Campo Grande, 12 de abril de 2024

Vai viajar? Confira as dicas de segurança das polícias Civil e Militar

Aquele antigo costume de deixar a luz da casa acessa na hora de viajar já não engana mais o bandido e pode até revelar que não tem mesmo ninguém em casa. Evitar o furto de imóveis no período de férias ou feriados prolongados, quando muita gente viaja, é possível seguindo algumas orientações das Polícias Civil e Militar.

Conforme o delegado Edgard Punsky de Sousa, da Derf (Delegacia Especializada de Roubos e Furtos), no furto de residências a primeira e principal motivação do bandido é ter certeza de que o imóvel está vazio.

“Para o bandido saber se o imóvel está vazio ele se atenta a alguns detalhes. Ele verifica se tem luz acessa durante o dia, ele toca campainha para ver se tem gente em casa, se tem correspondência acumulada. Tudo isso mostra para ele que é possível entrar e que não haverá ninguém”, explica o delegado.

Se houver interesse específico em determinada residência, o bandido poderá até monitorar o imóvel por mais de um dia para garantir que o proprietário não esteja. “Ele monitora a residência durante o dia e à noite, verifica se tem sujeira constante na frente da casa, se existem objetos largados na frente do imóvel e que fiquem ali por alguns dias seguidos, como brinquedos”.

Para o bandido que pratica o furto de residências, de forma quase exclusiva, o confronto nunca é uma opção, o que o leva sempre a procurar lugares vazios, como explica o delegado. “A predileção deste bandido é evitar o confronto com a vítima. Ou seja, ele procura residências que estejam sem ninguém e que ele possa entrar sem que haja qualquer tipo de confronto”.

O tenente-coronel Wellington Klimpel do Nascimento, subcomandante do Policiamento Metropolitano da Polícia Militar, ressalta que alguns cuidados podem ajudar a despistar o ladrão. “Pedir que alguém de confiança olhe a residência no período de ausência, deixar o telefone fixo sem tocar, desligar a campainha, entre outros detalhes podem fazer a diferença”.

Conforme a polícia, a facilidade para entrar no imóvel é também um fator determinante neste tipo de furto. “Medidas de segurança como concertina, cerca elétrica e câmeras de vigilância em tempo real também podem ajudar a afastar o perigo, mas não impedem a ação dos bandidos. No entanto, entre uma casa que tenha cerca elétrica e uma que não tenha este equipamento, é bem provável que o bandido opte pela residência que tenha o acesso mais facilitado”.

Acompanhe abaixo as dicas de segurança da Polícia Militar e da Polícia Civil e viaje com mais tranquilidade neste Carnaval. Em caso de furto, procure uma delegacia da Polícia Civil para registrar um boletim de ocorrência.

Polícia Militar

  1. Peça a alguém de confiança para olhar a casa no período de ausência;
  2. Teste todas as trancas de portas e janelas;
  3. Evite deixar na parte externa da casa, objetos que possam ser utilizados para arrombamento;
  4. Deixe o telefone fixo sem toque e desligue a campainha;
  5. Teste seu sistema de vigilância e alarme;
  6. Nunca comente próximo a estranhos que irá viajar;
  7. Sempre é bom deixar um telefone para contato com um vizinho de confiança;
  8. Não deixe luzes acesas durante o dia.
  9. Cuide do seu jardim;
  10. Cancele as assinaturas de jornais e revistas;
  11. Retire aparelhos eletrônicos da tomada;
  12. Instale lâmpadas de fotocélulas ou com temporizadores;
  13. Feche os registros de água de gás.

Polícia Civil

  1. Ainda que resida em condomínios e prédios residenciais, acostume-se a manter rotina de segurança, como se morasse em uma casa normal, desprovida da segurança orgânica inerente à maioria dos condomínios. É interessante inclusive criar, caso não haja, comitê de segurança orgânica do condomínio, composto por moradores, que discutirão as necessidades de cada local, dadas as peculiaridades daquele grupo;
  2. Grupos de whatsapp de vizinhos com a finalidade de observarem os arredores da vizinhança, como carros parados por longos períodos, indivíduos suspeitos, reportarem furtos ocorridos na rua ou bairro;
  3. Investir em aparatos de segurança, especialmente alarmes, cercas elétricas, concertinas e principalmente câmeras de alta definição. Em motores eletrônicos de portão, bem como travas elétricas nos portões de carro e social. Existe ainda a possibilidade de ter cachorros que funcionam como alerta e espantam pretensos furtadores;
  4. Acostumar-se a manter sempre as portas e janelas trancadas ao sair de casa e durante a noite, não deixar objetos de valor no quintal, pensar em dificultar a vida do delinquente ao máximo;
  5. A maioria dos furtos mediante arrombamento ocorrem pela parte de trás da casa, a exemplo da cozinha. Ter em mente sempre trancá-la e se houver portas intermediárias entre esse cômodo e o restante da casa, também mantê-las trancadas.
  6. Não revele a guarda de grandes valores e joias em sua casa, para ninguém estranho ao núcleo familiar íntimo, sequer para funcionários que gozam de livre acesso aos cômodos.
  7. Ao contratar empregados, dê preferência àqueles que apresentam referências idôneas e que possam ser confirmadas mais facilmente. Solicitando que apresentem o NADA CONSTA que pode conseguir gratuitamente no site da PCMS, bem como do TJMS.
  8. Avisar aos vizinhos mais próximos, e de sua confiança, que se ausentará e por quanto tempo ficará fora, a fim de que ele possa cuidar a movimentação de sua casa, podendo avisar ao morador ou manter contato com pessoa responsável indicada. Procure conhecer seus vizinhos e combinar com eles medidas de auxílio mútuo. A solidariedade é importante nos momentos de perigo. Os vizinhos devem estar sempre alertas pela segurança de sua rua ou bairro;
  9. Deixar algum familiar ou amigo com uma chave da casa, para que visite o imóvel eventualmente, para recolher revistas e correspondências, não ficando evidente a ausência de moradores;
  10. Instalar sensores de luminosidade – Deixar a casa com a luz ligada todo o tempo, ainda que a crença diga que é melhor, pois afasta bandidos, acaba por ter efeito contrário, vez que isso chama atenção dos criminosos mais atentos, dando a certeza de que o imóvel está vazio. O ideal é instalar sensores de luminosidade em algumas lâmpadas externas e internas, programadas para acenderem em horários determinados.

Luciana Brazil, Sejusp


Foto: Edemir Rodrigues/Arquivo

Compartilhe

Facebook
Twitter
WhatsApp