Campo Grande, 13 de julho de 2024

Mancini diz que Corinthians pode jogar mais e projeta chegada de reforços: “Estamos atentos”

São três vitórias e dois empates em cinco jogos, mas um desempenho aquém do esperado. Para o treinador, é possível, sim, jogar mais e manter a sequência invicta.

– Eu não estou satisfeito, não. O Corinthians pode jogar muito mais, mas é importante fazer os ajustes e teu time vencer as partidas. Estamos em série invicta, equipe vem sofrendo poucos gols, mas o desempenho está ainda muito abaixo do que a gente espera e isso é unanimidade aqui dentro. Os atletas sabem que podem render mais. Tivemos problema do campo, isso nos atrapalha. Em relação ao jogo do São Caetano, tivemos produtividade melhor contra o Salgueiro. Espero que melhore para os jogos seguintes – analisou o técnico.

Mancini também falou sobre a possibilidade da chegada de reforços ao Timão. Assim como o diretor de futebol Roberto de Andrade já havia falado ao ge, o treinador espera a contratação da tal “cereja do bolo”. Ele falou também sobre a saída de alguns jogadores.

– Realmente, a primeira parte foi feita, a gente desligou alguns atletas e deu uma saneada no elenco com a chegada dos jovens, e a terceira parte seria a cereja do bolo, a chegada de alguns atletas pontuais, e isso vai acontecer. O Corinthians está muito atento ao mercado, a gente conversa sobre isso internamente, é óbvio que a gente sabe da aflição do torcedor, mas estamos atentos. Aquele atleta que a gente entender que realmente venha para vestir a camisa do Corinthians e ser um diferencial, com certeza a diretoria vai atrás. Vamos em busca disso, sim – ponderou o técnico.

– Neste momento estamos ainda no período de acerto, de ajustes, alguns meninos da base ainda estão em fase de adaptação e é uma coisa natural, você não pode cobrar desempenho a partir do momento que o time não está muito arrumado ainda, e temos alguns atletas entrando. Mas mesmo assim eu tenho insistido com eles, acho importante que amadureçam o mais rápido possível em jogos como esse, como foi contra São Caetano, Ponte Preta. Jogos em que ele precisa se reinventar a todo instante para assegurar o seu lugar no elenco profissional – completou.

Vagner Mancini em Salgueiro x Corinthians — Foto: Rodrigo Coca/Agência Corinthians

Vagner Mancini em Salgueiro x Corinthians — Foto: Rodrigo Coca/Agência Corinthians

Veja outros pontos da entrevista coletiva de Vagner Mancini:

Fase vivida por Mateus Vital
– Mateus vive excelente fase, fico muito satisfeito com isso. Readquiriu a confiança para entrar e fazer o que tem de melhor. É um atleta dotado de muita técnica, muita força, consegue arrastar dentro de campo. Gol foi assim, saiu de dois ou três jogadores e finalizou bem. Vem se destacando porque vem trabalhando bastante todos os dias, faz algo a mais. Passou para outro patamar. Acreditou no que estava sendo passado e felizmente vem jogando a cada jogo melhor.

Problemas com campo em Salgueiro
– Acima de tudo, muita superação do elenco dos que entraram em campo, dos que entraram no segundo tempo. Imposição que uma equipe do tamanho do Corinthians tem que ter numa partida dessas. Jogando um jogo eliminatório é muito importante se impor sobre o rival da maneira que tiver que ser. O dia que encontra um campo pesado, alagado, tem que ter disposição para se impor. Não vimos futebol vistoso ainda, campo atrapalhou, mas vi time evoluindo em vários aspectos e setores. Superamos campo irregular, iluminação ruim com jogo mais duro, mais disputado. Estamos alastrando essa imposição. Quando der para jogar bonito, com técnica, vamos jogar. Quando não der, vamos colocar a marca Corinthians e ganhar o jogo.

Defesa mais forte
– Dá para falar que o Corinthians melhorou defensivamente. Melhorou nos últimos sete jogos a gente tomou poucos gols, essa invencibilidade é importante, mostra uma evolução, mas estamos teoricamente num começo de temporada e a equipe vem bem. Temos que acertar a parte defensiva para ter sustentação ofensiva. A partir do momento em que você oferece ao seu adversário um sistema defensivo fragilizado, o jogo fica muito franco e você começa a trocar socos com todo mundo, e a gente não quer isso. Queremos um sistema defensivo que seja a cara do Corinthians: um time que tome poucos gols e que chegue à frente, que empolgue o torcedor em todos os sentidos, não só de parte técnica ou tática. O torcedor gosta de ver entrega em campo, essa entrega tem que acontecer, mas é de fundamental importância que a gente primeiro acerte a parte defensiva, e acho que estamos no caminho certo.

Escalação da equipe
– Escalação foi em cima do que eu esperava do jogo, equipe que disputasse mais, fosse mais competitiva. Atleta técnico sente dificuldade, ainda mais sendo jogo eliminatório. Vi um Corinthians de duas partes. Agressivo no começo, fez o gol e perdeu chances, depois afastou muito na marcação e deu chance para o Salgueiro ter volume. Não vi tanta diferença assim. Corinthians até o intervalo foi o pior jogo dele, mas fez um jogo sem sofrer, teve controle da partida. Lógico que quando enfrenta ambiente dessa forma, precisa estar preparado. Quando você fala de dois jogos na chuva, em campos ruins e a gente teve êxito nesses jogos. Time vencedor tem que se adaptar. Vejo o Corinthians melhorando, ainda distante do que quero. Sabe o que quer, sabe jogar diante das adversidades.

Meninos entrando no time
– Vejo os meninos amadurecendo, que é exatamente a nossa intenção. Fiz com que 7 ou 8 atletas da base integrassem o elenco neste início de temporada, mas já tínhamos outros como Roni, Raul, Xavier, Piton, GP (Gabriel Pereira) que já estavam com a gente, e mais esses 7 ou 8. Temos 13 ou 14 atletas. Vejo que neste momento é muito importante para o Corinthians, por tudo, pela saúde financeira, pelo o que representa para o clube, que a gente tenha jogadores que sejam a cara do clube e para isso temos que amadurecer os meninos. Em alguns jogos coloco alguns, em outros coloco outros. Quero dar a capacidade de aos poucos ir maturando todos eles, às vezes vou intercalando por isso. Rodrigo é o único que vem tendo sequência de jogos, mas é importante que a gente entenda que o jogador vai oscilar, todos passam por isso. Mas é importante essa mescla para o time apresentar nesta temporada um futebol diferente.

Paralisação do Campeonato Paulista
– A ideia é dar alguns dias de folga, mas não temos essa confirmação ainda. É importante voltar a São Paulo, sentar e esperar a definição. Se tiver jogo, vamos entrar em campo. Se não, esses atletas merecem folga. Não pode ser muito, mas estão há oito ou nove meses jogando direto. É importante que esses atletas também tenham tempo na vida social. Dentro de casa, com as famílias. Treinos vão seguir normalmente. Não podemos abrir mão de nada, porque é fundamental estar apto quando o campeonato retornar.

Por Ana Canhedo, Bruno Cassucci e Marcelo Braga — São Paulo

Compartilhe

Facebook
Twitter
WhatsApp