Campo Grande, 23 de setembro de 2021

Últimas notícias de coronavírus de 1º de abril

Os Estados Unidos e a França superaram a marca de 4 mil mortes provocadas pelo novo coronavírus nesta quarta-feira (1º).

O número dos EUA dobrou em apenas três dias, de acordo com o balanço da Universidade Johns Hopkins. O país registra 206.207 casos de Covid-19. Depois de minimizar em um primeiro momento o impacto da doença, o presidente Donald Trump advertiu aos americanos que as próximas duas semanas “serão muito dolorosas”.

Com um hospital de campanha funcionando no Central Park, a cidade de Nova York ultrapassou mil mortes. A doença está tendo um efeito mais devastador em certos bairros da cidade, como Brooklyn e Queens, de acordo com o departamento de saúde.

– Eu não acho que vamos voltar ao normal. Acho que voltaremos ou chegaremos a um novo normal. Nosso desafio é garantir que a transformação e a mudança sejam positivas, e não negativas – afirmou Andrew Cuomo, governador de Nova York, nesta quarta.

Hospital de campanha sendo montado no Central Park, em Nova York — Foto: Mary Altaffer/AP Photo

Hospital de campanha sendo montado no Central Park, em Nova York — Foto: Mary Altaffer/AP Photo

Em Connecticut , também nos EUA, um bebê de seis semanas morreuem decorrência da Covid-19, informou o governador do estado americano, Ned Lamont. Ainda segundo o governador, Connecticut registra 85 mortes pela doença e 3.557 pessoas infectadas.

Na Flórida, o governador Ron DeSantis informou que ordenará o confinamento obrigatório aos 21 milhões de habitantes deste estado do sul do país, e rejeitou que dois cruzeiros que transportam pacientes com coronavírus atraquem em portos locais.

Europa

A pandemia provocada pelo novo coronavírus matou mais de 30 mil pessoas na Europa, continente mais afetado pela Covid-19 até o momento, segundo balanço da agência de notícias France Presse. Mais de dois terços dessas mortes aconteceram na Itália (mais de 13 mil mortos) e na Espanha (mais de 9 mil). O terceiro país mais afetado é França (mais de 4 mil).

O departamento de saúde do Reino Unido atualizou nesta manhã o número de casos na região: são 29.474 pessoas contaminadas das 152.979 que foram submetidas ao teste para detectar a presença do novo coronavírus. Dos hospitalizados com Covid-19, 2.352 morreram. Destas mortes, 563 aconteceram nas últimas 24 horas.

Nas últimas 24 horas, a Espanha registrou 864 mortes por Covid-19. Esse é o segundo dia seguido que o país tem um recorde no número de mortos.

Desde o início da epidemia, que começou em dezembro na cidade chinesa de Wuhan, mais de 921 mil casos de contágio foram registrados em 186 países ou territórios em todo o mundo, com mais de 46 mil mortes. O número de casos positivos diagnosticados, no entanto, reflete apenas uma parte do número total de infecções devido às diferentes metodologias dos países para diagnosticar os casos.

As últimas notícias desta quarta-feira:

  • China divulga número de casos assintomáticos;
  • França ultrapassa a marca de 4 mil mortos;
  • Brasil registra 240 mortes e 6.836 casos confirmados;
  • Presidente da Argentina proíbe demissões sem justa causa por 60 dias;
  • Itália estende bloqueio total no país até o dia 13 de abril;
  • Número de mortos chega aos 13 mil em solo italiano;
  • Alemanha também fala em manter isolamento até depois da Páscoa;
  • Edimburgo, na Escócia, cancela seu tradicional festival de teatro;
  • Irã passa de 3 mil mortos por Covid-19 em seu território;
  • Fabricantes de carros anunciam ajuda ao Brasil;
  • Japão veta a entrada de 73 países, incluindo o Brasil;
  • Wimbledon anuncia cancelamento da edição 2020.

Na Itália

O bloqueio total da Itália deve continuar ao menos até o dia 13 de abril, de acordo com o ministro da saúde Roberto Speranza. Ao Senado, o ministro afirmou que não se pode confundir os primeiros sinais positivos com “tudo limpo” no país, o mais afetado pela Covid-19 na Europa. O chamado “lockdown” está em vigor na região desde o dia 9 de março.

Foram registradas 727 novas mortes na Itália nas últimas 24 horas, elevando o total para 13.155. O número diário é o mais baixo desde o último dia 26. A contaminação voltou a subir. Foram registradas 4.782 casos no último dia, mais do que os 4.053 do dia anterior. São 110.574 contaminados. Os números colocam a Itália como responsável por 30% das mortes relacionadas à Covid-19 no mundo.

China anunciou pela primeira vez que o número de casos assintomáticos da Covid-19: atualmente 1.367 pessoas estão com a doença mas não têm febre ou tosse características. O país se empenha em identificar esses casos, porque eles são transmissores do novo coronavírus. Mais de 80 mil pessoas foram atingidas pelo vírus e mais de 3,3 mil pessoas morreram.

Conferência do clima adiada

A Cop26, conferência do clima da ONU, foi adiada para 2021. A reunião entre nações para tratar os temas climáticos estava marcada para ocorrer em novembro deste ano em Glasgow, na Escócia.

Um comunicado da ONU nesta quarta-feira informou sobre o adiamento e mandou um recado através do presidente da Cop26, Alok Sharma.

– O mundo está enfrentando um desafio global sem precedentes, e os países estão concentrando seus esforços corretamente em salvar vidas e combater a Covid-19. Por isso, decidimos reagendar a Cop26 – afirmou Sharma.

– Continuaremos trabalhando incansavelmente com nossos parceiros para entregar o necessário para enfrentar a crise climática, e estou ansioso para confirmar uma nova data para a conferência – completou.

Na França

Com os hospitais de Paris operando em sua capacidade máxima, dois trens de alta velocidade vão transferir 36 pacientes da capital para o Oeste da França. Os trens estão com equipamentos médicos e farão a transferência para tentar aliviar os hospitais da cidade, de acordo com o Ministério da Saúde.

O primeiro trem, com 24 pacientes, já saiu de Austerlitz, em Paris, e foi para Saint-Brieuc e Brest, na Bretanha, região menos afetada pela pandemia. O segundo, com os outros 12, deve ir em direção a Rennes. São mais de 52 mil contaminados em território francês.

Pacientes são transportados de Paris para regiões menos afetadas na França — Foto: Thomas Samson/AP Photo

Pacientes são transportados de Paris para regiões menos afetadas na França — Foto: Thomas Samson/AP Photo

Na Argentina

Presidente da Argentina, Alberto Fernández assinou um “Decreto de Necessidade e Urgência (DNU)” que proíbe demissões sem justa causa e por motivos de falta ou diminuição de trabalho e força maior por 60 dias. Não serão reconhecidas o fim dos vínculos laborais existentes.

O governo argentino também ordenou a transferências de 30 milhões de pesos para o Fundo Argentino de Garantia a fim de conceder garantias aos bancos para facilitar o acesso a empréstimos de capital de giro por micro, pequenas e médias empresas devidamente registradas. O valor pode cobrir até 100% de um empréstimo.

Em Rosário, o cônsul chileno na cidade argentina, Fernando Labra Hidalgo, morreu nesta quarta-feira (1º) em um hospital particular depois de passar vários dias hospitalizado devido à Covid-19.

Labra Hidalgo se tornou a primeira vítima fatal do novo coronavírus na cidade de Rosário, onde vive 1,2 milhão de pessoas.

O diplomata estava hospitalizado em isolamento desde o último sábado e entrou em um “estado delicado”, disse o ministro das Relações Exteriores do Chile, Teodoro Ribera Neumann.

A morte do diplomata, de 65 anos de idade e 35 de carreira, foi confirmada pela chancelaria chilena em uma declaração na qual “lamentou profundamente sua perda”.

No Reino Unido

O príncipe Charles do Reino Unido, que se recuperou depois de ser diagnosticado com coronavírus, elogiou a devoção abnegada dos agentes de saúde e disse que a nação passa por um momento estranho e angustiante. Aos 71 anos, é herdeiro do trono, saiu do auto-isolamento na segunda.

O All England Lawn Tennis and Croquet Club, local onde é realizado o torneio de Wimbledon, em Londres, anunciou que o Grand Slam não será disputado na temporada de tênis em 2020. A decisão foi tomada por conta da pandemia pelo novo coronavírus, uma vez que, na opinião dos organizadores, não haverá tempo hábil para preparar e realizar a competição, prevista para iniciar em 29 de junho.

Pelas suas redes sociais, o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, lamentou o aumento de mortos na região. Até a noite desta quarta-feira, 2.352 pessoas morreram vítimas do coronavírus, e mais de 29 mil já haviam sido contaminadas.

– Não há dúvida de que este foi um dia triste, triste, mas não há dúvida de que, se pudermos seguir o programa em que estamos trabalhando, se pudermos cumprir as medidas que adotamos juntos, estou absolutamente certo de que começaremos a diminuir esses números – afirmou.

Pelo mundo

Na tentativa de conter o avanço do coronavírus em seu território, o Japãoanunciou o veto na entrada de estrangeiros de 73 países, incluindo o Brasil. O anúncio foi feito pelo primeiro-ministro Shinzo Abe, que destacou o fato do país ainda não ter declarado estado de emergência. O pedido é para que os cidadãos japonês retornem e cumpram uma quarentena de duas semanas. Além do Brasil, estão na lista a maioria dos países europeus, os Estados Unidos e todas as partes da China e Coreia do Sul.

China, por sua vez, determinou restrições severas na movimentação de pessoas na região de Jia, na província de Henan, após aumento nos registros do novo coronavírus. Os cerca de 600 mil habitantes não podem sair da região sem autorização. Há o temor de que uma segunda onda de coronavírus chegue ao país.

Depois de ter contato com o médico responsável pelo principal hospital de Moscou, na Rússia, o presidente Vladimir Putin vai trabalhar de sua residência, de acordo com o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov. O médico foi diagnosticado com Covid-19 uma semana depois de se encontrar com Putin.

O presidente russo Vladimir Putin cumprimenta o chefe do hospital de Moscou que trata pacientes com coronavírus,Denis Protsenko — Foto: Alexey Druzhinin/Sputnik/AFP/Arquivo

O presidente russo Vladimir Putin cumprimenta o chefe do hospital de Moscou que trata pacientes com coronavírus,Denis Protsenko — Foto: Alexey Druzhinin/Sputnik/AFP/Arquivo

O governo federal da Alemanha, em conjunto com os 16 estados do país, vai prorrogar as medidas de isolamento social ao menos até depois do feriado de Páscoa para evitar ainda mais a disseminação do vírus no país, de acordo com a Focus Online. O isolamento deve ser mantido até 19 de abril.

Sede do parlamento escocês e segunda cidade mais populosa da Escócia, Edimburgo não irá realizar seu tradicional festival de teatro pela primeira vez em mais de 70 anos em razão da Covid-19. O festival, o maior de artes cênicas no mundo, costuma reunir no mês de agosto 25 mil artistas e 4,5 milhões de espectadores. O anúncio foi feito no site oficial do evento.

Irã superou os 3 mil mortos pela doença, depois de registrar mais 138 mortes nas últimas 24 horas, de acordo com autoridades sanitárias do país. Segundo levantamento da universidade Johns Hopkings, são mais de 44 mil contaminados na região.

Na Tailândia, uma das preocupações são os elefantes. Mal alimentados e acorrentados em lugares turísticos vazios, cerca de 2 mil elefantes esperam ajuda financeira de emergência para seus donos, que ficaram sem receita devido à pandemia.

Elefante procura por comida em fazenda na Tailândia, em foto de 28 de março — Foto: HANDOUT / THAI ELEPHANT ALLIANCE ASSOCIATION / AFP

Elefante procura por comida em fazenda na Tailândia, em foto de 28 de março — Foto: HANDOUT / THAI ELEPHANT ALLIANCE ASSOCIATION / AFP

No Brasil

O Ministério da Saúde divulgou nesta quarta-feira o mais recente balanço nacional sobre os casos de Covid-19 no Brasil. São 240 mortes e 6.836 casos confirmados em todo o país. A taxa de letalidade é de 3,5%.

O estado de São Paulo registrou novo recorde de mortos nas últimas 24 horas. Foram 28 óbitos, um aumento de 21% desde a última terça-feira. São Paulo chega a 164 mortes, liderando o ranking de estados do Brasil.

O estado possui ainda 2.981 casos confirmados. O novo número de casos representa um aumento de 27% em relação aos 2.339 casos anunciados na segunda (31).

Seis fabricantes de veículos já anunciaram ações de combate ao coronavírus. Com todas as fábricas paradas no país, as marcas vão concentrar seus esforços em inciativas como a produção de máscaras e o reparo de respiradores quebrados.

Governador de São Paulo, João Doria anunciou que no estado a General Motors fará o reparo, a Toyota vai doar ambulâncias e álcool em gel e a Volkswagen e Hyundai vão doar máscaras.

Por G1

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 + 12 =