Campo Grande, 24 de setembro de 2021

GP do Brasil: com temporal no começo e pista seca no fim, Albon faz melhor tempo e bate

Numa sexta-feira que teve muita chuva pela manhã em São Paulo, o tailandês Alexander Albon foi o mais rápido no primeiro treino livre para o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1. A sessão foi disputada com pista muito molhada no começo, mas, com o fim da chuva, as condições foram melhorando, com o piloto da RBR marcando 1m16s143 na sua melhor volta e superando o segundo colocado Valtteri Bottas em 0s551.

Curiosamente, Albon sofreu o único acidente da sessão, ao bater na curva da Junção quase no fim do treino, quando ele e outros pilotos arriscaram colocar pneus slicks, pois havia uma trilha seca, e os pneus intermediários já não funcionavam tão bem.

A Ferrari, que liderou boa parte do treino quando a pista estava mais molhada, ficou com Sebastian Vettel em terceiro, seguido por Charles Leclerc. Dos favoritos à vitória, Lewis Hamilton e Max Verstappen não marcaram tempo. O hexacampeão, atrapalhado pela bandeira vermelha pela batida de Albon, e o holandês, por rodar no “S” do Senna quando arriscou os pneus slicks.

Completaram os dez mais velozes no primeiro treino, da quinta à décima colocações, Carlos Sainz (McLaren), Nico Hulkenberg (Renault), Daniel Ricciardo (Renault), Pierre Gasly (STR), Daniil Kvyat (STR) e Lando Norris (McLaren).

O segundo treino livre será disputado às 15h, com transmissão ao vivo do SporTV2 e SporTV Play. A narração será de Sergio Mauricio, com comentários de Reginaldo Leme e Felipe Giaffone. O GloboEsporte.com acompanha em tempo real.

Resultado do treino

Resultado do primeiro treino livre do GP do Brasil — Foto: Reprodução/FOM

Resultado do primeiro treino livre do GP do Brasil — Foto:Reprodução/FOM

Homenagem a Senna

O helicóptero que capta as imagens aéreas para a transmissão de TV tem uma homenagem ao tricampeão Ayrton Senna: a aeronave está pintada com as cores do capacete do ídolo brasileiro, que venceu duas vezes em Interlagos, em 1991 e 1993.

Temporal em Interlagos

Choveu em São Paulo desde a noite de quinta-feira, mas na hora do começo do treino livre, a precipitação era fortíssima. Apesar de algumas poças, a drenagem funcionou bem, assim como os frisos em alguns trechos do asfalto. Aos poucos, a chuva foi diminuindo.

Pouca ação no começo

Como era de se imaginar, a chuva fez com que, na primeira parte do treino, os pilotos entrassem na pista apenas para voltas de instalação. De qualquer forma, as condições eram tão ruins, que alguns como Kimi Raikkonen chegaram a ficar com o carro de lado, rendendo belas imagens.

O primeiro tempo foi registrado com apenas 22 minutos de treino por Carlos Sainz. O espanhol ainda ficou mais três voltas na pista e melhorou para 1m23s689 – para se ter uma ideia, com pista seca, os carros chegam a virar abaixo de 1m10s.

Pista, enfim, melhora

Faltando 54 minutos para o fim, Charles Leclerc baixou o tempo de Sainz em 0s178, colocando o carro de lado em várias curvas. Em seguida, o monegasco chegou a 1m21s259 e disse pelo rádio que já era possível trocar os pneus de chuva extrema para os intermediários.

Naquele momento já não chovia mais, e Leclerc foi baixando o tempo para 1m17s285. Outros pilotos como Vettel e Hulkenberg logo colocaram os pneus intermediários. Inicialmente, Vettel ficou a 0s459 de Leclerc, mas depois de uma sequência de voltas, assumiu o primeiro lugar a 35 minutos do fim, com 1m17s041.

Faltando 26 minutos, Valtteri Bottas fez dois dos três melhores setores e tomou a o primeiro lugar, 0s348 à frente de Vettel. Claramente as condições eram bem melhores, tanto que os carros já não levantavam o spray de água na linha ideal. Com a pista quase seca, Alexander Albon passou à liderança, com um tempo quase 0s3 melhor do que Bottas.

Pneus slicks no fim

Com um trilho seco na trajetória ideal no traçado, os pilotos arriscaram os pneus lisos nos últimos cinco minutos de treino. Os dois pilotos da RBR se deram mal: enquanto Max Verstappen rodou no “S” do Senna, Alexander Albon bateu na Junção e causou uma bandeira vermelha a dois minutos do fim.

Outro que rodou foi Daniil Kvyat, no “S” do Senna, mas o russo da STR conseguiu voltar para a pista sem bater.

ARTE GP DO BRASIL V2 — Foto: Infoesporte

ARTE GP DO BRASIL V2 — Foto: Infoesporte

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × dois =