Campo Grande, 22 de abril de 2024

Após 3 semanas de bloqueio israelense, moradores de Gaza invadem armazéns da ONU em busca de comida

Por g1

Moradores de Gaza invadiram armazéns da Agência das Nações Unidas para os Refugiados Palestinos (UNRWA) em busca de comida e outros itens básicos de sobrevivência, disse a organização neste domingo (29) (veja no vídeo acima).

“Este é um sinal preocupante de que a ordem civil começa a desmoronar de três semanas de guerra e de um cerco apertado a Gaza”, disse a organização em nota.

Um dos armazéns, localizado em Deir al-Balah, é onde a UNRWA armazena suprimentos dos comboios humanitários que chegam de Gaza vindos do Egito pela passagem de Rafah.

O fornecimento de ajuda a Gaza foi interrompido desde que Israel começou a bombardear o território em resposta a um ataque do grupo terrorista Hamas que deixou 1,4 mil mortos. No lado palestino, são 8 mil vítimas.

“Os suprimentos no mercado estão acabando, enquanto a ajuda humanitária que chega à Faixa de Gaza em caminhões vindos do Egito é insuficiente”, disse a UNRWA, acrescentando que o atual sistema para levar comboios humanitários para Gaza estava “preparado para falhar”.

 

A UNRWA afirmou que a sua capacidade de ajudar as pessoas em Gaza foi completamente prejudicada pelos ataques aéreos que mataram mais de 50 dos seus funcionários e restringiram a circulação de suprimentos.

Fundada em 1949, após a primeira guerra árabe-israelense, a UNRWA presta serviços públicos, incluindo escolas, cuidados de saúde primários e ajuda humanitária em Gaza, na Cisjordânia, na Jordânia, na Síria e no Líbano.

Israel nega falta de comida

 

Um representante do governo israelense disse neste domingo que “não há falta de comida em Gaza” e que há água e serviços médicos suficientes para a população da região.

A afirmação foi feita por Elad Goren, que comanda os assuntos civis da Coordenação de Atividades do Governo nos Territórios (COGAT, na sigla em inglês), que faz a interlocução com os palestinos.

Compartilhe

Facebook
Twitter
WhatsApp