Campo Grande, 26 de maio de 2024

Para 47% das brasileiras, a intimidade é o que mais traz prazer sexual

Existem pesquisas que revelam o gosto e o desejo sexual de homens e mulheres, espalhadas pelos 4 cantos do globo terrestre. Sexo é um assunto que interessa bastante e está, cada vez mais, em evidência. Pesquisadores tentam entender o papel desta ação na vida dos indivíduos, independente de gênero ou orientação sexual.

O Journal of Sex Medicine, por exemplo, é um dos importantes institutos que tentam direcionar o comportamento sexual das pessoas por meio de pesquisas. São mais de 300 publicações mostrando essa relação. Já aqui no Brasil, empresas também tentam estudar o tema para entender a relação do indivíduo brasileiro com uma vida sexual saudável e prazerosa.

Recentemente, a Miess Sexo Shop lançou a pesquisa “O prazer sexual”,  para a qual entrevistou mais de 400 mulheres espalhadas pelo Brasil entre 18 e 65 anos, independente de gênero, raça e/ou orientação sexual. O objetivo foi entender que atitudes estão ligadas a sensação de prazer sexual.

O que é prazer sexual

Para 46,76% das entrevistadas, a intimidade com o parceiro é o fator que mais define a ideia de prazer sexual. Já 28% apontam que se sentir satisfeita após o ato sexual é que as faz sentir prazer.

Preliminares, sexo oral e desejo

Quando questionadas sobre atos sexuais que trazem prazer, preliminares, se sentir desejada e o sexo oral foram os ítens mais citados com, 40%, 24% e 14% respectivamente. Ou seja, a satisfação sexual das mulheres está diretamente ligada com carícias e preliminares. A intimidade, o afeto e o bem-estar do casal são mais importantes do que o ato sexual em si, para trazer a ideia de prazer às mulheres.

Para Erika Mahya, sexóloga, “para alcançar o orgasmo é preciso um estado de atenção plena. É preciso ter consciência corporal para entender cada nuance de um corpo. Com isso, as preliminares ajudam a mulher a conhecer locais mais erógenos e que lhes causam uma sensação maior de prazer e desejo. Ao identificar estes pontos, o tripé da respiração, som e movimento auxiliam à chegada do ápice”, aponta a sexóloga.

 Para 24% das mulheres entrevistadas, em algum momento da vida o sexo já foi considerado pecado. Essa mudança de opinião veio com o ganho de maturidade e estudos sobre o tema.

70% das respondentes se masturbam com frequência a fim de conhecer o próprio corpo. Contudo, 19,7% das entrevistadas diminuíram a masturbação assim que se fixaram com um parceiro.

 

Compartilhe

Facebook
Twitter
WhatsApp