Campo Grande, 26 de setembro de 2021

Sampaoli busca explicações, contesta gol anulado e refuta abatimento no Atlético-MG

Jorge Sampaoli terminou o jogo do Atlético-MG contra o Goiás tentando entender o que aconteceu no estádio da Serrinha, em Goiânia.

“Um jogo muito difícil de explicar. Tivemos 85% de posse, o tempo todo no campo rival. Um time (Goiás) que somente teve um chute no gol e acabou ganhando. A gente com bastante situações, mas não concretizamos. Só o futebol tem essas coisas” – Jorge Sampaoli.

O Galo dominou, mas quem venceu foi o Goiás, por 1 a 0. O resultado impede o Alvinegro de se aproximar da liderança. Pior: Internacional e Flamengo podem ampliar a vantagem nesta quinta-feira.

“Lamentavelmente, vamos (para casa) sem nada, quando o time veio (a Goiânia) por tudo” – Sampaoli.

Jorge Sampaoli, técnico do Atlético-MG — Foto: SporTV

Jorge Sampaoli, técnico do Atlético-MG — Foto: SporTV

Sampaoli saiu da Serrinha também insatisfeito com a arbitragem. Na visão do argentino, o gol de Savarino foi anulado equivocadamente, mesmo após revisão do VAR (árbitro de vídeo), que confirmou o impedimento milimétrico.

– Vi a jogada do gol anulado do Savarino, me parece injusto, porque está mal traçada a linha. Assim, ele estava habilitado. Situações pontuais, detalhes de uma equipe que quis buscar a partida.

O certo é que o Atlético de Sampaoli foi improdutivo contra o ameaçado de rebaixamento Goiás. Teve a posse de bola, mas não achou soluções para furar a defesa. O mesmo problema o time já havia aparecido contra outras retrancas de times que lutam contra a queda.

– (Desempenho é ruim contra ameaçados) basicamente porque os times se fecham muito atrás. Não tivemos a capacidade de concluir que tivemos em outros jogos. São times que jogam por uma bola, encontram e terminam ganhando.

Sem abatimento

A cada jogo que passa, as chances de título do Atlético reduzem. Restam agora apenas quatro rodadas. Questionado se os jogadores podem se abater com esse cenário após a derrota em Goiânia, Sampaoli foi direto:

– Isso não se pode tolerar. Não haverá abatimento. Ao contrário, tem de ter rebeldia. Jogamos 90% no campo rival, como sempre, não tivemos uma noite inspirada na contundência. Temos que pensar em jogar melhor do que hoje. Abatimento é não respeitar o escudo, a camisa, que tanto é importante para nós. Cada jogo que defendemos a camisa do Atlético é com zero abatimento e muita luta.

Goiás x Atlético-MG — Foto: Pedro Souza / Atlético-MG

Goiás x Atlético-MG — Foto: Pedro Souza / Atlético-MG

Outras respostas de Sampaoli

Esquema com três zagueiros

– A ideia com três zagueiros era suportar a característica de jogo do rival, que são lançamentos frontais a Fernando (Fernandão) e ao outro atacante. Por isso, tiramos o Guga e colocamos o Gabriel. No segundo tempo, já com a diferença, sobrava um marcador central, e entendi que modificar iria gerar maior convicção de ataque. Fomos mais agudos, mas, lamentavelmente, não concretizamos.

O torcedor pode acreditar no título?

– Eu nunca pensei nisso, até agora. Pensei em ganhar cada jogo, saber a realidade que é um time jovem, novo, que está tentando construir uma ideia. Isso tem a ver com o torcedor. Eu penso na próxima partida, ganhar, atacar e ver como podemos recuperar o que perdemos.

Falta repertório ofensivo

– O repertório ofensivo é o que estamos buscando todo tempo. Por isso temos muita gente no ataque. O rival teve apenas 15% da bola em 90 minutos. Seguramente, temos que ver como fazer para que isso não se repita.

Aprendizado para pegar Fluminense

– Teremos um plano diferente, buscando a capacidade relacionada com o time rival. De qualquer maneira, o time vai respeitar a ideia e buscar a ideia, seja com quem jogue e onde jogue.

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito − 8 =