Campo Grande, 16 de setembro de 2021

Para intensificar o enfrentamento das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, como a dengue, zika e chikungunya, além de monitorar a evolução dos casos de maneira mais criteriosa, a Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), está criando uma sala de situação com o objetivo de dar mais celeridade aos processos de análise e contribuir na tomada de decisões. A resolução formalizando a implementação foi publicada na edição desta sexta-feira (31) do Diário Oficial do município (Diogrande). A sala de sala de situação contará com representantes das áreas técnicas da SESAU sendo admitida a participação de outros órgãos, conforme a necessidade. Os integrantes devem se reunir ao menos uma vez por semana, ou de acordo com a necessidade demonstrada pelos indicadores epidemiológicos, entomológicos, operacionais e assistenciais. Segundo a superintendente de Vigilância em Saúde da Sesau, Veruska Lahdo, a instituição da sala de situação segue as diretrizes do Ministério da Saúde para o enfrentamento de epidemias e deve auxiliar na melhoria do tempo resposta para analise dos casos. Serão discutidas as ações a serem adotadas na eventualidade da ocorrência de epidemias, visando garantir a atuação oportuna e eficiente da Rede Municipal de Saúde, de forma coordenada e segura para o usuário, sendo abordados temas como a estruturação da rede de atenção à saúde, nos diversos aspectos, além de matérias correlatas. Dados epidemiológicos Segundo informação da Coordenadoria de Vigilância Epidemiológica até o dia 28 de janeiro foram notificados 1.539 casos de dengue em Campo Grande. Um óbito, de um homem de 30 anos, já foi confirmado. Além dessas, ainda foram registradas 19 notificações de Zika Vírus e nove de Chikungunya, que ainda estão passando por processo de avaliação laboratorial para confirmar ou não as suspeitas. Durante todo o ano de 2019, foram registrados 39.417 casos notificados de dengue em Campo Grande, sendo 19.647 confirmados e oito óbitos. Apesar dos números expressivos, impulsionados pela epidemia do último ano, o mês de dezembro fechou com aproximadamente 45% a menos de casos registrados no ano anterior. Infestação pelo Aedes Conforme o Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo o Aedes aegypti (LIRAa), sete áreas de Campo Grande foram classificadas com o risco de surto de doenças transmitidas pelo mosquito. O número de áreas em alerta praticamente dobrou, em comparação com o último LiRaa divulgado em novembro do ano passado, passando de 22 para 42 áreas. Dezoito áreas permanecem com índices satisfatórios. O índice mais alto foi detectado na área de abrangência da USF Iracy Coelho, com 8,6% de infestação. Isso significa que de 233 imóveis vistoriados, em 20 foram encontrados depósitos. A área da USF Azaleia aparece em segundo com 7,4% de infestação, seguido da USF Jardim Antártica, 5,2%, USF Alves Pereira, 4,8, USF Sírio Libanês, 4,4%, Jardim Noroeste, 4,2% e USF Maria Aparecida Pedrossian (MAPE), 4,0%.

Com uma pauta que abrangeu desde as ações pedagógicas para 2020 até a apresentação dos diretores que irão assumir a gestão das escolas repassadas pelo governo do Estado ao município, a Secretaria Municipal de Educação (Semed) realizou na manhã desta sexta-feira (31), por meio da Superintendência de Gestão e Normas, uma ), reunião com diretores e adjuntos das 98 escolas da Rede Municipal de Ensino (Reme).

DSC_1997A reunião contou com a presença do prefeito Marquinhos Trad, da secretária municipal de Educação Elza Fernandes, secretária-adjunta Soraia Campos e superintendentes da Reme. O objetivo também foi repassar aos gestores informações referentes à organização administrativa das unidades, informar a respeito de vagas, matrículas, apresentar os novos conselheiros tutelares, destacar as três novas escolas em tempo integral da Reme, que a partir deste ano passa a contar com cinco unidades com ensino integral, além de abordar as quatro escolas que o município assumiu do governo estadual e que também contarão com turmas de Educação Infantil.

O prefeito Marquinhos Trad ressaltou a dedicação e o trabalho dos profissionais da Reme, fatores que têm elevado a procura por vagas nas escolas municipais. “Temos uma equipe apaixonada pela profissão que exerce e isto não reflete apenas no pedagógico, mas também na formação moral futura dos alunos”, pontuou.

A secretária Elza Fernandes agradeceu pelo trabalho realizado em 2019 e falou sobre a importância de estabelecer um ambiente de parceria nas unidades. “Nossa união é fundamental para garantir os excelentes resultados que conquistamos nos últimos três anos. Esta ajuda mútua entre os colegas é que faz uma gestão de qualidade”, disse.

DSC_1862Confiança

A superintendente de Gestão e Normas, Alelis de Oliveira Gomes disse que pelo menos 50 novos funcionários administrativos aprovados em processo seletivo no final de 2019 serão encaminhados à unidades da Reme e ressaltou que a maioria das vagas para as escolas em tempo integral foi preenchida.  “A comunidade confia nas escolas municipais por causa do nosso atendimento, por isso fechamos as vagas em tempo recorde”, enfatizou.

A equipe da Sugenor também repassou orientações técnicas quanto ao funcionamento das unidades, a importância do acolhimento das famílias, além de esclarecer sobre as novidades nos projetos pedagógicos e ações da Semed.

A diretora Luci Melinsky, da escola “Nicolau Fragelli”, no bairro São Francisco, que foi uma das repassadas pelo governo do Estado ao município, elogiou a organização da Reme e o acolhimento aos novos diretores. “Estou encantada com a gestão no que diz respeito a comunicação direta com a gente. Somos prontamente atendidos e todas as nossas dúvidas estão sendo respondidas. Eu saí da reunião totalmente orientada sobre minha função”, pontuou.

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × três =