Campo Grande, 22 de abril de 2024

Festival promove a integração latino-americana com música, teatro, dança, circo, folclore, comida e artesanato

Corações latinos batem forte na fronteira mais ao oeste do Brasil. O cenário não poderia ser mais apropriado para um espetáculo de cores, ritmos, idiomas, sotaques, sabores e arte, misturando uma cultura latina secular rica e de povos que cultivam paz e prosperidade. Uma verdadeira simbiose de alegria e confraternização de irmãos latinos.

Com o rio Paraguai ao fundo e que também já foi palco de tanta cultura e história, aconteceu na noite desta quarta-feira (9) a abertura oficial da 17ª edição do Festival América do Sul (FAS 2023), evento promovido pelo Governo de Mato Grosso do Sul, por meio da Fundação de Cultura do Estado, e que proporciona atrações gratuitas, trazendo inclusão social e conhecimento.

Na abertura do FAS 2023, o governador Eduardo Riedel destacou a cultura sul-mato-grossense e a cidade de Corumbá como berço destes sentimentos. “Hoje, celebramos a nossa capacidade de exaltar as nossas manifestações de formação histórica. Isto nos dá orgulho de ser sul-mato-grossense e cada vez mais integrados ao Paraguai, Bolívia, Chile e Argentina. Esta relação é cada vez mais forte com nossos vizinhos, passando a respeitar e compreender enquanto América do Sul. Este Festival traz toda esta característica da integração regional. Temos sempre que lembrar que somos uma nação de paz”, descreveu.

Ao chegar o governador, acompanhado da primeira-dama, Mônica Riedel, visitou estandes, prestigiando o trabalho dos artesãos, além da apresentação dos integrantes da Escola de samba A Pesada.

O sincretismo religioso,  tão presente em Corumbá,  também recepcionou o governador. O grupo de umbanda Tia Maria da Guiné e a oficina de dança siriri de Corumbá também se apresentaram para as autoridades e o público.

O secretário de Estado de Turismo, Esporte, Cultura e Cidadania, Marcelo Miranda, agradeceu as pessoas que ajudaram a construir o Festival para valorizar nossa cultura. Fazemos isso com muito carinho para a população e com o Festival presente também nas comunidades”.

Já o diretor-presidente da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, Eduardo Mendes, exaltou os fazedores de Cultura. “Quero parabenizar e desejar a todos um Festival repleto de alegria e muita arte”.

O prefeito de Corumbá, Marcelo Iunes, também lembrou que Corumbá é o berço da cultura do Estado e o Festival anima não só a comunidade, mas promove a economia criativa da cidade.

Homenagem aos Mestres Cururueiros

Outro momento marcante da abertura foi a homenagem a 23 mestres Cururueiros do Pantanal” –  que são os artesãos/violeiros que dominam a arte secular de fabricar e tocar a viola-de-cocho, instrumento registrado como patrimônio cultural imaterial brasileiro pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Doze mestres de Mato Grosso do Sul e onze de Mato Grosso foram homenageados no palco Integração.

O mestre Sebastião Brandão, em nome de todos os cururueiros , recebeu uma homenagem das mãos do governador Riedel.

Os chamados cururueiros, em sua grande maioria, vivem em Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, em regiões banhadas pelas águas do Rio Paraguai e seus afluentes.  Muito utilizada em gêneros musicais tradicionais na região, como o siriri e o cururu, a viola-de-cocho e sua produção está hoje restrita a um pequeno grupo de anciãos cururueiros que, com dificuldades, procuram manter viva a tradição.

O FAS 2023 está com mais de 120 atrações, 15 horas de programação, entre dança, teatro, música, oficinas, espetáculos circenses e de grupos folclóricos do Brasil, Bolívia, Paraguai, Chile e demais países amigos, até o dia 12. São esperadas, nos quatro dias do Festival, mais de 140 mil pessoas, brasileiros e estrangeiros que curtirão sensações latinas de pura magia, alegria e paz.

Alexandre Gonzaga, Comunicação do Governo de MS

Foto: Bruno Rezende

Compartilhe

Facebook
Twitter
WhatsApp