetadas.

As operações de resgate estão se concentrando nessas três províncias e em Malatya, acrescentou Oktay.

Bom dia. Retomamos a cobertura do terremoto de magnitude 7,8 que abalou fortemente a região central da Turquia e o norte da Síria. Milhares seguem desaparecidos, e as buscas se aceleraram, com o envio de ajuda de mais de 40 países.

Madrugada de frio

As equipes de resgate na Turquia e na Síria fizeram buscas durante a madrugada desta terça-feira (7, quando ainda era dia 6 no Brasil) na esperança de encontrar mais sobreviventes do terremoto. O frio e a quantidade de prédios destruídos, entretanto, dificultam resgate na Turquia e na Síria. A contagem de mortos já passa de 5 mil.

Mais de 5 mil mortos

Segundo a agência Reuters, o total de mortes passou de 5.000. Só na Turquia foram 3.419.

Novo tremor

Um novo terremoto, agora de magnitude 5,6, atingiu o centro da Turquia nesta terça-feira (7), informou o Centro Sismológico Europeu do Mediterrâneo (EMSC). O tremor foi registrado a 2 km de profundidade.

Número de mortos passa de 4 mil

Na Turquia, 2.900 morreram, segundo o último balanço do governo; na Síria, foram 1.444, segundo a agência de notícias Reuters.

Madrugada de frio e quantidade de prédios destruídos dificultam resgate na Turquia e na Síria; contagem de mortos passa de 3 mil

Só na Turquia, mais de 5.600 prédios foram destruídos, de acordo com informações de autoridades do país. A temperatura na região também dificulta o trabalho: em Gaziantep, na Turquia, a previsão de mínima é de -1ºC.

Escombros de edifício em Alepo, na Síria, após terremoto que atingiu o país em 6 de fevereiro de 2023

Escombros de edifício em Alepo, na Síria, após terremoto que atingiu o país em 6 de fevereiro de 2023 (Foto: Firas Makdesi/Reuters)

Os brasileiros Lucas Saad e Gabriela Waked estavam em Alepo, na Síria, durante o terremoto que atingiu o país na madrugada de segunda-feira (6). Os dois são produtores de conteúdo e estão fazendo uma viagem longa —Gabriela está viajando há dez meses, Lucas está dando uma volta ao mundo.

Eles estavam dormindo no quarto de hotel em Alepo quando foram acordados pelo tremor.

Leia um relato dos dois e veja um vídeo com imagens que eles gravaram na cidade e na fuga.

Lucas Saad e Gabriela Waked, brasileiros que estavam em Alepo, na Síria, durante o terremoto que atingiu o país e  Turquia

Lucas Saad e Gabriela Waked, brasileiros que estavam em Alepo, na Síria, durante o terremoto que atingiu o país e Turquia (Foto: Reprodução de vídeo)

Os terremotos que atingiram a Síria e a Turquia nesta segunda-feira (6) deixaram brasileiros desabrigados em território turco, de acordo com Marcelo Viegas, conselheiro da Embaixada do Brasil na Turquia. Não há informações sobre brasileiros mortos ou feridos pelos tremores.

Contagem de mortos passa de 3 mil

Na Turquia, o número mais atualizado de pessoas mortas em decorrência do terremoto é de 2.300. A informação é da Agência de Desastres e Emergência da Turquia.

Na Síria são pelo menos 1.444, segundo dados do governo do país e de funcionários de resgate que trabalham na região nordeste da Síria, que é controlada por rebeldes.

Christian Atsu, jogador que estava desaparecido, foi encontrado e hospitalizado

Christian Atsu, atacante de futebol de Gana que joga no Hatayspor, da Turquia, foi encontrado com vida. Ele foi internado em um hospital para tratar de ferimentos no pé e dificuldades respiratórias.

Ele chegou a ficar sob escombros de edifícios que caíram durante o terremoto. Hatay, a cidade onde ele mora, foi uma das mais atingidas pelos tremores.

Atsu já jogou em grandes times europeus, como o Porto, de Portugal, e o Newcastle, da Inglaterra.

Três jogadores turcos também foram resgatados e hospitalizados.

O terremoto que atingiu a Turquia e a Síria nesta segunda-feira interrompeu as operações de exportadores de petróleo turcos.

O hub de exportação em Ceyhan, um dos principais da Turquia, suspendeu o fluxo de petróleo que vem do Iraque e do Azerbaijão.

O terminal deve ficar fora de operação até quarta-feira, para que seja possível fazer a avaliação dos danos.

A BP (empresa de óleo) do Azerbaijão afirmou que um pequeno vazamento foi detectado no porto de Ceyhan.

O governo regional do Curdistão do Iraque interrompeu o envio de petróleo através do oleoduto que opera, que vai dos campos de Kirkuk, no norte do Iraque, até Ceyhan, disse o ministério de recursos naturais da região.

Compartilhe

Facebook
Twitter
WhatsApp