Campo Grande, 23 de maio de 2022

Fábio comenta sobre saída do Cruzeiro: “A forma como agiram não foi correta”

O ex-goleiro do Cruzeiro, Fábio, criticou a forma como o staff de Ronaldo Fenômeno conduziu sua saída do clube no início deste ano. Em entrevista concedida ao SBT, na noite dessa segunda-feira, o atual goleiro do Fluminense disse que o clube “não agiu da maneira correta”.

“Eu já tinha renovado com o presidente antes de viajar de férias, ficaram faltando detalhes de como ia ser feito o contrato, mas até tem foto minha com o presidente, com a camisa de mil jogos que poderia alcançar essa marca nesse ano de 2022. Saí de férias, tudo resolvido, porque o que vale para mim é a palavra, sempre foi assim. A confiança sempre foi no Cruzeiro, com as pessoas que tive oportunidade de trabalhar lá, muito corretas. Infelizmente, eles não tiveram essa mesma conduta nessa gestão”

 

Fábio ainda disse que concordou em reduzir o seu salário e que abriu mão “de tudo o que poderia” para continuar no Cruzeiro, mas que não houve negociação.

– Abri mão de tudo que poderia abrir, do que já tinha renovado, abaixei o salário, até abaixo do teto, fiz de tudo, só a forma que agiram comigo que não foi correta. Aí se fala muitas coisas, de comportamento difícil. Se fosse difícil, não tinha ficado 18 anos – disse o goleiro.

Fábio com a camisa dos 1.000 jogos pelo Cruzeiro — Foto: Gustavo Aleixo

Fábio com a camisa dos 1.000 jogos pelo Cruzeiro — Foto: Gustavo Aleixo

Apesar da saída turbulenta, o goleiro que disputou 976 jogos pelo Cruzeiro, agradeceu à torcida do pelos 18 anos de clube.

– Só tenho a agradecer esse carinho e esse reconhecimento pelo meu trabalho, a dedicação que eu tive ao longo de 18 anos. Tive oportunidade de sair do Cruzeiro, mas em momento algum passou pela minha cabeça, porque iria me sentir ingrato.

Rebaixamento e Ceni

 

Questionado sobre o rebaixamento do Cruzeiro para a Série B do Campeonato Brasileiro em 2019, Fábio atribui a responsabilidade ao técnico Rogério Ceni.

Tenho certeza que o que prejudicou foi o relacionamento diário, a gestão de grupo, não só com os jogadores mais experientes, até com os mais jovens. Foi acontecendo no dia a dia nos jogos, algumas declarações, tanto do lado dos jogadores como depois do Rogério em algumas entrevistas. isso aí foi prejudicando, desgastando nesse aspecto

Rogério Ceni assumiu o comando do Cruzeiro em agosto de 2019 após a saída de Mano Menezes. O técnico ficou apenas 46 dias no cargo, com oito jogos e apenas duas vitórias.

Por Redação do ge — de Belo Horizonte

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

um + quinze =