Campo Grande, 22 de abril de 2024

Maior assembleia do povo terena é realizada em Nioaque

Uma das maiores mobilizações do povo indígena Terena do Mato Grosso do Sul, a 16ª Assembleia do Povo Terena, teve início na noite de quarta-feira (15), na aldeia Cabeceira, no município de Nioaque.

O encontro, que tem como objetivo promover o diálogo e discussão em torno da luta pela efetivação dos direitos dos povos indígenas, nesta edição tem a presença da Caravana “Participa Parente”, promovida pelo Ministério do Povos Indígenas e organizado junto à Apib (Articulação dos Povos Indígenas do Brasil), com apoio de associações e conselhos indígenas de diferentes regiões.

De forma inédita, a cerimônia de abertura contou com a presença da comitiva do MPI (Ministério dos Povos Indígenas), liderada pela Ministra Sônia Guajajara, além de representantes do Governo do Estado e dos municípios que possuem indígenas da etnia Terena em seus territórios.

“Olhar a Assembleia é ver realmente o movimento de democracia, do fortalecimento da unidade, e é um grande avanço ter Governo Federal, Estadual e Municipal presentes. E a nós, enquanto Governo do Estado, nos cabe fazer essa mediação, essa integração para que possamos levar a esses espaços de discussão mais ministérios, colocando em evidência a temática pelo fortalecimento da dialética que eles têm e os debates para diminuir esse distanciamento social, explica Viviane Luiza, secretária adjunta da Setescc (Turismo, Esporte, Cultura e Cidadania).

Durante os quatro dias de evento, pautas como educação, segurança, sustentabilidade, empreendimentos indígenas, juventude e mulheres, entre outras, como a Bancada do Cocar e MPI, fazem parte das discussões. E no final do encontro será elaborada a construção da agenda de ações e o plano de atuação do Conselho Terena.

“A Assembleia do Conselho Terena, não é só do Conselho, não é só do Povo Terena. Por que aqui os povos indígenas do Mato Grosso do Sul participam ativamente das discussões. Eu já participei muito aqui, porém hoje eu tenho um país inteiro para olhar, mas venho aqui e irei em outras para fortalecer o nosso movimento indígena, os territórios. Por isso quero que esses dias sejam de discussão desses temas importantes, de discussão de estratégias para que possamos ter uma ampla participação nas tomadas de decisões. Precisamos estar conectados para avançarmos ainda mais”, explica Sônia Guajajara, Ministra dos Povos Indígenas.

Para o Cacique Joel Marques, da aldeia que está sediando o evento, a data de abertura e essa edição da Assembleia fará para sempre parte das memórias da comunidade. “Esse encontro aqui hoje representa a nossa grande união na questão política, na questão social, territorial, saúde e na estrutura da comunidade. Quero aproveitar e registrar nosso agradecimento ao Governo do Estado, Governo Federal e municipal, porque esse dia será sempre uma data histórica aqui na nossa comunidade, por ter a presença de todos vocês, para o diálogo. E essa Assembleia significa um avanço na construção das novas políticas públicas, onde vamos incluir as pessoas menos favorecidas em um plano de governo, de ação”, finaliza.

Juventude em pauta

A Assembleia Terena coloca em evidência o histórico, fortalecimento, desafios e planejamento da juventude indígena do Estado propiciando que os jovens participem ativamente das discussões, com o olhar para o futuro e novas perspectivas.

“Esse encontro é um momento muito histórico dentro da comunidade, não só da comunidade como dos povos indígenas do Brasil, com a ministra e sua equipe aqui, assim como do Governo do Estado, fortalece o nosso território, porque são eles que estão nos espaços de decisão. E para nós juventude, são pessoas que a gente tem como referência dentro do movimento indígena a gente cresceu dentro de Acampamento Terra Livre, marcha de mulheres. Nós sabemos das dificuldades, mas sabemos que podemos muito mais também”, ressalta Gabriele Marques.

Texto e fotos: : Jaqueline Hahn Tente, Setescc

Compartilhe

Facebook
Twitter
WhatsApp