Campo Grande, 22 de abril de 2024

Ayrton Araújo ¨Cascalhos de Areia¨: comissão da Câmara de Campo Grande define presidente

A Comissão Especial da Câmara Municipal de Campo Grande para analisar os contratos entre a prefeitura e empresas investigadas na operação Cascalhos de Areia teve presidente e relator definidos nesta quinta-feira (17).

Montagem mostra os vereadores Ayrton Araújo (PT) e Clodoilson Pires (Podemos) durante a sessão da Câmara Municipal de Campo Grande nesta quinta-feira, 17 de agosto de 2023 (Foto: Izaias Medeiros/Câmara CGMS)
Montagem mostra os vereadores Ayrton Araújo e Clodoilson Pires durante a sessão desta quinta-feira (Foto: Izaias Medeiros/Câmara CGMS)

O vereador Ayrton Araújo (PT) foi escolhido para presidir o colegiado e Clodoilson Pires é o relator. Os outros membros são os vereadores Ademir Santana (PSDB), Silvio Pitu (PSD) e Dr. Jamal (MDB).

Em junho, o MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) cumpriu 19 mandados de busca e apreensão em Campo Grande contra uma suposta organização criminosa que envolveria desde servidores públicos a empresários, suspeitos de fraudar contratos para a manutenção de vias não pavimentadas e locação de máquinas e veículos junto à prefeitura de Campo Grande, de 2017 até este ano. As fraudes causaram rombo de mais de R$ 300 milhões nos cofres públicos.

Requerimento para abertura de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar os contratos chegou a ser apresentado pelo vereador Prof. André Luis (Rede), mas isso não avançou. No seu lugar foi criada a comissão composta pelos cinco vereadores para analisar os documentos.

O ato de instituição da comissão especial foi publicado pela Mesa Diretora da Câmara no Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande) de segunda-feira (14).

O grupo terá o prazo de 60 dias para apresentar o relatório final dos seus trabalhos. Depois disso, se forem constatadas irregularidades, a Câmara poderá montar a CPI para fazer oitivas e encaminhar para o MPMS.

Compartilhe

Facebook
Twitter
WhatsApp