Campo Grande, 22 de junho de 2024

Corinthians perde para Independiente Del Valle na Libertadores

Por Marcelo Braga — São Paulo

A impressão que dá é de que o Corinthians menosprezou a dificuldade que é jogar uma Conmebol Libertadores.

Um torneio que em 2012 foi inesquecível, mas que tem também um histórico enorme de maltratar o torcedor corintiano. Desde o título, foram seis eliminações. Ainda assim, o Corinthians encarou a edição de 2023 como se ela não fosse um bicho-papão. Por seu grau de complexidade. Pelo tamanho do desafio.

Depois de voltar a alcançar as quartas de final da Libertadores de 2022, num ano de acertos da diretoria na escolha do técnico Vítor Pereira e na contratação de alguns reforços, o Timão conquistou a vaga para a edição de 2023 e se jogou no torneio de forma frágil.

Hoje, ir às oitavas de final já é desafiador. O Corinthians pode ser eliminado na fase de grupos pela primeira vez desde 1977.

Gol de Lautaro Díaz em Corinthians x Independiente Del Valle — Foto: Marcos Ribolli

Gol de Lautaro Díaz em Corinthians x Independiente Del Valle — Foto: Marcos Ribolli

Dos três jogos que fez, só venceu o pequeno Liverpool-URU fora de casa. Nos dois duelos contra os melhores times do grupo na condição de mandante, acumulou derrotas: 1 a 0 para o Argentinos Juniors, no último jogo sob o comando de Fernando Lázaro, e 2 a 1 para o Del Valle, na estreia do técnico Vanderlei Luxemburgo.

Com três pontos, precisa vencer jogos complicados fora de casa para ficar entre os dois primeiros. Pelo regulamento, a terceira posição do grupo dá vaga direta nas oitavas da Sul-Americana. No momento, é esse o caminho desenhado para o Corinthians no cenário continental.

Luxemburgo, claro, praticamente não tem culpa de nada no tropeço mais recente. Você pode questionar uma decisão ou outra, como a substituição precoce de Yuri Alberto no segundo tempo, mas o Corinthians que ele recebe em mãos é um time cheio de carências, pobre de ideias e completamente assustado. Psicologicamente destruído por erros de planejamento.

Vanderlei Luxemburgo, técnico do Corinthians, em partida da Libertadores — Foto: Marcos Ribolli

Vanderlei Luxemburgo, técnico do Corinthians, em partida da Libertadores — Foto: Marcos Ribolli

Ao terminar 2022, o planejamento da diretoria do Corinthians era: manter a espinha dorsal do time, apostar num técnico barato (Fernando Lázaro) e praticamente não contratar, já que “os três primeiros meses do ano seriam só de Paulistão”, diziam. Era um período para preparar o time.

Compartilhe

Facebook
Twitter
WhatsApp