Campo Grande, 25 de setembro de 2021

Ministro da Saúde enaltece projeto de ex-secretário de saúde da capital pode virar referência nacional

Uma das principais propostas do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, será implementar o terceiro turno nas unidades básicas de saúde para melhorar o atendimento médico à população brasileira.

Instituído em Campo Grande na gestão de Alcides Bernal (PP), onde tinha como Secretário de Saúde Ivandro Fonseca. O projeto chegou a funcionar em 20 postos de saúde e foi extinto pelo atual prefeito, Marquinhos Trad (PSD).

Com gasto mensal de R$ 1,7 milhão, o 3º turno estendia o atendimento médico nas unidades básicas de saúde das 17h às 21h e desafogava a procura pelos centros regionais e UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) de Campo Grande.

O atual Ministro da Saúde, já foi Secretário municipal de Saúde da Capital e deputado federal por dois mandatos. Mandetta definiu o programa como uma das prioridades na posse no dia 2 de janeiro deste ano. De acordo com o ministro, a forma de implementação ainda está em estudo, mas visa atender quem trabalha e não dispõe de tempo livre para procurar o médico no horário comercial.

“A mulher trabalhadora e o homem trabalhador, muitas vezes, saem de casa antes das 7h e voltam depois das 18h. Ou seja, a unidade básica de saúde, para eles, fica praticamente inalcançável”, afirmou o ministro, conforme registro feito pela Agência Brasil.

Modelo para o Brasil

Ivandro foi Secretário de Saúde em Campo Grande.

Em Campo Grande, o 3º Turno foi idealizado pelo então secretário municipal de Saúde, Ivandro Fonseca, que tirou o projeto do papel em 10 unidades em outubro de 2013. O investimento era bancado pelo tesouro municipal. No último ano da gestão de Bernal, em 2016, o projeto estava implantado em 20 postos de saúde, segundo Ivandro. Pesquisa da ouvidoria do SUS (Sistema Único de Saúde) constatou que o programa tinha aprovação de 67% dos campo-grandenses.

O ex-secretário conta que cada unidade de saúde tinha o próprio cronograma de atendimento, que poderia ser de segunda a sexta ou em dias alternados. O custo era de R$ 85 mil por unidade de saúde, conforme dados repassados por Ivandro Fonseca. É um pouco inferior aos R$ 100 mil gastos pela Prefeitura de Porto Alegre, conforme o jornal Folha de S.Paulo. Segundo Fonseca, a proposta era ampliar o atendimento para mais cinco unidades de saúde da Capital em 2017, mas o atual prefeito Marquinhos Trad assumiu o comando do município e cancelou o programa 3º Turno.

Em contato com o Porta de Notícias Agora News, o ex-secretário municipal de saúde de Campo Grande Ivandro Fonseca se diz feliz e lisongeado por um programa criado dentro de sua gestão a qual, o ex-prefeito Alcides Bernal lhe deu total liberdade para implantar,  pode ser modelo para todo o país. “Estou muito feliz em saber que aquilo que nós implantamos em Campo Grande, deu certo e agora pode virar referência nacional”, enfatiza Ivandro.

“Acho que o novo ministro Mandetta que é de nosso estado e conhece bem nossa capital, sabe das dificuldades que uma mãe e um pai de familia tem para ser atendido em uma unidade durante o dia. Esse projeto de saúde que é o “Terceiro Turno”,  sendo implementado em nível nacional vai fazer sim a diferença, e na mesma esteira do ministro Mandetta, o trabalhador precisa de um horário diferenciado porque não consegue ser atendido no horário normal que é até as 17h, isso cai como uma luva a implantação do 3º turno em todo o Brasil”, isso demonstra que estávamos no caminho certo”. Finalizou Ivandro Fonseca.

Outros projetos implantados

Equipe Móvel para atendimentos em Upas e CRSs –
Foto: Campograndenews

Enquanto Secretário de Saúde de Campo Grande durante a gestão de Alcides Bernal, entre os anos de 2013, 2014 e 2016, Ivandro Fonseca implantou no município os programas de prevenção à saúde pública dentro do Programa “Saúde em Ação”.

Equipe móvel – “Um programa muito importante para Campo Grande, duas equipes com 3 médicos cada, ficavam na “sala de situação” da secretaria, para socorrer as Upas (Unidade de Pronto Atendimento) que apresentam quadro de superlotação em Campo Grande. Na prática, uma equipe médica ficava à disposição para se deslocar entre as Upas e atender a população, desafogando o atendimento nos momentos de maior lotação.

Através de video-monitoramento, as equipes tinham o acesso aos dados analíticos e situacionais sobre o fluxo de atendimento nas seis UPAs e quatro CRSs (Centros Regionais de Saúde) que integram a rede de urgência e emergência do município´”. Lembrou Ivandro Fonseca.

Mutirão de cirurgias ortopédicas – “Havia situações onde os pacientes estavam em filas para receber atendimento cirurgico á vários meses e outros até a mai de 3 anos, pacientes estes represados. Com o mutirão, ouve uma diminuição, muitos pacientes foram atendidos e resolvido seus problemas ortopédicos”, lembra Fonseca.

Consulta única – “Foi um outro programa implantado na gestão, fez com que aquela dona de casa, aquele trabalhador com sua criança ou até mesmo ele, deixou de ir duas, três ou até quatro vezes dentro de um mês para passar por vários médicos. Com o Consulta única, a população pode em um mesmo dia ser atendida por médicos de várias especialidades”. enfatizou Ivandro.

Posso ajudar, outro projeto da época – Foto: Arquivo

Ivandro relembra que utros dois programas que deram certo na capital do estado foi o “Fila Zero” e o “Posso Ajudar” que era um projeto dentro do Programa Saúde em Ação que concentra-se em informar melhor o paciente que vai a uma unidade de saúde em busca de assistência médica.

Nesse projeto, estagiários de vários cursos acadêmicos foram contratados para ficar na recepção dos postos orientando e informando o paciente. Em vários casos, pessoas vão em unidades em que não há o serviço desejado e perdem tempo esperando.

Segundo o ex-secretário, eram programas simples, práticos e de custo não muito alto para o município, mas significante e que fazia a diferença para a população de Campo Grande e que também alguns desses programas foram colocados em prática em outras cidades pelo Brasil.

Agoranews/ Izomar Galeano

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete − 14 =