Campo Grande, 22 de junho de 2024

Boris diz que Putin ameaçou atacá-lo com míssil em telefonema

Por O Globo

O ex-premier britânico Boris Johnson disse que, quando ainda governava o Reino Unido, o presidente russo Vladimir Putin ameaçou atacá-lo com um um míssil durante um telefonema “extraordinário” pouco antes da invasão da Ucrânia pela Rússia.

As declarações do ex-líder britânico foram feitas em “Putin vs. o Ocidente” (Putin vs. the West), um documentário em três partes da BBC, que começa a ir ao ar nesta segunda-feira. Segundo Boris, a ligação aconteceu em fevereiro do ano passado. A guerra começou no dia 24 daquele mês.

Segundo relatou Boris, Putin disse a ele que “levaria apenas um minuto” para o míssil atingir a ilha na Europa. A declaração aconteceu durante um “telefone muito longo”, durante o qual ele advertiu Putin que a guerra seria uma “catástrofe total”.

Boris disse que não entendeu a fala de Putin como uma ameaça.

— Ele meio que me ameaçou em certo momento, e disse: “Boris, eu não quero te machucar, mas com um míssil, só levaria um minuto”, ou algo assim — disse Johnson — Mas acho que pelo tom muito relaxado que ele estava adotando, o tipo de ar de distanciamento que parecia ter, ele estava apenas brincando com minhas tentativas de convencê-lo a negociar.

O contexto da fala teria sido um momento sobre o apoio hipotético da Otan à Ucrânia se Putin decidisse invadir. O apoio maciço de fato veio, atrapalhando os planos de Putin. O Reino Unido é um dos países que mais apoio fornece à Ucrânia, e Boris visitou Kiev na semana retrasada, já na condição de ex-primeiro-ministro.

Boris também disse que Putin “parecia muito amistoso” durante o “mais extraordinário telefonema”.

Boris recebeu um telefonema de Putin no dia 2 de fevereiro de 2022, um dia após se encontrar com o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, em Kiev. Nove dias depois, em 11 de fevereiro, o secretário de Defesa brutânico, Ben Wallace, viajou para Moscou para se encontrar com seu homólogo russo, Sergei Shoigu.

O documentário da BBC diz que Wallace deixou Moscou tendo ouvido garantias de que a Rússia não invadiria a Ucrânia, mas disse que ambos os lados sabiam que era mentira. Segundo ele, foi uma “demonstração de intimidação ou força”:

— [A ideia] é: vou mentir para você, você sabe que estou mentindo e eu sei que você sabe que estou mentindo, e ainda vou mentir para você — disse. — Acho que queriam dizer “’sou poderoso”.

Ele disse que a “mentira bastante arrepiante, mas direta” confirmou sua crença de que a Rússia levaria a cabo sua invasão.

Boris também fala sobre uma conversa que teve com Zelensky no dia da invasão.

— Zelensky é muito, muito calmo. Mas, ele me disse, “você sabe, eles estão atacando em todos os lugares” — recordou.

Ele disse que ofereceu asilo para o líder ucraniano, que o recusou.

— Ele não aceitou essa oferta. Ele heroicamente ficou onde estava.

Compartilhe

Facebook
Twitter
WhatsApp