Campo Grande, 27 de setembro de 2021

Em ano mágico, Reinier tem chance de realizar o sonho do pai no Flamengo: “Coração bate forte”

Em seu primeiro ano de profissional, Reinier tem a chance de conquistar títulos que muitos jogadores consagrados não conseguiram. Com apenas 17 anos, ele está muito perto de levantar a taça do Brasileiro e no dia 23 disputa a final da Libertadores. Em um curto período, ele foi da arquibancada para dentro do campo e conquistou seu espaço.

Na derrota para o Peñarol, ele estava como torcedor no Maracanã. Nas oitavas de final, fez sua estreia profissional contra o Emelec, no duelo que classificou o time para as quartas, nos pênaltis. Ao todo, são 11 jogos e quatro gols marcados. O último no domingo, na vitória sobre o Bahia.

– Eu não imaginava na mesma competição estar na torcida e depois em campo – afirmou Reinier.

De contrato renovado até 2024, a joia rubro-negra tem uma missão extra: realizar um sonho que o pai não conseguiu.

Em 1977, seu pai Mauro Brasília era um dos meninos que tentavam a sorte no juvenil do Fla, ao lado de jogadores como Mozer e Tita. Depois, a geração se transformou na mais vitoriosa da história do clube. Ele, no entanto, não conseguiu se profissionalizar e seguiu uma carreira vitoriosa no futsal. Agora, com o filho Reinier, seu caminho cruza novamente com o Rubro-Negro.

– Vim para o Rio e fui morar na concentração do Flamengo. Era muito novo. Fiquei seis meses me dedicando, e no meio do ano o treinador achou que seria melhor eu fazer um estágio em Araraquara. Meu pai não aceitou e eu saí. Eu contei essa história para um diretor do Flamengo, e ele disse: “Seu filho vai agora completar a sua história dentro do Flamengo”. Acho que eu poderia estar naquele grupo de 81, mas o destino vai premiar meu filho agora – disse Mauro.

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove − quatro =