Campo Grande, 27 de fevereiro de 2024

Projeto Navio chega a Porto Murtinho com atendimento à população ribeirinha

Melhorar a qualidade de vida e realizar o monitoramento genômico da população ribeirinha do rio Paraguai são os principais pilares do Projeto NAVIO (Navegação Ampliada para a Vigilância Intensiva e Otimizada) que chegou a Porto Murtinho – Mato Grosso do Sul neste sábado (25), através de parceria firmada entre a SES-MS (Secretaria de Estado de Mato Grosso do Sul), Marinha do Brasil e a Fundação Oswaldo Cruz de Minas Gerais (Fiocruz Minas).
Uma das beneficiadas com a ação foi a diarista Maria Cristina Gonzalez, de 47 anos, que chegou bem cedo sendo uma das primeiras pessoas atendidas pela equipe. “Vim procurar pela vacina de gripe, pois é necessária. Muitas vezes não consigo ir ao postinho e aqui o atendimento seria mais rápido, então, logo cedo já viemos”, afirmou.
Moradora do Matadouro, região distante do centro urbano de Porto Murtinho, Maria Lucila Rios, de 26 anos, aproveitou para atualizar sua dose de vacina contra a Covid-19. “Eu gostei [da ação], muito legal e é muito importante a gente se imunizar”, orientou.
a diarista Maria Cristina Gonzalez Projeto Navio chega a Porto Murtinho com atendimento à população ribeirinha
Diarista Maria Cristina Gonzalez
A coordenadora de Saúde Única da SES-MS, doutora Danila Frias, destaca que este é o principal objetivo do projeto, levar assistência aos moradores. “Além da pesquisa, também estamos trabalhando a parte de atendimento de atenção primária, com atendimento médico, odontológico, vacinação. As pessoas que passam por atendimento médico fazem vários testes de triagem de uma diversidade de doenças, e falando na parte de pesquisa estão sendo feitas coletas de amostras ambientais, animais e humanas para realizar a vigilância genômica dos patógenos de toda a população ribeirinha, nesse primeiro trecho de residentes entre Ladário e Porto Murtinho”, afirmou.
Para o projeto, a Marinha do Brasil disponibilizou três navegações: o Navio de Assistência Hospitalar “Tenente Maximiano”, o Navio de Apoio Logístico Fluvial “Potengí” e o Navio de Transporte Fluvial Paraguassu. Para o comandante no Navio de Assistência Hospitalar, capitão-tenente Igor Luiz de Freitas Cobellas, o projeto visa aumentar a qualidade de vida dos ribeirinhos.
Atendimento NAVIO 01 Projeto Navio chega a Porto Murtinho com atendimento à população ribeirinha
Atendimentos estão sendo feitos em Porto Murtinho
“Nós trabalhamos durante todo o ano atendendo as populações ribeirinhas, ao longo da calha do Rio Paraguai e Cuiabá e esse projeto visa recrudescer essa qualidade de vida deles. Isso tudo é para que a gente possa proporcionar a eles uma vida mais digna, melhores cuidados e essa parceria com a Secretaria de Estado de Saúde via Fiocruz vai fazer com que essas populações sejam melhor assistidas”, considerou.
O pesquisador da Fiocruz Minas e idealizador do Projeto NAVIO, Luiz Alcântara, destacou a importância do esforço da SES para conseguir apoio da Marinha do Brasil reforçando que o projeto amplia um trabalho que já é realizado pela Marinha do Brasil, que é prestar assistência à população ribeirinha.
“O que fizemos foi ampliar isso, dando a eles o suporte na assistência, aumentando o número de profissionais médicos e enfermeiros e acrescentando outros objetivos, montando dentro do navio, laboratórios de diagnósticos sorológicos para saber o que essas populações ribeirinhas já foram pré-expostas em relação a patógenos e também um laboratório de diagnósticos molecular para poder detectar o patógeno que está causando alguma doença ou outra. Adicionalmente também montamos um laboratório de vigilância genômica”.
Ele explicou o procedimento que está sendo feito nos atendimentos. “Todo indivíduo que for positivo para algum patógeno, seja ele vírus, bactéria, fungo terá a amostra sequenciada, ou seja, faremos um mapeamento genético desse patógeno e após ter o mapeamento e os dados epidemiológicos, demográficos e de alterações climáticas, vamos unir tudo para conseguir usar modelos epidemiológicos que nos permitam identificar quando esse patógeno entrou naquela região, se está tendo surto ou não e prever novos surtos. Vamos conseguir monitorar todo o caminho realizado por esse patógeno, através de uma vigilância que a gente chama de vigilância genômica”.
Atendimento NAVIO 02 Projeto Navio chega a Porto Murtinho com atendimento à população ribeirinha
Trabalho em conjunto para atender os ribeirinhos
A secretária interina de Saúde de Porto Murtinho, Rita de Cássia Padilha, parabenizou a iniciativa e também o governador Eduardo Riedel “pelas parcerias realizadas em prol da saúde pública”. “Esse atendimento em parceria com a Marinha é muito importante para toda a população de Porto Murtinho, principalmente a ribeirinha. São ações extremamente importantes pois se as pessoas não vêm, a saúde vai até as pessoas”, disse.
A secretária-adjunta de Estado de Saúde, doutora Crhistinne Maymone, destacou a ‘grande aliança’ que une, além de SES, Fio Cruz e Marinha, outras instituições. “É uma grande aliança para que possamos levar uma vigilância em tempo real, bem como a assistência médica e odontológica para as comunidades ribeirinhas no rio Paraguai. Isso nos traz muita alegria, pois estamos aprimorando através da ciência e dessa força conjunta de tantos pesquisados, podendo levar ciência, saúde e melhores condições de vida para toda essa população”, afirmou.
O projeto que tem duração de 5 anos teve início neste mês na rota entre Ladário e Porto Murtinho. Já em fevereiro, o projeto chega a Cáceres, em Mato Grosso e a previsão é que em abril a rota chegue a Cuiabá, capital do estado vizinho. Em Porto Murtinho, os atendimentos serão realizados até a próxima segunda-feira (27).
O projeto também conta com o apoio da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), SES-MT, LACENs de MS, MT, MG e PR, universidades federais de Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Ouro Preto, Universidades Estaduais do MS e de Feira de Santana da Bahia, Embrapa, OPAS-OMS, Ministério da Saúde, LOCCUS, Biomanguinhos, IBMP, prefeituras de Ladário, Corumbá e Porto Murtinho, Instituto Erasmus de Roterdan da Holanda, Coordenação Estadual de Imunização da SES/MS, com Ana Paula Rezende Goldfinger, além da Universidade de Stellenbosch da África do Sul e Universidade de Sidney da Austrália.
NAVIOS Projeto Navio chega a Porto Murtinho com atendimento à população ribeirinha
Embarcações são usadas nos atendimentos
Joilson Francelino e Rodson Lima, Comunicação SES

Compartilhe

Facebook
Twitter
WhatsApp