Campo Grande, 27 de setembro de 2021

UFC São Paulo tem Jacaré em nova categoria, estreia de Shogun e Do Bronx em grande fase

O UFC São Paulo, sábado, no Ginásio do Ibirapuera, marcará a estreia de Ronaldo Jacaré no peso-meio-pesado. O capixaba lidera a edição com Jan Blachowicz em busca de um caminho mais curto rumo ao topo da divisão buscando um debute diferente dos últimos atletas que tomaram a mesma decisão, Luke Rockhold e Chris Weidman, nocauteados ao se aventurarem na categoria de cima. Maurício Shogun e Charles do Bronx completam os nomes tarimbados do card principal.

Sem jamais ter disputado o cinturão do peso-médio, Ronaldo Jacaré vai estrear contra o sexto colocado do ranking dos meio-pesados – o que quer dizer que, em caso de vitória, ele já se coloca no pelotão de frente da divisão. Mas as sovas de Rockhold e Weidman servem de alerta, pois são dois atletas que chegaram com o foco no campeão, Jon Jones, e foram atropelados logo no passo inicial.

– Acredito que alguns subiram falando muito. Para você falar do Jon Jones, você tem que ter cacife, ele é o cara mais dominante do UFC. Quando a gente for falar dele, tem que ter um certo respeito. Ele fez várias defesas, é o cara que mais tem defesas no UFC, então não vou chegar ali falando que quero lutar com ele. Eu estou focado 100% no meu adversário, que é um cara duríssimo, eu o respeito muito. Ele tem a mão da frente, com jab e um cruzado muito fortes, chuta que nem um cavalo. Vou querer colocar nosso jogo em prática e vencer. Esse é o plano. Com todo respeito, acho que ele não vai durar muito.

Lutador profissional desde 2002 e consolidado como um dos maiores nomes do MMA brasileiro, Maurício Shogun, por incrível que pareça, atuará em São Paulo pela primeira vez na carreira. O ex-campeão do Ultimate – dono de 26 vitórias e 11 derrotas – entra no octógono quase um ano após nocautear Tyson Pedro, em dezembro. Recuperado de uma lesão no polegar, o curitibano encara Paul Craig, que entrou no card duas semanas atrás substituindo o americano Sam Alvey.

– Sempre atrapalha. Porque eu ia lutar com um cara do boxe, canhoto, e de repente mudou para um cara do jiu-jítsu e destro. A gente estava há um mês treinando para lutar com o Sam Alvey e mudou para o Paul. Aceitamos a luta, tivemos duas semanas para mudar os treinos, adaptar, então está tudo certo. Consegui colocar o meu jogo em cima do dele – explicou o curitibano, cujo clima com o escocês foi de tensão nas encaradas.

Um dos atletas mais queridos pelo público, o anfitrião Charles do Bronx terá a torcida em peso a seu favor diante de Jared Gordon – o barulho na pesagem cerimonial foi apenas um aperitivo. Recordista do UFC quando o assunto é número de finalizações, o atleta da Chute Boxe mira a sexta vitória consecutiva para, enfim, alçar voos mais altos no peso-leve.

– Quero dar um show lá em cima, andar para frente, mostrar minha evolução em pé e, quando for para baixo, todo mundo já conhece meu jiu-jítsu – declarou o atleta, que enfrentará um oponente, que amarga dois nocautes para os brasileiros Carlos Diego Ferreira e Netto BJJ.

Natural do Piauí, mas radicado em Curitiba, onde treina, Francisco Massaranduba está em casa em São Paulo. O ex-participante do TUF Brasil, caso derrote Bobby Green, alcançará quatro vitórias na cidade, pelo Ultimate, feito que nenhum outro conseguiu.

– Ninguém vai tirar essa vitória de mim. Ele não sabe a vontade que estou de meter a porrada nele. Estou falando de coração. Vou meter a porrada nesse bicho.

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze + dezenove =