Campo Grande, 22 de junho de 2024

Atraída para MS em evento nacional, granja reforça cadeia produtiva e aposta no sustentável

Diversificar a produção é um dos elementos que fazem parte do processo de fortalecimento da economia sul-mato-grossense, no objetivo de manter o Estado próspero a partir de um ambiente positivo e atrativo para receber investimentos nas mais diversas áreas. Assim, mais um empreendimento foi inaugurado em Mato Grosso do Sul nesta segunda-feira (3).

Dessa vez o setor fortalecido é a suinocultura da região Norte do Estado, onde em Rio Negro passa a funcionar a Granja 3M, unidade especializada na produção de leitões desmamados e que deve envolver um investimento de R$ 22 milhões, com a geração direta de 50 empregos e outros 100 indiretos – números que podem dobrar com um segundo módulo nos próximos meses.

“Se trata de política pública na veia, em cima do nosso Programa Estadual de Desenvolvimento e Fortalecimento do Cooperativismo, o ProCoop, que segue a lógica de promover o encadeamento produtivo entre os municípios, com mais sistemas integrados para viabilizar a ampliação da indústria”, explica o secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento, Jaime Verruck.

A atividade da unidade de Rio Negro da 3M terá 4 mil matrizes em plena capacidade, sendo ela viabilizado a partir de financiamento do FCO (Fundo Constitucional do Centro-Oeste), que somou mais de R$ 19 milhões investidos neste novo empreendimento – o segundo da família de empresários catarinense Cristofoloni em Mato Grosso do Sul.

Cadeia integrada

Chama a atenção a interação da cadeia de produção a qual o Granja 3M fará parte, envolvendo outros municípios. A condução da unidade será feita de forma integrada com a Cooasgo (Cooperativa Agropecuária São Gabriel do Oeste). Os leitões ali produzidos são levados para unidades crecheiras vinculadas à cadeia, e depois levadas à unidades de engorda.

O final do ciclo da produção dos suinos será o Frigorífico Aurora, localizado na vizinha a Rio Negro, São Gabriel do Oeste. Todo esse processo tem como diferencial o uso de alta tecnologia, o que também garante a sustentabilidade do projeto e segue a diretriz de um Mato Grosso do Sul Verde, ou seja, alinhado com as melhores práticas de preservação.

Além dos barracões de gestação e maternidade que acomodam as matrizes e os leitões, o projeto contempla fossa séptica, lagoas de estabilização dos dejetos e um biodigestor que vai produzir biogás usado na geração de energia elétrica. Outra parte dos resíduos se transformará em fertilizante, de modo que tudo será reaproveitado em um método de economia circular.

“Estamos trabalhando aqui toda a lógica da sustentabilidade, que é exatamente a questão do tratamento de resíduos e o uso desses resíduos para a fertirrigação. Os resíduos serão destinados a uma propriedade de 400 hectares para a melhoria de pastagens”, diz Verruck.

Oportunidade de crescimento

A chegada da Granja 3M ao Mato Grosso do Sul foi captada pela equipe da Semadesc (Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação) durante o Siavs (Salão Internacional de Avicultura e Suinocultura), realizado em São Paulo (SP).

Ali, no evento, foi identificado uma boa oportunidade para ambas as partes: os gestores do Estado viram a chance de gerar mais empregos, renda e arrecadação com a chegada desta empresa, e os empresários viram a oportunidade de ampliar negócios em um ambiente positivo para tal, e onde foi definido que a suinocultura faz parte da linha de desenvolvimento.

“Isso faz com que tenhamos um conjunto de recursos do FCO locados exclusivamente para a atividade [suinocultura]. Foi desta mnaneira que o projeto foi financiado e será custeado também sua ampliação”, comenta Jaime Verruck sobre a importância do projeto.

Nyelder Rodrigues, Comunicação Governo de MS
*com informações de Rosana Siqueira, da Semadesc
Fotos: Álvaro Rezende

Compartilhe

Facebook
Twitter
WhatsApp