Campo Grande, 24 de fevereiro de 2024

Bombeiros, Defesa Civil e Agesul estão mobilizados para recuperar estragos em Ponta Porã

Com volume de chuva 80% acima do esperado para todo o mês de fevereiro, Ponta Porã sofre com estragos desde quarta-feira (15) como queda de árvores, destruição de asfalto e residências, além de alagamentos e carro arrastado.

Para colaborar com os trabalhos de recuperação dos estragos causados pela chuva, o governador Eduardo Riedel ofereceu apoio, disponibilizando a estrutura da Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos) .

De acordo com a da Defesa Civil do Estadual foram 289 milímetros de chuva até a manhã desta sexta-feira (17), enquanto que o esperado para o mês inteiro de fevereiro era de 160 milímetros, segundo o Cemaden (Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais).

E por determinação do prefeito Eduardo Campos, a Secretaria Municipal de Obras também saiu às ruas na manhã desta sexta-feira (17) para iniciar os trabalhos de emergências de recuperação dos estragos.

Estragos

Equipes do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil trabalham juntas para reparar todos os danos causados pela forte tempestade em Ponta Porã. Em um vídeo, é possível reparar a quantidade de chuva que atingiu o município e o trabalho realizado pelos órgãos para resgatar as famílias.

Vários pontos da cidade foram prejudicados pela tempestade, como a Rua México, na altura da ponte sobre o córrego São João Mirim, no Bairro Estoril, que está interditada para avaliação técnica e reparos dos estragos.

Por conta dos danos ao pavimento e por medida de segurança, o trânsito na Rua Cajamanga, na altura do córrego São João Mirim, está liberado apenas em meia pista. Um carro foi encontrado à beira do córrego e estava parcialmente destruído.

O Cemtec (Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima) indica que uma frente fria avança na região Centro-Oeste. A causa disso é o resultado de uma curvatura nos fortes ventos. A situação atinge os municípios do extremo sudoeste e sul do Estado. A instituição prevê que no sábado (18) terá a frente fria mais intensa de 2023.

Já no domingo (19) ocorre o retorno de umidade para o Estado, deixando o tempo instável com chuvas em praticamente todas as regiões. De forma geral, as temperaturas ficam mais amenas, devido à atuação da massa de ar pós-frontal.

João Pedro Flores, do Programa de Estágio Supervisionado

Fotos: Defesa Civil Municipal

Compartilhe

Facebook
Twitter
WhatsApp