Campo Grande, 13 de junho de 2024

Silvinei mente na CPMI do 8 de janeiro

A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do 8 de janeiro revelou que o ex-diretor-geral da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Silvinei Vasques, prestou declarações falsas em seu depoimento, levando a relatora da comissão, senadora Eliziane Gama (PSD-MA), a propor a abertura de uma notícia-crime contra ele junto ao Ministério Público. A acusação do PSOL alega que Vasques mentiu sobre o número de abordagens realizadas nos Estados do Nordeste durante as eleições de 2022.

Em uma publicação nas redes sociais, a senadora Eliziane Gama confirmou que atenderá ao pedido do PSOL e incluirá a sugestão de abertura de notícia-crime contra Silvinei Vasques em seu relatório final. A constatação de informações falsas durante seu depoimento na última terça-feira, dia 20, respalda essa decisão.

Durante seu testemunho, Vasques afirmou que foram implantados 694 pontos de fiscalização no segundo turno das eleições, ocorrido em 30 de outubro. Ele também destacou que o Nordeste e o Norte foram as regiões com menor quantidade de abordagens realizadas pela PRF. No entanto, esses dados não coincidem com as informações divulgadas pelo Ministério da Justiça.

Entre os dias 28 e 30 de outubro, a PRF fiscalizou um total de 2.185 ônibus nas estradas do Nordeste, mais do que o dobro das ações de fiscalização registradas no Centro-Oeste (893), quatro vezes mais do que as abordagens efetuadas no Sudeste e sete vezes mais do que no Norte do país. Essas estatísticas foram apresentadas em um relatório divulgado pelo Ministério da Justiça no dia 20 de junho.

O relatório ministerial é um dos argumentos utilizados pelo PSOL para embasar o pedido de abertura de uma notícia-crime contra o ex-diretor da PRF. A notícia-crime é uma comunicação formalizada pelas autoridades ao Ministério Público, notificando-o sobre supostos crimes cometidos pelo investigado.

O deputado federal Henrique Vieira (PSOL-RJ) ressaltou que a comparação entre o relatório do Ministério e as declarações de Vasques no depoimento evidenciou a falsidade das informações fornecidas pelo ex-diretor. Durante uma sessão da CPMI, Vieira declarou: “Temos acesso à resposta do Ministério da Justiça a um requerimento de informação feito pela bancada do PSOL, datada do ano passado, sobre o número de fiscalizações da PRF no Brasil. Ao confrontarmos essas informações com o que foi dito por Silvinei Vasques na terça-feira, fica evidente que ele mentiu ou manipulou dados, de acordo com o próprio Ministério da Justiça”.

A equipe de reportagem entrou em contato com Silvinei Vasques para obter um posicionamento a respeito das acusações, no entanto, até o momento, não houve retorno.

A CPMI do 8 de janeiro prossegue com suas investigações sobre os acontecimentos relacionados à invasão do Capitólio dos Estados Unidos em janeiro de 2021. As medidas propostas pela senadora Eliziane Gama serão incluídas no relatório final da comissão, que tem como objetivo esclarecer os fatos e responsabilidades ligados a esse episódio.

Compartilhe

Facebook
Twitter
WhatsApp