Campo Grande, 22 de abril de 2024

Março Azul: caminhada neste domingo chama atenção para a prevenção do câncer de intestino

Com o objetivo de alertar a população sobre a prevenção e o combate ao câncer de intestino, a Sobed/MS (Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva, regional Mato Grosso do Sul) e a FBG (Federação Brasileira de Gastroenterologia), com apoio da SES (Secretaria de Estado de Saúde), realizam a Caminhada do Março Azul neste domingo (26), no Parque dos Poderes, em Campo Grande.

Para a presidente da Sobed/MS, Eduarda Nassar Tebet, objetivo da caminhada é chamar a atenção da população para a prevenção do câncer colorretal que tem se tornado cada vez mais comum e acometendo diversas pessoas no Brasil. “Este tipo de câncer foi a causa de morte de importantes ídolos como vimos recentemente – Pelé e Roberto Dinamite. A cantora Preta Gil também foi diagnosticada e está em tratamento. Então, o câncer de intestino tem grandes chances de cura se descoberto no início”.

Por isso, a importância da realização de exames preventivos, mesmo que não haja casos na família e que a pessoa não apresente sintomas. “Então, no próximo domingo, dia 26 de março, vamos espalhar a Onda Azul em Campo Grande, vamos reforçar essa campanha em todo o País. Convidamos à população que use uma peça de roupa da cor azul e junte-se a nós”, ressalta Eduarda.

O secretário de Estado de Saúde, Maurício Simões, destaca que o câncer colorretal ocupa uma posição de destaque entre os principais tipos de canceres registrado no Brasil. “Sabemos que tanto homens quanto mulheres a partir dos 50 anos, etilistas e tabagistas são a população de risco, mas é preciso que o cidadão fique em alerta quanto a mudança do ritmo do seu trato intestinal. A melhor forma de prevenção é estabelecendo uma estratégia alimentar saudável”.

Sobre o câncer de intestino

Segundo o Inca (Instituto Nacional de Câncer), o câncer colorretal está entre os três tipos de câncer que apresentam maior incidência, com estimativa de mais de 20 mil novos a cada ano no País. No Estado, considerando a taxa de incidência da doença por 100 mil/habitantes, a população masculina é a mais acometida com 19,54% enquanto a população feminina fica em 14,08%. O câncer colorretal ocupa a terceira posição de casos registrados em Mato Grosso do Sul.

O câncer colorretal se inicia a partir de um crescimento benigno (pólipo) na parede do intestino. Se não for tratado ou removido, um pólipo pode se tornar um tumor maligno. Os pólipos são facilmente diagnosticados durante uma colonoscopia.

O diagnóstico pode ser feito por meio de exames clínico, laboratorial, endoscópico ou radiológico, de pessoas com sinais e sintomas sugestivos da doença, que costuma ser silenciosa. A probabilidade de cura está diretamente ligada à fase em que se encontra o tumor. Quanto mais cedo for descoberto, maiores as chances.

Ao receber o diagnóstico de câncer colorretal é muito importante saber que não está sozinho. Receba a rede de apoio, além de toda a equipe médica, converse com seus familiares, amigos, ou participe de grupos de apoio e também ONGs.

Fique atento quanto aos sinais

  • Diarreia ou constipação de duração de mais que algumas semanas;
  • Sensação de inchaço abdominal;
  • Cansaço e fadiga;
  • Presença de sangue nas fezes;
  • Dor abdominal – tipo cólica;
  • Sensação de que o intestino não foi completamente esvaziado;
  • Perda de peso sem motivo específico.

Como prevenir?

Por meio de adoção de medidas mais saudáveis:

  • Evitar o tabagismo e o uso de bebidas alcoólicas;
  • Fazer atividade física com regularidade;
  • Ter uma alimentação rica em fibras;
  • Evitar alimentos ultraprocessados e açúcares;
  • Mesclar a ingestão de carnes vermelhas;
  • Estar em dia com consultas médicas;
  • Estar atentos a lesões que antecedem o câncer.

 

Serviço

 

Caminhada Março Azul

Concentração: em frente ao Corpo de Bombeiros (Parque dos Poderes)

Horário: 8h

Data: 26 de março (domingo)

 

Joilson Francelino, HRMS, e Rodson Lima, SES

Foto: Bruno Rezende

Compartilhe

Facebook
Twitter
WhatsApp