Campo Grande, 22 de abril de 2024

Melhores trabalhos de programa da Fundect são premiados em Feira de Tecnologia

Depois de quatro dias de muita ciência, chegou ao fim a FETECMS (Feira de Tecnologias, Engenharias e Ciências de Mato Grosso do Sul) realizada pela UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) com o apoio da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul.

Em noite de celebração, os 24 melhores projetos apoiados pelo Programa de Iniciação Científica e Tecnológica (PICTEC) da Fundect foram premiados na feira nas categorias Ciências Humanas, Linguagens, Letras e Artes, Ciências Biológicas, Agrárias, Saúde, Sociais, Engenharias e Exatas. Também houve projetos contemplados com menções honrosas e credenciais de feiras.

Para Márcio de Araújo Pereira, diretor-presidente da Fundect, a FETECMS reúne o futuro da ciência de Mato Grosso do Sul.

“Os grandes nomes da pesquisa, os prêmios Nobel, todos, passaram por estudos e aprenderam a pesquisar, todos tiveram um começo. E esses jovens são um novo começo, como já disseram, são a geração que vai mudar nosso planeta para melhor. Eu acredito nisso. A Fundect acredita nisso. E por isso nós direcionamos investimentos para as bolsas do PICTEC. Estou muito feliz com a participação de todos”, explica o diretor-presidente.

No total, mais de 400 alunos e professores de escolas públicas com pesquisas apoiadas pela Fundect participaram do evento. Foram apresentados 100 trabalhos de 134 bolsistas da Capital e 304 do interior que tiveram projetos selecionados no edital do PICTEC 2022.

Na cerimônia de encerramento, o diretor-científico da Fundação, Nalvo de Almeida Franco Jr, agradeceu aos estudantes e professores pela participação. “Para a próxima edição da FETECMS vamos dobrar o número de projetos apresentados, chegando a 200. A Fundect se sente muito honrada em colaborar e participar desta grande festa da Ciência”, explicou.

A Fundação garantiu que todos os bolsistas do programa participassem da feira, que é considerada o maior evento científico de Mato Grosso do Sul. Foram custeadas as despesas de transporte rodoviário, estadia e alimentação de todos os estudantes que vieram do interior do Estado.

Segundo a gerente de bolsas da Fundect, Adriana Oliveira Araújo, a FETECMS revitaliza as esperanças na juventude em tempos nos quais os celulares e o desinteresse pela leitura parecem predominantes.

“Ao chegar à FETECMS, presenciei muitos jovens que, embora desfrutem de seus celulares, jogos e tendências das redes sociais, estão igualmente dedicados à realização de projetos notáveis. Eles os apresentam com maestria e demonstram um comprometimento com a excelência”, explica.

Premiados

“É uma emoção ganhar este prêmio com nosso trabalho sobre inclusão na educação e agradeço à Fundect que, através do PICTEC II, possibilitou tudo isso acontecer”, disse o estudante Arthur Silva Dantas, do projeto vencedor da área de Humanas, intitulado: Aperfeiçoamento e Análise Pedagógica de Materiais Didáticos Concretos 3-D Inclusivos para Pessoas com Deficiência Visual Visando a Aprendizagem de Modelagem de Sistemas de Informação, do Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS) Campus Nova Andradina.

Na área de Linguagens, Letras e Artes, o primeiro lugar ficou com o projeto intitulado Artes e Arco Literário: Promovendo a inclusão social por meio da representatividade LGBTQIAP+ na literatura. “Trazer nosso projeto para FETECMS já foi representativo para a comunidade LGBTQIAP+ e ser premiado é emocionante”, destaca Nicolas Sá, do IFMS, Campus Campo Grande.

A estudante Ana Júlia Bazilio dos Santos, da Escola Estadual Reynaldo Massi, de Ivinhema, celebrou o primeiro lugar do projeto Viveiro escolar: estratégia para promover situações de

aprendizagem por meio da produção e distribuição de mudas, na área de Biológicas. “Foi um ano de trabalho feito com muito amor e carinho e é muito gratificante saber que conseguimos realizar tudo isso. Foi uma semana incrível”, afirmou.

Em Ciências Agrárias, a primeira colocação ficou com o projeto Avaliação de híbridos de milho para produção de etanol, desenvolvido por alunos do IFMS de Ponta Porã.

Na área de Saúde, o prêmio principal foi para a pesquisa intitulada Robô de Conversação para Educação Alimentar e Nutricional – Reconhecendo Voz, Gestos e Mundo Virtual Digital 3D, do Colégio Militar da Capital. “Trabalhamos dia e noite neste projeto, nos empenhamos muito, por isso é gratificante ganhar este prêmio”, conta Tiago Arantes da Silva.

Na área de Ciências Sociais o primeiro lugar ficou com o projeto Alô Alô Wbs – A Voz Do Protagonismo Estudantil, dos alunos da Escola Estadual Waldemir Barros da Silva, de Campo Grande.

Na área de Engenharias, a pesquisa vencedora foi a intitulada Determinação das Propriedades Mecânicas de Impressos em 3D com o Objetivo de Confecção de Órteses e Próteses, desenvolvida por alunos do IFMS Campus Campo Grande. Já na área de Exatas, o projeto Software para pesagem de alevinos de pintado real, do IFMS Campus Aquidauana, foi o ganhador do primeiro lugar.

Fetec – De acordo com a organização do evento, 254 projetos de pesquisas foram apresentados durante a Feira, reunindo cerca de 750 estudantes e professores, além de 200 avaliadores e diversos visitantes. Mais informações sobre a feira estão disponíveis no site do evento.  

Paulo Ricardo Gomes e Maristela Cantadori, Comunicação Fundect
Fotos: Leandro Benites

Compartilhe

Facebook
Twitter
WhatsApp