Campo Grande, 22 de abril de 2024

Pedro Kemp faz alerta sobre as questões ambientais no Brasil

Desde 1972, o mundo celebra em 5 de junho o Dia do Meio Ambiente, criado pela Organização das Nações Unidas (ONU). Durante a sessão ordinária desta terça-feira (7), o deputado Pedro Kemp (PT) fez uma reflexão sobre os problemas enfrentados no Brasil e alertou a importância da questão ambiental ser tratada com prioridade e seriedade pelos agentes políticos.

“O Dia do Meio Ambiente tem objetivo principal de chamar atenção de todas as esferas da população e de todos os países para a importância da preservação dos recursos naturais, que até então eram considerados inesgotáveis. Agora, a humanidade descobriu que pode destruir o meio ambiente, podendo ter consequências irreversíveis, como a extinção de espécies da flora e da fauna, assoreamento de rios, desmatamento, mudanças no clima. Se não cuidarmos do nosso planeta, teremos sérios problemas no futuro”, afirmou.

Segundo Kemp, apesar dos grandes avanços nos debates mundiais sobre o meio ambiente, a questão nunca foi tão preocupante. Para ele, a pauta deve ser tratada com prioridade em todos os países, tendo em vista a acentuação dos problemas, como o aquecimento global, a escassez de água potável, a poluição do ar e da água e a destruição de grandes áreas.

“Se nada for feito, o consumo exagerado dos recursos e a perda constante de biodiversidade poderão alterar, consideravelmente, o modo como vivemos, comprometendo, inclusive, a nossa sobrevivência. Educação ambiental é importante, mas não basta. Esses problemas poderiam ser poderiam ser evitados com uma legislação ambiental séria, o cumprimento das normas e com políticas públicas voltadas para a preservação ambiental”, disse.

Kemp fez duras críticas ao governo do presidente Jair Bolsonaro. “O Brasil andou para trás, uma lástima, um crime. Com Bolsonaro, a política ambiental chegou ao fundo do poço. É uma vergonha internacional. Todos os dias matérias falando da destruição do nosso meio ambiente e do governo enfraquecendo os órgãos de proteção e fiscalização ambiental”

O parlamentar lamentou a política adotada e citou os últimos crimes ocorridos no Brasil, como os garimpos ilegais na Amazônia, a contaminação por mercúrio nos rios que passam por terras Yanomami, as queimadas no Pantanal e o desaparecimento do indigenista Bruno Araújo Pereira e o jornalista inglês Dom Phillips.

“Defender o meio ambiente não é só a contemplação daquilo que a criação tem de mais bonito e exuberante. É defender a vida, pois vivemos num ecossistema que funciona de forma integrada. Só teremos qualidade de vida se preservarmos aquilo que é de todos”, falou.

Compartilhe

Facebook
Twitter
WhatsApp