Campo Grande, 25 de setembro de 2021

“Termômetro do medo” de Wall Street dispara e chega a níveis da crise de 2008

O VIX, índice de volatilidade do S&P 500 conhecido como o “termômetro do medo de Wall Street”, dispara na sessão, impulsionado pelo pânico generalizado nos mercados. O cenário de aversão ao risco é provocado pela forte queda nos preços do petróleo e pela rápida propagação da epidemia de coronavírus pelo mundo.

No começo do dia, o índice de volatilidade da Cboe chegou a operar em alta de mais de 37%, para 57,84 pontos, maior patamar desde o dia 9 de dezembro de 2008. Por volta das 14h30 (horário de Brasília), subia 20,24%, para 50,43 pontos.

Após as negociações serem interrompidas por 15 minutos, as ações em Wall Street amenizaram as perdas. Na Bolsa de Valores de Nova York (Nyse), por volta das 14h30, o Dow Jones operava em queda de 6,9%, aos 24.087 pontos, enquanto o S&P 500 recuava 5,85%, aos 2.798 pontos. O índice eletrônico Nasdaq perdia 5,7%, para 8.087 pontos.

No Brasil, a bolsa também entrou em circuit breaker após bater queda de 10%. Após a reabertura, o Ibovespa operava em queda de mais de 9%.

Valor Econômico/ EUA

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × cinco =